“Ainda vão devolver os R$ 15 bi roubados”

Não basta acabar com a Lava-Jato, a maior, mais efetiva força de combate à corrupção que já houve no Brasil. Não basta. Para os políticos corruptos – tanto de esquerda quanto de direita quanto nem de um lado nem de outro –, é preciso mais. É preciso destruir os instrumentos legais que permitem o combate à corrupção. Continue lendo ““Ainda vão devolver os R$ 15 bi roubados””

Bolsonaro agradece

Adversários históricos desde o final dos anos 30, Carlos Lacerda e o ator Mário Lago, militante do Partido Comunista Brasileiro, se encontraram atrás das grades, logo após o AI-5. Coube a Lacerda quebrar o gelo: “Mário, na cadeia esquerda e direita se falam, não?” Continue lendo “Bolsonaro agradece”

A armadilha da nota oficial

Desde que chegou à Presidência, Jair Bolsonaro faz o Brasil refém do seu humor. Suas agressões, disparates e ameaças movem a política e a economia, incitam e alimentam o ódio e a incivilidade. Da tarde de quinta-feira para cá isso se tornou ainda mais grave. Ele conseguiu parar o país. Não com tanques ou desordem de caminhoneiros sem causa, mas com a desconfiança sobre o que ele fará no dia seguinte. Continue lendo “A armadilha da nota oficial”

O ministro Barroso nos lava a alma

O pronunciamento do ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na quinta-feira, 9 de setembro, foi uma peça histórica. Infelizmente, a fala acabou um tanto perdida em meio ao imenso  ruído em torno da nota assinada por Jair Bolsonaro afirmando que falou as frases golpistas e criminosas que falou no 7 de setembro por causa do “calor do momento”. Continue lendo “O ministro Barroso nos lava a alma”

Surreal!

Tive de procurar no dicionário uma palavra que definisse bem os fatos ocorridos nesta semana e achei essa que caiu como uma luva. Surreal: aquilo que se encontra além do real, que denota estranheza, transgressão da verdade sensível, da razão ou que pertence ao domínio do sonho, da imaginação, do absurdo.  Continue lendo “Surreal!”

E agora, Arthur Lira?

“Os discursos de Bolsonaro, em Brasília e em São Paulo, revelam a triste figura (e a distorcida mente autocrática) de um político medíocre e sem noção dos limites éticos e constitucionais que devem pautar a conduta de um verdadeiro Chefe de Estado que seja capaz de respeitar o dogma fundamental da separação de Poderes.” Continue lendo “E agora, Arthur Lira?”

O dia seguinte

Milhares devem ir às ruas na terça-feira em atos cuja ambiguidade dos mobilizadores impede qualquer previsão. Podem dar eco à beligerância do presidente Jair Bolsonaro, acabar em invasão do STF e do Congresso, com quebra-quebra e violência. Ou simplesmente se limitarem a louvar o “mito”. Fora a ficcional hipótese de golpe – com tanques e fuzis -, o dia seguinte será uma quarta-feira como outra qualquer. Talvez de cinzas para o presidente. Continue lendo “O dia seguinte”

Esconde-esconde!

Da forma como a coisa tá ficando pro lado de certos convocados da CPI, os melhores hospitais do país vão acabar tendo de ampliar suas instalações para receber tantos pacientes com o recente surto da Síndrome de Cagaço Aguda. Continue lendo “Esconde-esconde!”

O (des)governo declara que é contra a harmonia

O (des)governo Bolsonaro fez saber ao mundo que não concorda com esta afirmação:

“A Praça dos Três Poderes encarna a representação arquitetônica da independência e harmonia entre o Legislativo, o Executivo e o Judiciário, essência da República.” Continue lendo “O (des)governo declara que é contra a harmonia”

O PIB descola de Bolsonaro

Até pela natureza de seus negócios, via de regra empresários são pró-governo, seja ele qual for. Desde a redemocratização em 1985, apenas no final do governo Dilma Rousseff adotaram postura oposicionista. Exatamente por isso, o significado do manifesto assinado por mais de 200 entidades e empresários – por ora com divulgação suspensa por decisão monocrática do presidente da Fiesp, Paulo Skaf –  vai bem além do seu teor, interpretado como anódino por muitos analistas. Continue lendo “O PIB descola de Bolsonaro”

“O governo é incompetente”

“A inflação beira os dois dígitos, o desemprego e o desalento deixam de fora do mercado de trabalho 20 milhões de brasileiros, a miséria está aumentando, a educação foi entregue a três ministros sem os atributos mínimos para estar no cargo, a Saúde elevou o número de mortes na pandemia pela mistura perigosa de negacionismo e picaretagem, a crise hídrica se agravou por falta de planejamento e o preço da energia está explodindo. O presidente briga, ofende, ameaça, exatamente por isso. Tenta esconder o desempenho desastroso do seu governo.” Continue lendo ““O governo é incompetente””