Real 30 anos: o Plano que derrotou a hiperinflação

Só quem hoje tem mais de 50 anos de idade guarda na memória os terríveis tempos em que a hiperinflação era um tormento na vida dos brasileiros. Para as novas gerações fica difícil imaginar como eram aqueles tempos, nos quais as pessoas travavam uma corrida diária e enlouquecedora contra a maquininha de remarcação de preços. Essa era a realidade do Brasil entre os anos 1979 e 1994, quando a inflação crescia, em média, 16% ao mês. Essa marcha da insensatez foi interrompida em 1º de julho de 1994, quando o Real passou a ser a moeda brasileira. Continue lendo “Real 30 anos: o Plano que derrotou a hiperinflação”

Um evento extraordinário

Os dois foram companheiros na oposição à ditadura. Estiveram lado a lado nos palanques pelas diretas-já. Terminado o regime militar, um venceu o outro duas vezes consecutivas nas eleições para a Presidência – e no primeiro turno. Depois, o partido de um derrotaria o partido do outro quatro vezes seguidas nas eleições presidenciais. Foram, portanto, 24 anos de rivalidade entre seus partidos. Continue lendo “Um evento extraordinário”

O dia em Estadão e JT mudaram para a Marginal

O que tem a queda do presidente Bordaberry, do Uruguai, a ver com a mudança de O Estado de S. Paulo? Tem que são quatro e meia da tarde neste sábado de mudanças, e o Estadão está fechando a sua última edição na redação velha, da Rua Major Quedinho. E precisa fechar cedo, para facilitar as coisas. Continue lendo “O dia em Estadão e JT mudaram para a Marginal”

O Congresso não é a cara do povo

O projeto de lei que classifica o aborto como homicídio – até nos casos de crianças estupradas – teve múltiplas serventias. Mexeu com os brios de uma sociedade que parecia apática, determinou o recuo de forças retrógradas e pôs freios no todo poderoso presidente da Câmara Arthur Lira. Mais: derrubou de vez a falácia de que o Congresso é a cara do povo. Não é. Continue lendo “O Congresso não é a cara do povo”

Atriz Atroz!

Nyedja Cristina – esse é o nome da atriz que protagonizou uma das cenas mais grotescas jamais vistas em palcos e, principalmente, no recinto do Senado. Continue lendo “Atriz Atroz!”

Aberrações

Sob uma saraivada de protestos, gritos e vaias nas ruas, o presidente (?) da Câmara Federal e seus asseclas fundamentalistas da bancada do estupro puseram o rabo entre as pernas e saíram de fininho do palco que armaram para criminalizar crianças, adolescentes e adultas que se negarem a gestar fetos de estupradores e abortarem após 22 semanas de gestação. Que lhes sirva de exemplo a paulada que levaram das mulheres e da opinião pública — com os meus votos de que essa escória seja varrida do parlamento nacional em 2026.   Continue lendo “Aberrações”

A encrenca é o governo

A ninguém minimamente responsável interessa o enfraquecimento de um ministro da Fazenda. Quando isso ocorre sempre gera instabilidade ou deságua em crises mais profundas. Nesse sentido, são bem-vindos os movimentos de blindagem do ministro Fernando Haddad, cuja imagem vinha se desgastando por uma série de fatores. Entre eles o fogo amigo do próprio governo e do PT, a devolução, pelo presidente do Senado, da Medida Provisória de restrição de créditos tributários do PIS e Confins, além da mudança, para pior, do humor do empresariado, por desconfiar do compromisso do governo com o equilíbrio das contas públicas. Continue lendo “A encrenca é o governo”

Marcha à ré e na contramão

Ah, o país está mesmo sem freios, e agora, ainda por cima, o pior Congresso, o mais conservador, preconceituoso e ignaro dos últimos tempos ainda tenta usar medidas, projetos, PLs, PECs e pocs contra nósameaçando a ordem democrática como se fôssemos nada, apenas uma massa de manobra, e embora maioria, pessimamente representadas nos Parlamentos e no Executivo. Minimamente no Judiciário. Continue lendo “Marcha à ré e na contramão”

A vida nas alturas

O que dizer de um porto-alegrense que não se molhou na enchente? Sortudo? Esperto? Nada! Tão desafortunado e desinteligente como os demais. A única diferença é que esse porto-alegrense que escapou da inundação, como eu, é que ele não mora nas várzeas, mas nos morros altos da cidade. 

Continue lendo “A vida nas alturas”

O PL do Estupro não vai passar em silêncio

Ainda bem que existe a imprensa. Ainda bem que existe o bom senso, e as organizações e as pessoas – aos milhares – estão botando a boca no trombone, protestando. Ainda bem. Felizmente. Ao contrário do que desejam alguns políticos reacionários, imbecis, hipócritas que usam Santos Nomes em vão, o PL do Estupro não vai passar assim a toque de caixa, silenciosamente. Continue lendo “O PL do Estupro não vai passar em silêncio”

A história se repete

Inescapável comparar os anos 1930 descritos na série Hitler: começo, meio e fim, disponível no Netflix, com os dias atuais. Depois de quase cem anos da ascensão de Hitler ao poder, o mundo vive uma nova recessão democrática, impulsionada pelos mesmos elementos do passado: ultranacionalismo, xenofobia, racismo, intolerância, ódio e lideranças ultrapopulistas e salvacionistas. A Europa, berço do iluminismo, se vê sufocada pelo avanço da extrema direita, como aconteceu na eleição deste final de semana para o Parlamento Europeu. Continue lendo “A história se repete”

PECs e Micos!

Os assuntos mais falados da semana foram – ainda – a PEC das praias, comandada pelo corretor de imóveis Flávio Bolsonaro e o projeto das Blusinhas, como ficou conhecida a taxação sobre os importados. E, por azar do destino, o mico do vereador César Maia, que viralizou nas redes com o vídeo em que ele aparece legislando sentado no vaso sanitário. Continue lendo “PECs e Micos!”