A gloriosa imprensa democrática

Era para ser uma frase de efeito, uma ironia, ainda que sem graça. Mas ao fazer chacota com a “gloriosa imprensa democrática” o presidente Lula perdeu mais uma gloriosa chance de ficar calado. Reeditando as lamúrias de que a mídia não noticia os feitos de sua gestão, Lula zombou do maior valor da imprensa livre e responsável: a firme defesa da democracia, que, sem dúvida, sr. presidente, a faz gloriosa.

Continue lendo “A gloriosa imprensa democrática”

Casos de Família!

Até o ano passado existia um programa na TV com esse nome, Casos de Família. Um talk show apresentado pela jornalista Christina Rocha, totalmente dedicado a exibir barracos armados entre famílias, vizinhos, amantes, pessoas em geral com um podre pra resolver diante de uma plateia, com direito a muita baixaria. Continue lendo “Casos de Família!”

O que é isso, companheiro Lula?

A esquerda está de cabelo arrepiado com a ordem de Lula de proibir seus ministérios de realizar atos para lembrar os 60 anos do golpe de 1964. Grupos de direitos humanos já tinham se sentido incomodados com a declaração de Lula de que 1964 é história e que não quer remoer o passado. O caldo entornou de vez quando o presidente mandou o ministro dos Direito Humanos, Sílvio Almeida, suspender ato programado para 1º de abril. Estava previsto um discurso do ministro, ressaltando a luta dos perseguidos pela ditadura. Inevitavelmente, seria abordada a questão dos mortos e desaparecidos dos tempos do regime militar. Continue lendo “O que é isso, companheiro Lula?”

O que os alienígenas comem?

Um intelectual bolsonarista me revelou que os extraterrestres se alimentam de luz.

Por isto, os patriotas estão agora negociando com eles: oferecem alimento em forma de luz da lanterna de celulares, em troca de intervenção federal intergaláctica, de acordo com o artigo 142 da Constituição do Brasil.

Continue lendo “O que os alienígenas comem?”

Bolsonaro confiava no golpe

Dois dias depois de apresentar aos comandantes militares a minuta do golpe, o presidente derrotado Jair Bolsonaro rompeu o silêncio de mais de um mês. “Vamos vencer”, disse à multidão aglomerada em frente ao Palácio da Alvorada. Era 9 de dezembro de 2022. O Brasil acabava de ser eliminado da Copa do Mundo do Qatar, derrotado nos pênaltis pela Croácia, desempenho comemorado por vários “patriotas” de camisa amarela. O pronunciamento do ex, considerado dúbio à época, tinha, agora se sabe, uma ambição dupla: manter a união dos fiéis e convencer os comandantes do Exército e da Aeronáutica que haviam rejeitado a virada de mesa. Continue lendo “Bolsonaro confiava no golpe”

Um prejuízo de meio bilhão para a Petrobrás. Mais um

A estrepitosa, monumental, vexaminosa interferência do governo Lula na Petrobrás na questão dos dividendos extraordinários dos acionistas acabou ofuscando um outro escândalo. Mais um, entre tantos escândalos que ocorrem na maior empresa brasileira sempre que o lulopetismo está instalado no Palácio do Planalto. Continue lendo “Um prejuízo de meio bilhão para a Petrobrás. Mais um”

A trolha

Agora que a trolha está bem perto, os golpistas estão recorrendo à semântica para tentar escapar da dita cuja. Andam dizendo que golpe é tanque na rua, porque sem tanque na rua não tem golpe. E como não teve tanque na rua, não teve golpe. Continue lendo “A trolha”

Sete Brasil, o fim de um delírio

A descoberta do pré-sal gerou no segundo governo Lula um clima de Brasil Grande Potência. O próprio presidente estimulou a onda ufanista, alardeando que a vasta reserva de petróleo situada na profundeza marítima representava o passaporte para o futuro. Do ufanismo para a megalomania foi um pulo. Nascia a Sete Brasil, empresa fadada, nos planos mirabolantes do presidente, a ser uma “campeã nacional”, capaz de alavancar nossa indústria naval e ser uma das maiores, senão a maior empresa do mundo em quantidade de sondas contratadas. Continue lendo “Sete Brasil, o fim de um delírio”

Uma bela, bela festa

Um discurso firme, duro, a favor da Ucrânia, a nação soberana invadida, atacada, violentada pelo ditador carniceiro do Kremlin. Um ataque firme, duro, ao magnata insano, doente, criminoso, que tem imensas chances de voltar a presidir a democracia que tentou destruir nos seus últimos dias na Casa Branca, incentivando a invasão do prédio do Parlamento – seguido de estrepitosas vaias dos atores, diretores, roteiristas, fotógrafos da Meca do cinema mundial à figura nojenta. Continue lendo “Uma bela, bela festa”

Tarcísio encarna Bolsonaro

O governador de São Paulo Tarcisio de Freitas mudou de estilo e de tom. Em uma só semana, casou três movimentos na mesma direção: vazou sua pretensão – algo que ele nega – de trocar seu atual partido, o Republicanos, pelo PL do padrinho Jair Bolsonaro; enviou para a Assembleia Legislativa um projeto de criação de escolas cívico-militares, tema caro ao público do ex, e abandonou a persona moderada que lhe assegurou trânsito no eleitorado avesso às paixões extremas. Continue lendo “Tarcísio encarna Bolsonaro”

O avesso da pele e a distopia cabocla

Vencedor do prêmio Jabuti de 2021, o mais importante da literatura brasileira, e traduzido em 16 idiomas, o livro O Avesso da Pele, de Jefferson Tenório, é a mais recente vítima da onda distópica que varre o mundo e se instalou no Brasil. Tudo começou quando viralizou nas redes sociais o vídeo de uma diretora de uma escola de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, acusando o livro de conter palavras de “baixo calão”, atentatórias à moral e aos bons costumes. Continue lendo “O avesso da pele e a distopia cabocla”