Más notícias do país de Dilma (6)

“Esse assunto sobre a evolução do patrimônio de Palocci está encerrado com as explicações dele”, decretou Henrique Eduardo Alves, líder do PMDB na Câmara, na quarta-feira, 19 de maio.

Como disse o Garrincha para o Feola, faltava só combinar com os russos.

Desde que a Folha de S. Paulo informou no domingo, 15 de maio, que o patrimônio do ministro Antônio Palocci aumentou 20 vezes, num período de quatro anos, ficou difícil falar de outro assunto.

Mas, mesmo sem ter a repercussão do assustador exemplo de como se faz tráfico de influência dentro do governo lulo-petista, continuam pipocando diariamente notícias que mostram que a propalada capacidade gerencial de Dilma Rousseff é um mito, história da carochinha.

Aí vão algumas delas, divulgadas na imprensa entre os dias 17 e 21 deste mês de maio – o sexto apanhado consecutivo de más notícias do país de Dilma que este site apresenta no curto período de um mês:

* Dinheiro de todos é privatizado para as empresas amigas

Mais um exemplo dos esforços do governo para criar o capitalismo de Estado – ou, como disse O Globo em editorial no dia 6/5/2011, “um projeto mal disfarçado de capitalismo de Estado à la Geisel, em que o BNDES facilita a vida de empresários privados eleitos, aos quais ainda são colocados à disposição poderosos fundos de pensão de empresas públicas”:

O BNDESpar – braço de investimentos do BNDES -, que tem debêntures da empresa de carnes JBS – vai praticamente dobrar sua participação na companhhia, passando de 17,02$ para 31,3%. “Os financiamentos do BNDES para o processo de internacionalização da JBS são alvo de polêmica. Este ano, o Ministério Público Federal no Rio de Janeiro decidiu abrir um inquérito civil público para investigar a relação entre o BNDESpar e o grupo.” (O Globo, 19/5/2011.)

* O governo tem maioria folgada, mas não propõe nada

Pouquíssimos presidentes da República tiveram maioria tão folgada no Congresso Nacional quanto Dilma Rousseff – se é que já houve na História alguém com essa maioria de que ela desfruta, com o apoio de uns 15 partidos, e nenhuma, absolutamente nenhuma oposição.

E o que faz o governo com tamanho poder? Aproveita para tocar reformas urgentes?

Não. Não faz nada:

“O governo não apresentou uma única reforma estrutural, comoi a previdenciária, trabalhista ou tributária, que permitisse um choque de produtividade ao país. Os investimentos em infra-estrutura e educação continuam pífios e de péssima qualidade. O modelo de expansão calcado em crédito e consumo está perto do esgotamento, e os gargalos levam justamente ao aumento da inflação. A economia brasileira parece um carro popular a 150 km/h em uma estrada esburacada, trepidando e com parafusos começando a se soltar. E há no governo quem pense que a solução é acelerar mais!” (Rodrigo Constantino, economista, no Globo, 17/5/2011.)

* O Ministério da Educação deseduca

“Fica, portanto, estabelecido que o ministério encarregado dos assuntos educacionais no Brasil, além de desmoralizar os mecanismos de avaliação de desempenho escolar, não vê problemas em transmitir aos alunos o conceito de que as regras gramaticais são irrelevantes. (…)

“Tal deformação tem origem na plena aceitação do uso impróprio do idioma por parte do ex-presidente Lula, cujos erros de português se tornaram inimputáveis, por supostamente simbolizarem a mobilidade social brasileira.

 “Corrigi-los ou cobrar o uso correto da língua pelo primeiro mandatário da nação viraram ato de preconceito.

“Eis o resultado da celebração da ignorância, que, junto com a banalização do malfeito, vai se confirmando com uma das piores heranças do modo PT de governar.” (Dora Kramer, Estadão, 17/5/2011.)

* O Ministério da Educação roubou texto de professora!

A União foi condenado pela Justiça Federal ao pagamento de indenização a uma professora da Bahia que teve sua obra plagiada em uma publicação do Ministério da Educação. O livro “A inclusão escolar de alunos com necessidades educacionais especiais – deficiência física”, publicado pelo MEC em 2006 e disponível no site do ministério, traz trechos quase literais de artigo de 2002 da professora Jaciete Barbosa dos Santos, publicado na revista da Faeeba (Departamento de Educação) da Uneb (Universidade Estadual da Bahia). O juiz Carlos D’Ávila, da 13ª Vara Federal em Salvador, condenou a União ao pagamento de R$ 41,4 mil a professora por danos morais e materiais. Um dos três autores do livro do MEC, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, foi condenado a pagar R$ 20,7 mil. A ação tramitava desde 2007. (IG, Último Segundo, 17/5/2011.)

* O governo não sabe o que fazer com os aeroportos.

A cada dia uma das 437 altas autoridades que têm a ver com infra-estrutura aeroportuária anuncia um plano.

Galpões de Guarulhos vão virar terminais.

“Dois galpões usados como depósitos pela Infraero e pela Receita Federal no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, serão transformados em terminais de passageiros, segundo estudo feito pela nova Secretaria de Aviação Civil, subordinada à Presidência da República. O projeto é concluir as obras, em caráter emergencial, até dezembro deste ano. Os galpões eram usados anteriormente pelas companhias Transbrasil e Vasp, que não existem mais.

“Não haverá licitação para a escolha das empresas responsáveis pela transformação dos galpões em terminais de embarque remoto, sem o uso de fingers, corredores suspensos que levam os passageiros até a porta dos aviões. Por ser obra emergencial, passará por processo mais rápido de contratação. O orçamento do projeto deverá ser definido ainda nesta semana, apurou o Estado. (Estadão, 18/5/2011.)

Critério de avaliação muda, e desempenho de aeroportos “melhora”.

“Em meio às negociações para a concessão de aeroportos à iniciativa privada e para a abertura do capital da Infraero, mudança de critério adotada pela estatal que administra os aeroportos do País “melhora” a avaliação do desempenho dos terminais de passageiros – apontados como a área mais crítica da infraestrutura aeroportuária. De acordo com a nova metodologia adotada pela Infraero, apenas 3 dos aeroportos das 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 são classificados na situação de saturação crítica, operando no momento acima de 86% de sua capacidade.” (Estadão, 19/5/2011.)

* O governo não sabe o que fazer com o desmatamento.

“Dados do sistema de monitoramento por satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram que 1.848 quilômetros quadrados de floresta foram derrubados entre agosto de 2010 e abril deste ano nos estados da Amazôniua Legal. A devastação teve um aumento de aproximadamente 27% e assustou o governo.” A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, anunciou a criação de um gabinete de crise. (O Globo e O Estado, 19/5/2011.)

É o jeito lulo-petista de governar: criam-se conselhos, conselhões, conselhinhos, grupos de trabalho, agora um gabinete de crise. Mais cargos, ou, no mínimo, jetons para a companheirada.

* O governo não sabe o que fazer com a inflação.

“É preciso ter vontade política firme para executar o ajuste necessário, ae sem contabilidades criativas. Se não houver convicção no governo da necessidade de se reduzir o fôlego dos gastos, será mais uma penosa para a sociedade a luta contra a inflação. Leniência hoje contrata choques para amanhã.” (Editorial, O Globo, 17/5/2011.)

* O governo tira de nós cada vez mais dinheiro

A arrecadação de tributos federais bateu um recorde para meses de abril e totalizou R$ 85,155 bilhões no mês passado, segundo dados divulgados pela Receita Federal. Na comparação com março, o aumento real (descontada a inflação) das receitas foi de 19,05% no mês passado. Em relação a abril de 2010, o crescimento real foi de 10,34% em abril de 2011. No acumulado dos quatro primeiros meses de 2011, a arrecadação federal somou R$ 311,349 bilhões, o que indica uma alta real de 11,51% ante o mesmo período de 2010. (Estadão e O Globo, 20/5/2011.)

* O governo se intromete em tudo na nossa vida

Uma das tragédias trazidas ao país pelo lulo-petismo é essa ideologia segundo a qual o Estado, nas mãos deles, sabe tudo o que é bom para toda a população; o Estado, sob o lulo-petismo, é o pai e a mãe dos 190 milhões de brasileiros.

Editorial do Globo expõe esse absurdo:

“Este atentado à educação pública brasileira (o caso do livro do ‘nós pega o peixe) se assenta numa visão ideológica da sociedade alimentada pela ‘mitologia do excluído’, ligada à ‘síndrome da tutela estatal’. Todo aquele considerado ‘excluído’ da sociedade precisa de um tratamento especial – de acordo –, a lhe ser concedida por um Estado que tudo sabe e toma decisões supostamente corretas para resgatar pessoas da exclusão. (…)

“Por trás de tudo está o entendimento de que cabe a um Estado forte, onipresente, zelar pela sociedade – mesmo que ela não queira. Decorre da síndrome da tutela estatal, num exemplo recente, a lei que estabelece a bizarra norma de roupas de baixo femininas e masculinas virem com etiquetas de alerta para os cuidados com a saúde. A mesma síndrome é responsável por tentativas ilegais da Anvisa de censurar peças publicitárias (apenas lei aprovado no Congresso tem esse poder). Até layout de farmácia roi regulamentado para evitar a ‘automedicação’ (?!). O livro de português com erro não é portanto algo isolado. Apenas se trata de um caso mais escabroso, decorrentre da influência do politicamente correto em Brasília.” (Editorial, O Globo, 18/5/2011.)

* O governo se intromete na Petrobrás – e os acionistas que se danem

“ O Conselho de Administração da Petrobras exigiu que a empresa revise seu Plano de Negócios para o período 2011-2015 e corte cerca de US$ 35 bilhões em investimentos, segundo fontes da estatal. O pedido foi feito na sexta-feira passada em reunião do Conselho em São Paulo e foi acompanhado de orientações expressas por parte do governo federal para que a companhia não aumente os preços da gasolina e do diesel. O objetivo é conter a escalada da inflação. As vendas desses dois combustíveis representam cerca de 60% da receita da Petrobras. Sem poder reajustá-los, a empresa terá menos recursos disponíveis para realizar seus investimentos. Daí a necessidade do corte. Na avaliação de analistas, o pedido do Conselho, no qual o governo tem cadeira, também teria o objetivo de contribuir para o ajuste fiscal.” (O Globo, 18/5/2011.)

* Consumidores vão pagar mais R$ 182 milhões por energia

O conjunto de regulamentações previsto na Medida Provisória (MP) 517, que deve entrar em votação no Congresso Nacional esta semana, terá reflexo direto no bolso do consumidor de energia elétrica. Além da prorrogação por 25 anos da Reserva Global de Reversão (RGR), um encargo cobrado na conta de luz, a MP também estende por mais um ano o Programa de Incentivo às Fontes Alternativas (Proinfa), criado em 2002.

Segundo cálculo da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a pedido da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace), apenas essa medida significará acréscimo anual de R$ 182 milhões na fatura do consumidor, que já paga uma das maiores tarifas do mundo por causa da extensa lista de impostos e encargos embutidos no preço.” (Estadão, 17/5/2011.)

* Brasil despenca em ranking de competitividade

O Brasil despencou seis posições no ranking do índice de Competitividade Mundial 2011, apurado pelo International Institute for Management Development, em parceria com a Fundação Dom Cabral (FDC). A redução na produtividade e na eficiência empresarial e o aumento do custo de vida foram os principais responsáveis pela queda do país do 38º para o 44º lugar na lista de 59 países avaliados no Estudo. Para o professor da FDC Carlos Arruda, responsável pela captação e pela avaliação dos dados brasileiros, a perda de 12 posições no quesito preços e de 21 no fator produtividade e eficiência são sinais de alerta para a economia nacional. (O Globo, 18/5/2011.)

* Crescem o endividamento e a inadimplência.

As famílias brasileiras estão a cada dia mais endividadas, com cartão de crédito, carnês de lojas e crédito pessoal. O nível de inadimplência também subiu este mês, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). De um universo de 17,8 mil famílias, o endividamento atingiu 64,2%, contra 62,6% em abril; o número fica também acima do registrado no mesmo período em 2010, que foi de 58,7%. (O Globo, 19/5/2011.)

24 de maio de 2011

 Para ler mais provas da incompetência de Dilma e do governo:

 Volume 1 – Notícias de 20 a 27/4

Volume 2 – Notícias de 28/4 a 4/5

Volume 3 – Notícias de 4 a 6/5

Volume 4 – Notícias de 7 a 10/5

Volume 5 – Notícias de 10 a 17/5

 

23 Comentários para “Más notícias do país de Dilma (6)”

  1. É, a corrupção sempre foi o câncer deste país mas agora, se deixarmos, nem quimioterapia vai resolver. Crônico? Pode ser. Mas os indignados começaram a levantar a voz e quando menos esperarem, iremos pras ruas e a PTralhada vai levar o maior susto da vida deles. Basta! Esta é a palavra que está em nossas gargantas. Parabéns! Mto, mto bom mesmo. Obrigada por estar a abrir os olhos dos que estão cegos por cansaço ou preguiça mesmo.

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.