O Gambito da Rainha!

Confesso que relutei um tempo em assistir a essa minissérie que conta a história de uma jovem órfã jogadora de xadrez. Talvez porque esse jogo nunca tenha despertado meu interesse. Não tinha curiosidade em saber se o bispo comía a Rainha ou se o cavalo traçava o Rei.

Continue lendo “O Gambito da Rainha!”

Pedindo Penico!

Eu não queria falar sobre o presidente cocô, digo, sobre o cocô do presidente, porque o assunto já foi mais do que comentado na mídia e nas redes sociais, mas é o assunto do momento. Continue lendo “Pedindo Penico!”

Imaginem Bolsonaro fino, educado

Para a cúpula dos 20 Mais, os países com destacada expressão cultural, decidiu-se que o mandatário da terra de Guimarães Rosa e Machado de Assis teria um assessoramento especial no tocante ao comportamento. A exortação partiu de um grupo de embaixadores, preocupado com as reações deseducadas do presidente da República. Continue lendo “Imaginem Bolsonaro fino, educado”

C* de Boi!

Essa expressão genuinamente brasileira existe, tá no dicionário e é empregada como sinônimo de confusão, balbúrdia, bagunça, situação descontrolada. Continue lendo “C* de Boi!”

Detector de mentiras no Brasil

A empresa Verdade Verdadeira lançou no mercado um revolucionário detector de mentiras. Aqui no País, a reação dos que mentem porque não podem falar a verdade (sob risco de serem presos) foi de deboche. “A mentira prevalecerá! Ah, ah”. Para provar a excelência do produto, o primeiro teste seria feito com o acusado da compra superfaturada do detector. Continue lendo “Detector de mentiras no Brasil”

Pílulas de Memoriol!

É verdade que essa pandemia tem mexido com as cabeças de todos nós. Todo mundo reclamando que tem se perdido no calendário, acorda e não sabe se já é fim de semana ou se ela está apenas começando. Esquece de pagar boletos no dia do vencimento, não se lembra onde deixou o celular, a chave do carro, o cartão de crédito, e por aí vai. Continue lendo “Pílulas de Memoriol!”

Cabeças Vão Rolar?

Bem no momento de se comemorar com festança (virtual, porém) o dia de São João, o Brasil assiste de camarote ao desenrolar de mais uma lambança que a turminha lá do Ministério da Saúde andou promovendo, desta vez com a possível aquiescência do ilustre presidente da República. (Ainda a ser apurado, mas há indícios de que isso seja verdade verdadeira.) Continue lendo “Cabeças Vão Rolar?”

Cem Anos de Podridão!

Estava aqui pensando em como existem ainda algumas pessoas tão longevas com toda esta vida doida que a gente leva. Tem de ter um coração muito forte pra aguentar todo o estresse do dia a dia ou um gene dos bão, como dizem por aí. Continue lendo “Cem Anos de Podridão!”

Depois da reunião de pauta…

Naqueles tempos sem pandemia…

Dia de trabalho começando nas redações dos jornais. Os pauteiros de cada editoria, da política aos esportes, se reúnem e “cantam”, cada um à sua vez, os fatos que serão notícia durante o dia. Decidem como se fará a cobertura deles. No entanto… Diz antigo jargão que notícia não tem hora para acontecer. Continue lendo “Depois da reunião de pauta…”

Piadas de Caserna!

Em novembro do ano passado, o Exército  Brasileiro se manifestou contra mais uma bobagem expelida pelo presidente Jair Bolsonaro quando resolveu abrir sua bocarra pra dizer: “Apenas a diplomacia não dá, né Ernesto? Quando acaba a saliva, tem de ter pólvora, senão não funciona”, achando que estava abafando e fazendo o Biden, que ameaçava entrar com sanções econômicas contra o Brasil por causa dos desmatamentos na Amazônia, tremer de medo. Continue lendo “Piadas de Caserna!”

Só Pensa Naquiiilo!

Quem não conhece esse bordão da dona Bela, a pudica e virginal aluna do professor Raimundo: “Ele só pensa naquiiilo”?

Toda e qualquer pergunta feita pelo professor era uma ofensa aos ouvidos castos da donzela pura e nada bela. Continue lendo “Só Pensa Naquiiilo!”

O senhor dos labirintos

Ah, o Mario Vargas Llosa, romancista de prosa descomplicada, escreveu nesta quinta-feira, 20, no Estadão, sobre um autor que é o seu oposto. Quem já leu Willian Faulkner que o diga. O americano do Mississipi (1897-1962), Nobel de Literatura em 1949, conquistou este leitor pelo espanto. O título da obra já alertava: O Som e a Fúria. Continue lendo “O senhor dos labirintos”