Blindagem

O maior temor do presidente Jair Bolsonaro, dizem, é o de ser preso. Ele e seus filhos. Essa seria a motivação de fazer o diabo – termo imortalizado por Dilma Rousseff em 2014 diante dos abusos de sua campanha – para se reeleger.

Continue lendo “Blindagem”

A democracia na pele

“É provável que o dia 11 de agosto de 2022 passe doravante a figurar entre os mais relevantes na trajetória democrática do Brasil. Foram lidas duas cartas em defesa da democracia em ato na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), mesmo local onde o jurista Goffredo da Silva Telles Jr. leu, em agosto de 1977, sua Carta aos Brasileiros, marco no início da derrocada da ditadura militar. Outras cidades também foram palco de eventos semelhantes.” Continue lendo “A democracia na pele”

O último tango do kirchnerismo

Finalmente o governo argentino descobriu o ovo de Colombo: “a inflação é uma fábrica de pobreza”. A frase é do novo superministro da Economia, Sérgio Massa, ex-ministro dos governos Nestor e Cristina Kirchner e ex-presidente da Câmara de Deputados. Massa sonha alto. Tem a pretensão de ser o Fernando Henrique Cardoso da Argentina, promovendo estabilidade econômica em meio a uma inflação de 90% prevista para o fim do ano. Continue lendo “O último tango do kirchnerismo”

Luz no fim do túnel

Sob o estresse diário provocado pelo presidente Jair Bolsonaro, que para salvar a sua pele insiste na cruzada anti-cívica e anti-Brasil contra as urnas eletrônicas e a credibilidade do processo eleitoral, notícias boas são cada vez mais raras. Mas elas existem. Apareceram na semana passada expressas nas Contribuições para um governo democrático e progressista, desenvolvidas por um time suprapartidário, com craques do PT, PSDB e MDB. Além de trazer propostas inovadoras – e possíveis de serem colocadas em prática -, o documento é um alento em meio da emburrecedora polarização que interdita qualquer tentativa de debate sério e promissor.  Continue lendo “Luz no fim do túnel”

Idiote!

Ando meio afastada das redes sociais para tentar manter o nível de stress dentro do limite razoável para uma sobrevivência mais saudável.

Não tenho tido saco pra essas brigas de torcidas organizadas defendendo os candidatos da polarização, no Twitter, especialmente. Continue lendo “Idiote!”

A cidadania pede passagem

A História também se faz por meio de manifestos. Nos anos 1930, quando o Brasil tomou o rumo da industrialização e urbanização, os signatários do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova – Fernando de Azevedo, Lourenço Filho, Anísio Teixeira, entre outros -, já alertavam que o Brasil estava atrás do México, Uruguai, Argentina e Chile em matéria educacional, apenas para falar nos países latino-americanos. Continue lendo “A cidadania pede passagem”

A carta

Costumeiramente estourado e boquirroto nas reações ao que o desagrada, o presidente Jair Bolsonaro amarelou diante da Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito, que em apenas três dias colheu mais de 400 mil assinaturas, e do manifesto da Fiesp, com apoio da Febraban, Fecomércio e outras entidades. Continue lendo “A carta”

Em Nome de Deu$!

“Quer fazer algo que agrade a Deus, deixe seus bens para a igreja.”

Em vídeo gravado ao lado da esposa fazendo cara de santa, o bispo Edir Macedo caiu na boca do povo esta semana por causa dessa proposta indecente feita aos fiéis. Continue lendo “Em Nome de Deu$!”

Nunca deixe de sonhar

Em 30 de setembro de 2016 várias pessoas estavam no cemitério Herz, em Jerusalém. Entre elas o então presidente dos Estados Unidos Barack Obama, o ex-presidente Bill Clinton e ex-primeiros-ministros como Tony Blair, reis e rainhas, líderes religiosos e dignitários de diversos países.

Todos para participar do funeral de um sonhador: Shimon Peres. Continue lendo “Nunca deixe de sonhar”

Um país violentado

O Brasil é um país violento, que se acostumou à violência. É o oitavo mais letal do mundo, mesmo com decréscimo de 6% aferido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública em 2021. Registra números de guerra no Nordeste e no Norte – 35,5 e 33,5 homicídios por 100 mil habitantes -, quase 3 mil feminicídios e mais de 100 mil estupros denunciados no ano passado. Convive cotidianamente com agressões e assassinatos relacionados a raça e gênero, extermínio de índios, operações policiais desastradas, tiros a esmo que perfuram e matam crianças. Continue lendo “Um país violentado”

Quem perde é o Brasil

Pela primeira vez em toda a nossa História um presidente da República se reúne com 70 diplomatas estrangeiros para afundar ainda mais a imagem do Brasil diante da comunidade internacional. Não se culpe o Itamaraty, cuja competência é reconhecida mundialmente, pelo triste episódio. Contra até mesmo a opinião do seu núcleo político, Jair Bolsonaro deu prosseguimento na sua escalada contra as urnas eletrônicas, tentando convencer os representantes de diversos países de que elas são passíveis de fraudes. Continue lendo “Quem perde é o Brasil”

Seu santo nome em vão

Dizem que Deus é brasileiro. Talvez dissidente, diante do farto uso de seu nome em vão. Está no preâmbulo da Constituição de 1988 – “sob a proteção de Deus” – , a mesma que define o Brasil como estado laico. Abre as sessões dos parlamentos e decora com o crucifixo de seu filho milhares de repartições públicas país afora. Mas nunca antes Ele foi tão explorado como nos tempos de Jair Bolsonaro. Do slogan do presidente às participações cada vez mais frequentes em cultos de campanha, em pleno horário de trabalho, de preferência associados a motociatas, o “mito” não se envergonha de abusar do Senhor. Algo, decididamente, nada divino. Continue lendo “Seu santo nome em vão”