O Plano Cohen de Bolsonaro

Governantes de índole totalitária não mentem de maneira desavisada ou inocente. Há sempre um objetivo por trás de suas falácias. Em 1933 o Reichtag (parlamento alemão) foi incendiado por um jovem holandês. Adolf Hitler acusou os comunistas, que nada tinham a ver com a história, e aproveitou o episódio para adquirir poderes absolutos. Um ano depois Josef Stalin usou o assassinato de Serguei Kirov, também um ato isolado, para dar início ao Grande Terror e à farsa dos processos de Moscou. Continue lendo “O Plano Cohen de Bolsonaro”

Redes não bastam

A já sabida inexistência de provas de fraude nas urnas eletrônicas, a repetição da falácia de que o STF o impediu de agir contra a pandemia e outras tantas mentiras ditas seguiram o padrão de sempre. O que surpreendeu na live de quinta-feira de Jair Bolsonaro foi a alteração do figurino, desta vez incluindo 25 jornalistas que, mesmo impedidos de perguntar, ou seja, de exercer seu dever de ofício, deram publicidade à patética narrativa do presidente. A novidade expôs o esgotamento do modelo da transmissão semanal de suas baboseiras ao público cativo das redes sociais. Continue lendo “Redes não bastam”

Transformar o passado

Que os Bandeirantes não eram iluministas, todo mundo sabe. Nem eles nem o mundo de sua época. Afinal, os valores do iluminismo só iriam se afirmar mais de um século depois, com a Revolução Francesa e a Independência dos Estados Unidos. Não faz sentido, portanto, julgá-los com os valores de hoje, descontextualizado do momento histórico no qual operaram. E muito menos levá-los à fogueira da nova inquisição. Foi o que aconteceu com a estátua de Borba Gato, queimada por um grupo denominado “Revolução Periférica”. Continue lendo “Transformar o passado”

O Brasil de Bolsonaro, não!

Estava pronto para começar a escrever um suelto sobre a garotinha Rayssa Leal e uma canção dos Secos & Molhados, e fui dizer isso para a Mary na sala no momento em que ela via a cerimônia do pódio em que a bandeira brasileira subia em Tóquio, junto com duas bandeiras da Grã-Bretanha, a Union Jack, pela prata de Fernando Scheffer. Continue lendo “O Brasil de Bolsonaro, não!”

O Gambito da Rainha!

Confesso que relutei um tempo em assistir a essa minissérie que conta a história de uma jovem órfã jogadora de xadrez. Talvez porque esse jogo nunca tenha despertado meu interesse. Não tinha curiosidade em saber se o bispo comía a Rainha ou se o cavalo traçava o Rei.

Continue lendo “O Gambito da Rainha!”

Além da corrupção, o roubo oficial

Pode ser pixulé, propina, comissionamento ou até recursos não contabilizados, como dizia Delúbio Soares, tesoureiro do PT pego pelo mensalão. O apelido não importa. As tenebrosas transações do Ministério da Saúde para compra de vacinas superfaturadas têm um só nome: corrupção. A ela somam-se criativas fórmulas de ladroagem, o roubo oficial, prática cada vez mais corriqueira no governo do presidente Jair Bolsonaro. Continue lendo “Além da corrupção, o roubo oficial”

Pedindo Penico!

Eu não queria falar sobre o presidente cocô, digo, sobre o cocô do presidente, porque o assunto já foi mais do que comentado na mídia e nas redes sociais, mas é o assunto do momento. Continue lendo “Pedindo Penico!”

Se acabó!

Desde 1959 Cuba exerce um fascínio para grande parte da esquerda latino-americana. A palavra de ordem “Pátria ou Morte, Venceremos!” conquistou corações e mentes pelos quatro cantos do continente. Nestes mesmos tempos havia escassez de alimentos, os cubanos não tinham acesso a bens de consumo modernos e, sobretudo, não havia liberdade na Ilha. Continue lendo “Se acabó!”

A novidade

Fora os índices de rejeição, que fulminam pretensões eleitorais, pesquisas de intenção de voto costumam ser analisadas de acordo com o gosto do freguês. Embora o favoritismo de Lula tenha se desenhado diante de um Jair Bolsonaro cada vez mais minguado, seria recomendável alguma cautela dos que já dão o jogo como encerrado. Até porque novidades surgem. Continue lendo “A novidade”

Imaginem Bolsonaro fino, educado

Para a cúpula dos 20 Mais, os países com destacada expressão cultural, decidiu-se que o mandatário da terra de Guimarães Rosa e Machado de Assis teria um assessoramento especial no tocante ao comportamento. A exortação partiu de um grupo de embaixadores, preocupado com as reações deseducadas do presidente da República. Continue lendo “Imaginem Bolsonaro fino, educado”

C* de Boi!

Essa expressão genuinamente brasileira existe, tá no dicionário e é empregada como sinônimo de confusão, balbúrdia, bagunça, situação descontrolada. Continue lendo “C* de Boi!”

Contra o ódio e o preconceito

Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul e pré-candidato a presidente da República, incomodou muita gente ao revelar sua orientação sexual no programa de entrevistas do Pedro Bial. À direita, os homofóbicos de sempre, como o presidente Jair Bolsonaro, explicitaram todo seu ódio e preconceito. Até aí, nenhuma novidade. A estranheza foi ver determinadas figuras da esquerda desqualificar e diminuir a contribuição do gesto governador à causa da diversidade. Continue lendo “Contra o ódio e o preconceito”