Onde está Lula?

O governo Lula está como aquela música de Chico Buarque: “Carlos amava Dora que amava Pedro que amava tanto que amava a filha que amava Carlos que amava Dora que amava toda a quadrilha”.

Mas o sinal está trocado, porque todos parecem se odiar Continue lendo “Onde está Lula?”

Algo de podre

Há algo de podre no reino de Elon Musk. Se não no império, à moda Hamlet, dentro da cabeça dele. Autista e bipolar, o bilionário está vendo a Tesla e o X irem de mal a pior. Talvez sejam momentos passageiros (às vezes sou um otimista desvairado), mas os portadores dessas condições não distinguem o presente do futuro. Subitamente, soltou seus cachorros e fantasmas na cúpula do Judiciário brasileiro, vendo ali a causa de seus males. Continue lendo “Algo de podre”

Tiros no pé

As besteiras foram maiores antes, mas por serem agora em menor número e gravidade não quer dizer que desapareceram. Refiro-me às besteiras (e malfeitos) do PT e dos governos Lula e Dilma, 1 e 2. As doses foram, então, cavalares e responsáveis pelo retrocesso igualmente cavalar que tivemos em 2018.  Continue lendo “Tiros no pé”

Lula governa para lulistas

Luiz Inácio Lula da Silva alcançou seu terceiro mandato em uma eleição acirrada, decidida por uma diferença de pouco mais de um ponto percentual, com apenas 2,3 milhões de vantagem em um universo de 118,5 milhões de votos válidos. O êxito não foi nem de Lula nem do PT, como o próprio presidente eleito admitiu no discurso da vitória, quando, com raríssima humildade, reconheceu o mérito do conjunto de forças que o fizeram voltar ao Planalto. Ainda que pareça óbvia, talvez esteja aqui uma das explicações para a queda de popularidade que o estaria infernizando.   Continue lendo “Lula governa para lulistas”

O fiasco da camaradagem de Lula com Maduro

O Acordo de Barbados, assinado em outubro do ano passado, foi saudado entusiasticamente por Lula. No entendimento do governo brasileiro, o acordo assegurava uma eleição livre na Venezuela, que seria reconhecida internacionalmente e teria a participação da oposição. Seria também a confirmação do acerto de sua estratégia de apaziguamento com Maduro. Em vez de adotar uma postura dura diante de constantes violações dos direitos humanos, o presidente apostou por uma política de acomodação com o ditador venezuelano. Continue lendo “O fiasco da camaradagem de Lula com Maduro”

Quartelada

 Eles gostam de chamar de Revolução o que não passou de uma quartelada militar com apoio de civis golpistas, imprensa idem e embaixada dos EUA ibidem. A quartelada tinha data para terminar, dada pelo próprio comandante da empreitada, um general de nome Humberto de Alencar Castello Branco, chefe do Estado-Maior do presidente que depôs, João Belchior Marques Goulart.  Continue lendo “Quartelada”

Lula cede aos pastores

Passados os dias santos cristãos, o Congresso retoma a votação do Projeto de Emenda Constitucional, PEC 5/23, que amplia a imunidade tributária dos templos. Mesmo mais brando do que o original, o texto final exigiu recuo do governo Lula quanto à isenção fiscal das igrejas, e negociações para excluir benefícios adicionais e estabelecer um teto para a cobrança de impostos de pastores, a serem fixados por lei complementar. A matéria inclui todas as matizes religiosas e deve ser aprovada sem sustos, com apoio à direita e à esquerda, do governo e da oposição, e até de ateus. Continue lendo “Lula cede aos pastores”

Xô, meu!

Primeiro de abril é dia de os milicos, políticos e empresários golpistas chorarem o fim do golpe militar de 64, para eles um paraíso na Terra. Por mim, podem chorar à vontade, que o choro é livre. Eu só não contava com o veto de um presidente da República do PT a essas reminiscências. Continue lendo “Xô, meu!”

Nísia na frigideira

Quando Lula montou seu ministério e colocou a doutora Nísia Trindade à frente da Saúde, ofereceu uma espécie de vitrine do novo governo. Nísia, com um currículo invejável e largos serviços prestados à saúde pública brasileira, era uma espécie de unanimidade Continue lendo “Nísia na frigideira”

A gloriosa imprensa democrática

Era para ser uma frase de efeito, uma ironia, ainda que sem graça. Mas ao fazer chacota com a “gloriosa imprensa democrática” o presidente Lula perdeu mais uma gloriosa chance de ficar calado. Reeditando as lamúrias de que a mídia não noticia os feitos de sua gestão, Lula zombou do maior valor da imprensa livre e responsável: a firme defesa da democracia, que, sem dúvida, sr. presidente, a faz gloriosa.

Continue lendo “A gloriosa imprensa democrática”

O que é isso, companheiro Lula?

A esquerda está de cabelo arrepiado com a ordem de Lula de proibir seus ministérios de realizar atos para lembrar os 60 anos do golpe de 1964. Grupos de direitos humanos já tinham se sentido incomodados com a declaração de Lula de que 1964 é história e que não quer remoer o passado. O caldo entornou de vez quando o presidente mandou o ministro dos Direito Humanos, Sílvio Almeida, suspender ato programado para 1º de abril. Estava previsto um discurso do ministro, ressaltando a luta dos perseguidos pela ditadura. Inevitavelmente, seria abordada a questão dos mortos e desaparecidos dos tempos do regime militar. Continue lendo “O que é isso, companheiro Lula?”

Bolsonaro confiava no golpe

Dois dias depois de apresentar aos comandantes militares a minuta do golpe, o presidente derrotado Jair Bolsonaro rompeu o silêncio de mais de um mês. “Vamos vencer”, disse à multidão aglomerada em frente ao Palácio da Alvorada. Era 9 de dezembro de 2022. O Brasil acabava de ser eliminado da Copa do Mundo do Qatar, derrotado nos pênaltis pela Croácia, desempenho comemorado por vários “patriotas” de camisa amarela. O pronunciamento do ex, considerado dúbio à época, tinha, agora se sabe, uma ambição dupla: manter a união dos fiéis e convencer os comandantes do Exército e da Aeronáutica que haviam rejeitado a virada de mesa. Continue lendo “Bolsonaro confiava no golpe”

Tarcísio encarna Bolsonaro

O governador de São Paulo Tarcisio de Freitas mudou de estilo e de tom. Em uma só semana, casou três movimentos na mesma direção: vazou sua pretensão – algo que ele nega – de trocar seu atual partido, o Republicanos, pelo PL do padrinho Jair Bolsonaro; enviou para a Assembleia Legislativa um projeto de criação de escolas cívico-militares, tema caro ao público do ex, e abandonou a persona moderada que lhe assegurou trânsito no eleitorado avesso às paixões extremas. Continue lendo “Tarcísio encarna Bolsonaro”

O avesso da pele e a distopia cabocla

Vencedor do prêmio Jabuti de 2021, o mais importante da literatura brasileira, e traduzido em 16 idiomas, o livro O Avesso da Pele, de Jefferson Tenório, é a mais recente vítima da onda distópica que varre o mundo e se instalou no Brasil. Tudo começou quando viralizou nas redes sociais o vídeo de uma diretora de uma escola de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, acusando o livro de conter palavras de “baixo calão”, atentatórias à moral e aos bons costumes. Continue lendo “O avesso da pele e a distopia cabocla”