É preciso parar Bolsonaro

Os três maiores jornais do Brasil condenaram, com vigor, veemência, e unanimemente, a assombrosa, apavorante decisão do comandante do Exército Brasileiro de não punir o general da ativa Eduardo Pazuello por participar de ato político junto com Jair Bolsonaro no Aterro do Flamengo, no dia 23 de maio. Continue lendo “É preciso parar Bolsonaro”

Assim reagiram os jornais neste dia nacional da vergonha

Jamais poderia imaginar que viveria para ver o dia em que o Comando do Exército Brasileiro se ajoelharia diante de um capitãozinho insubordinado, mau militar, terrorista, que jamais respeitou hierarquia e planejava explodir bombas em quartéis. Continue lendo “Assim reagiram os jornais neste dia nacional da vergonha”

Globo e Estadão erraram

Muita gente, e muita gente boa, demonstrou sua indignação com a pouca importância que dois dos três grandes jornais do país deram, em suas primeiras páginas deste domingo, 30/5, às manifestações contra o desgoverno Jair Bolsonaro em quase todas as capitais, no Distrito Federal e em diversas cidades do interior. Continue lendo “Globo e Estadão erraram”

Bob Dylan, 80 anos

80 anos!

Diacho: é ano que não acaba mais. E, no entanto, até que não: parece que não foi há muito tempo que, há exatos 40 anos, o Jornal da Tarde publicou uma matéria de duas páginas no Caderno de Sábado sobre os 40 anos de Bob Dylan. Continue lendo “Bob Dylan, 80 anos”

O decaimento da verdade

Na ditadura militar que Jair Bolsonaro tanto admira, havia, segundo cunhou Stanislaw Ponte Preta, o Festival de Besteiras Que Assola o País. Agora, no terceiro ano do governo do Capitão das Trevas e da Morte, estamos diante do “Festival de mentiras que assola a CPI”, como diz o título do editorial de O Globo desta sexta-feira, 21/5, ou o “Festival de Mentiras Que Assola o País!”, como Vera Vaia titulou na quinta-feira seu artigo. Continue lendo “O decaimento da verdade”

Um jovem exemplar

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, morreu ainda no início de sua trajetória política, mas isso não impediu que esse jovem quadro do PSDB desse muitas lições inclusive para os veteranos que parecem ter esquecido qual é a verdadeira missão dos homens públicos. Continue lendo “Um jovem exemplar”

Eva Wilma

Quando Marina Person a entrevistou para fazer o documentário Person, que seria lançado em 2007, Eva Wilma sorria muito, mostrava-se feliz, ao dar seu depoimento sobre o filme São Paulo Sociedade Anônima, e sobre a aventura que foi a viagem que os três – ela, Walmor Chagas e o diretor Luís Sérgio Person – fizeram para participar do Festival dos Festivais, em Acapulco, onde a fita foi exibida e recebeu muitos elogios. Continue lendo “Eva Wilma”

Lie, o caráter perfeito

Tive o privilégio, a sorte grande maior que ganhar na Loteria, de trabalhar em algumas das redações mais alegres, mais aparentemente bagunçadas, caóticas – e também mais criativas – de que se tem notícia no Brasil. A do Jornal da Tarde ao longo de todos os anos 70 e metade dos 80, a da revista Afinal criada por Fernando Mitre, a da nova Agência Estado reinventada no final dos anos 80 por Rodrigo Mesquita e uma penca de gente extraordinária, a da revista Marie Claire sob a direção de Regina Lemos, possivelmente a redação mais democrática que já houve. Continue lendo “Lie, o caráter perfeito”

Saudade de Piazzolla, do Brasil…

Houve um tempo, ali pela primeira metade dos anos 1970, o Brasil mergulhado no pior momento da ditadura militar, a Argentina ainda em um de seus períodos democráticos pré novo golpe de 1976, em que Astor Piazzolla parecia arroz de festa aqui. Houve um mês em que vi Astor Piazzola no Teatro Municipal e no Bosque da Biologia da USP. Continue lendo “Saudade de Piazzolla, do Brasil…”