Livrar o Brasil de Bolsonaro (3)

O desgoverno Bolsonaro propicia a corrupção no seu estrito restrito e também a corrupção em seu sentido amplo de corrosão, erosão, desintegração. Ele degrada todos os princípios da administração pública: transparência, impessoalidade, eficiência, moralidade e legalidade. Ele tenta corroer todos os alicerces do Estado democrático. Continue lendo “Livrar o Brasil de Bolsonaro (3)”

Livrar o Brasil de Bolsonaro (2)

“O governo Bolsonaro não apenas tem corrupção, como os malfeitos florescem na área que deveria ser a prioridade absoluta do País: a educação”, afirmou O Estado de S. Paulo em editorial no dia 11 de abril. “São escândalos que envergonham profundamente o País e confirmam, uma vez mais, o modo como Jair Bolsonaro trata as suspeitas de corrupção no seu governo: até que venham a público, elas são rigorosamente relevadas.” Continue lendo “Livrar o Brasil de Bolsonaro (2)”

Livrar o Brasil de Bolsonaro (1)

Jair Bolsonaro foi eleito em 2018 porque se vendeu como anti-corrupção, anti-aparelhamento do Estado, anti-política tradicional, pró-reformas, pró-privatizações. Nestes três anos e quase quatro meses de absoluto e total desgoverno, a corrupção está mais firme e forte que nunca, as instituições da República foram totalmente aparelhadas, como se fossem apêndices da famiglia presidencial, quem manda é o que de pior, mais podre e mais antigo da política brasileira, o Centrão, as reformas não andaram e nem sequer uma estatal que importa foi privatizada. Continue lendo “Livrar o Brasil de Bolsonaro (1)”

“Lula falou do aborto, e fez bem”

No meio da tarde, rola um debate na CBN sobre o aborto. Quando ligamos o rádio, numa saída de casa para resolver coisinhas e passar na padaria, já estava bem no fim, não deu para gravar o nome das entrevistadas, mas eram duas ou três, todas mulheres, e davam opiniões lógicas, sensatas, apoiadas em números, estatísticas, fatos. Foi na quinta-feira, 7 de abril. Continue lendo ““Lula falou do aborto, e fez bem””

Marina em modo aranhuda

Esta aí é um foto feliz em mais de um sentido. Claro, captou um momento lindo, um momento feliz. A felicidade está aí, visível, óbvia, clara como água de nascente. Vale mais que mil palavras, o que a rigor me complicaria a vida, porque vivi das palavras praticamente a vida inteira, e então, se elas valem pouco, como é que eu fico? Mas isso é tergiversação. Continue lendo “Marina em modo aranhuda”

A música que enfeitiçou uma geração

Desde que li a notícia da morte de Gary Brooker, não paro de ouvir “A Whiter Shade of Pale”, a canção de 1967 que fez um extraordinário sucesso no mundo todo. Seja botando a música para tocar no YouTube na TV, com as imagens na telona e o bom som do aparelhão, seja ela pairando na minha cabeça, quando não há absolutamente nenhum aparelho elétrico-eletrônico ligado. Continue lendo “A música que enfeitiçou uma geração”

O Encouraçado centenário – e um garotão que sabe tudo

Tenho visto no Cine Antiqua do YouTube velhos filmes de Hollywood dos anos 30 a 50, que são minha praia preferida. Gosto de todo tipo de filme, ou quase todo (quase todo, porque há os slasher, por exemplo, e aí não dá pé). Mas de fato os clássicos de Hollywood são os de que eu mais gosto, que a rigor mais me divertem. Continue lendo “O Encouraçado centenário – e um garotão que sabe tudo”

É loucura a Ucrânia resistir. A Ucrânia tem que resistir

Dois bons textos publicados neste dia 1º de março, terça-feira do carnaval que não pôde existir por causa da pandemia, defendem pontos de vista absolutamente, totalmente opostos.

E são, os dois, textos escritos com boa lógica, com bons argumentos. Continue lendo “É loucura a Ucrânia resistir. A Ucrânia tem que resistir”

Faz escuro

É possível que a imagem do russo desviando seu tanque do caminho, propositadamente, para passar por cima de um carro de um civil ucraniano – uma pessoa, um ser humano, um seu semelhante – entre para a História como uma daquelas tristes provas de que a humanidade, afinal de contas, talvez seja mesmo uma invenção que não deu certo. Continue lendo “Faz escuro”

Se você a vir, diga um oi por mim

Você está longe da pessoa que ama demais, desesperadamente; por algum motivo qualquer, não importa saber qual. Você está desesperadamente longe da pessoa que ama demais – e acontece de um amigo seu estar indo para a cidade da sua amada.

E então você pede ao amigo que, por favor, dê um recado a ela. Continue lendo “Se você a vir, diga um oi por mim”