Harakiri tucano

É impossível reconhecer no PSDB de hoje o mesmo partido que promoveu a estabilidade da economia e a responsabilidade fiscal, fez uma revolução gerenciada na educação, saneou o sistema financeiro e avançou em áreas sociais estratégicas, como a saúde. Um partido de quadros como José Serra, Paulo Renato Souza, Franco Montoro, Alberto Goldman, Arnaldo Madeira entre tantos outros em São Paulo e no Brasil. Continue lendo “Harakiri tucano”

O silêncio das ruas

As ruas emudeceram neste 1º de maio. Para um país acostumado a ver manifestações multitudinárias, tanto os atos dos bolsonaristas como os dos petistas foram um rotundo fracasso. Os primeiros estiveram bem distantes da manifestação de setembro do ano passado, quando Bolsonaro mobilizou um mar de gente para sua pregação golpista. No outro espectro, os das centrais e do PT nem de longe lembraram outras jornadas do Dia Internacional dos Trabalhadores. Continue lendo “O silêncio das ruas”

Água na fervura

Nas últimas horas o Supremo Tribunal Federal optou por restabelecer pontes com o Congresso Nacional e o Poder Executivo. A inflexão ajudará a diminuir a temperatura de uma crise institucional com potencial de esgarçar o arcabouço estabelecido pela Constituição de 1988. O Supremo não pode ser parte da crise, até porque é de sua competência a palavra final em matéria constitucional. Não desempenhará seu papel de guardião da Constituição se, em vez de contribuir para a harmonia entre os poderes da República, alimentar o conflito e a discórdia. Continue lendo “Água na fervura”

O inadiável acerto com a história

As revelações dos áudios das sessões do Superior Tribunal Militar eliminam qualquer dúvida quanto à utilização da tortura como política de estado durante o regime militar inaugurado em 1964.  Nesse sentido, representam um marco. Já não se trata mais de denúncias feitas por vítimas ou por relatórios como o da Comissão da Verdade e do “Tortura Nunca Mais”, sempre negadas pelas Forças Armadas. Agora sabe-se que generais, almirantes e brigadeiros membros do STM debateram formalmente a prática sistemática da tortura nos porões da repressão. Continue lendo “O inadiável acerto com a história”

A nova ordem

Ainda não sabe como e quando terminará a guerra de Vladimir Putin na Ucrânia, mas já há uma certeza: o conflito representa o fim de uma era e o marco de uma nova ordem mundial. A queda do muro de Berlim e o fim da União Soviética geraram um mundo unipolar com forte hegemonia dos Estados Unidos. Foram tempos de intensa globalização da economia, com o advento das grandes cadeias produtivas globais e o fortalecimento dos valores liberais. Continue lendo “A nova ordem”

Reversão das expectativas

A janela partidária – prazo limite para mudança de legenda para quem vai disputar as eleições – encerra-se em meio a uma importante alteração do quadro eleitoral, quando comparado com o de dezembro. Lá as pesquisas apontavam um derretimento de Jair Bolsonaro, com sua intenção de votos em declínio. Não foram poucas as especulações sobre a possibilidade de vitória de Lula já no primeiro turno, o que levou muitos petistas a subir no salto. Continue lendo “Reversão das expectativas”

Recidiva populista

Está em curso um processo de demonização da Petrobrás por causa de sua política de preços dos combustíveis, alinhados aos preços internacionais. A estatal tem tudo para se transformar na Geni da disputa presidencial, com Jair Bolsonaro e Lula se revezando no papel de críticos contundentes da petrolífera. Em comum, os dois pregam a substituição da atual política pelo represamento de preços. Continue lendo “Recidiva populista”

O Torquemada da Educação

A Educação é, por sua própria natureza, espaço de socialização, convivência e disseminação de valores humanistas. É impossível a escola cumprir seu papel de formar cidadãos e preparar crianças e jovens para um mundo cada vez mais complexo e instável em um ambiente de cerceamento da liberdade de expressão e de cátedra. Continue lendo “O Torquemada da Educação”

A guerra não tem rosto de mulher

 Certamente o deputado Arthur do Val não leu a obra seminal, cujo título tomamos emprestado para este artigo, da escritora e jornalista bielorrussa Svetlana Aleksiévitch, prêmio Nobel de Literatura de 2015. A autora apresenta uma história pouco conhecida: a presença da mulher nos campos de batalha da II Guerra Mundial, pilotando tanques, aviões, baterias antiaéreas e ainda como médicas e enfermeiras. 

Continue lendo “A guerra não tem rosto de mulher”

Vladimir, o Terrível

Há uma figura histórica na qual Vladimir Putin se espelha: Ivan, o Terrível, fundador do czarado e primeiro autocrata a assumir o poder como o Czar de Todas as Rússias, em 1547. Explosivo, paranoico e implacável, Ivan IV – seu nome oficial – inspirava terror a outros povos e à sua própria corte. Continue lendo “Vladimir, o Terrível”

A Ucrânia e a solução Kissinger

A guerra bate à nossa porta com o reconhecimento pela Rússia de províncias rebeldes na Ucrânia (Donets e Luhansk), e a escalada da crise tornou extremamente atual um artigo de Henry Kissinger de 2014. À época, as relações entre os dois países deterioraram-se com a vitória do Euromaidan, responsável pela queda do então presidente ucraniano pró Rússia. Continue lendo “A Ucrânia e a solução Kissinger”

Entre pombos e falcões

Falcões são predadores enquanto pombos se alimentam de frutas, sendo um dos símbolos universais da paz. No contexto político, os “falcões”, diante de uma situação de tensão, especialmente em política externa, tendem a optar por uma retórica agressiva ou por uma solução militar. Na posição oposta estão os “pombos”, favoráveis à resolução de conflitos através negociações diplomáticas. Continue lendo “Entre pombos e falcões”

Degradação acelerada

Já era visível a olhos nus a brutal explosão de moradores de rua nos grandes centros urbanos. Bastava olhar para as barracas instaladas nas praças e calçadas das cidades ou ler os cartazes de papelão – verdadeiros outdoors da fome – expostos nas mãos de pessoas em condições de vulnerabilidade, postadas nos semáforos das avenidas. Ou observar as filas de famílias recebendo “quentinhas”, pratos de comida embalados num pedaço de papel alumínio, distribuídas nas ruas por entidades sociais. Continue lendo “Degradação acelerada”