Estado de golpe

Jair Bolsonaro está vencendo. Tem tido êxito espetacular no seu esforço para estimular desobediência à Justiça, desacreditar o processo eleitoral, desconstruir as instituições e a democracia. Mais do que um golpe pré-contratado para outubro na hipótese de derrota nas urnas, o presidente estabeleceu o “estado de golpe”, cuja vigência acua os demais poderes, atemorizando os que deveriam pôr um ponto final nessa trama de horror. Continue lendo “Estado de golpe”

Livrar o Brasil de Bolsonaro (9)

“É preciso reagir aos crimes de Bolsonaro”, diz, com toda a razão do mundo, o título do principal editorial de O Estado de S. Paulo deste sábado, 7/5. E o editorial já abre dizendo o fundamental: “O Congresso e a Procuradoria-Geral da República (PGR) têm o dever de reagir às ameaças e agressões que Jair Bolsonaro vem cometendo contra a Constituição, a legislação eleitoral e a Lei 1.079/1950 (Lei do Impeachment). Não podem ficar passivos perante tão insistente violência do presidente da República contra a ordem jurídica e o regime democrático.” Continue lendo “Livrar o Brasil de Bolsonaro (9)”

Peixe podre

A inflação está alta porque morreram somente 670 mil pessoas de Covid. Se morressem mais brasileiros e brasileiras não teríamos nem inflação nem a economia estagnada. Chocante? Quem me permite fazer essa conclusão tem ao redor de 30% das preferências do eleitorado para a eleição presidencial de outubro – e este volume de crentes é ainda mais chocante. Continue lendo “Peixe podre”

O silêncio das ruas

As ruas emudeceram neste 1º de maio. Para um país acostumado a ver manifestações multitudinárias, tanto os atos dos bolsonaristas como os dos petistas foram um rotundo fracasso. Os primeiros estiveram bem distantes da manifestação de setembro do ano passado, quando Bolsonaro mobilizou um mar de gente para sua pregação golpista. No outro espectro, os das centrais e do PT nem de longe lembraram outras jornadas do Dia Internacional dos Trabalhadores. Continue lendo “O silêncio das ruas”

De pai pra filho, de filho pra pai

Outro dia vi no Caderno 2 do Estadão que estava estreando um filme sobre Laura Pausini. Não conheço coisa alguma de Laura Pausini, a rigor, mas tenho simpatia por ela, assim, do nada, e então, numa dessas noites em que, depois de ficar escrevendo sobre filmes e bebendo algumas, vou me juntar a Mary na sala e lá procuro músicas ao léu, ao random, ao shuffle no YouTube, caí em Laura Pausini cantando “Strani Amori”. Continue lendo “De pai pra filho, de filho pra pai”

Livrar o Brasil de Bolsonaro (8)

A inflação está em disparada, o acumulado de 12 meses passou dos 12%. A prévia de abril do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 1,73%, a maior alta para o mês desde 1995 e a maior variação mensal desde fevereiro de 2003. Mas Jair Bolsonaro só se ocupa de avançar na escalada contra as instituições. Continue lendo “Livrar o Brasil de Bolsonaro (8)”

Livrar o Brasil de Bolsonaro (7)

Jair Bolsonaro tratou de, em menos de uma semana, dar completa razão ao ministro Luís Roberto Barroso, que havia afirmado, em seminário no último fim de semana, que as Forças Armadas estão sendo orientadas a questionar a lisura do processo eleitoral brasileiro.

Em duas oportunidades o presidente, de viva voz, instou as Forças Armadas a continuar a questionar a transparência da votação eletrônica, sempre “embasando” seu clamor em informações falsas. Continue lendo “Livrar o Brasil de Bolsonaro (7)”

Patacoadas!

Para definir a postura do nosso (nosso por imposição, não por opção minha) presidente em evento recente do qual participou, recorri ao dicionário para pesquisar a primeira palavra que me veio à cabeça: Patacoada. Continue lendo “Patacoadas!”

Um tiro no pé

Mais um tiro do capitão que sai pela culatra. O tal indulto, por motivos pessoais e políticos, é um fragrante de inconstitucionalidade que lhe vai render novas ações no STF e outros pedidos de impeachment na Câmara Federal, além dos 150 e tantos que já tem e o servil presidente da Casa está sentado em cima. Continue lendo “Um tiro no pé”

Livrar o Brasil de Bolsonaro (6)

A imprensa tem cumprido seu papel. Desde o feriado de Tiradentes, quando Jair Bolsonaro fez seu gesto mais ousado contra as instituições após assumiu a Presidência, ao decretar a impunidade do deputado arruaceiro pitbull que o SFT havia condenado – menos de 24 horas antes – a 8 anos e 9 meses de prisão, os grandes jornais brasileiros e o noticiário das emissoras de TV independentes vêem mostrando o absurdo da situação. E feito duras críticas aos atos golpistas do presidente. Continue lendo “Livrar o Brasil de Bolsonaro (6)”

Água na fervura

Nas últimas horas o Supremo Tribunal Federal optou por restabelecer pontes com o Congresso Nacional e o Poder Executivo. A inflexão ajudará a diminuir a temperatura de uma crise institucional com potencial de esgarçar o arcabouço estabelecido pela Constituição de 1988. O Supremo não pode ser parte da crise, até porque é de sua competência a palavra final em matéria constitucional. Não desempenhará seu papel de guardião da Constituição se, em vez de contribuir para a harmonia entre os poderes da República, alimentar o conflito e a discórdia. Continue lendo “Água na fervura”

Sim às câmaras nas fardas

O programa de instalação de câmaras nos uniformes dos policiais militares é uma das várias admiráveis realizações do governo João Dória no Estado de São Paulo. Após o início da implantação do programa, chamado Olho Vivo, em agosto de 2020, a média mensal de mortes causadas por PMs em serviço caiu de 1,07 para 0,16 (85%) nos batalhões que passaram a usar as câmaras. Entre os demais batalhões, a queda foi de 0,28 para 0,18 (35%). Continue lendo “Sim às câmaras nas fardas”

A desgraça da graça

Gênese da democracia, liberdade é valor intrínseco, inegociável. Está na raiz da evolução humana e ilumina o progresso das civilizações. Nestes tempos de Bolsonaro, nunca ela foi tão surrada, deturpada, vilipendiada. Mais do que usá-la para justificar suas ações autocráticas, como o acintoso perdão concedido a Daniel Silveira, a intenção é que a “defesa da liberdade” possa legitimar o golpe, dando guarida à reação armada de segmentos da população contra a eventual – e provável – derrota eleitoral. É isso que está posto, com todas as falas, gestos e modos. Continue lendo “A desgraça da graça”

Livrar o Brasil de Bolsonaro (5): o indulto à arruaça

Até o início desta semana, o ponto mais alto da cruzada de Jair Bolsonaro contra a democracia e as instituições da República haviam sido os discursos golpistas que fez primeiro em Brasília e depois em São Paulo, no dia 7 de setembro. Eram palavras – e ficaram pequenas diante do decreto que indultou o deputado Daniel Silveira nem sequer 24 horas depois de o Supremo Tribunal Federal condená-lo praticamente por unanimidade – 10 votos em 11 – a 8 anos e 9 meses de prisão por ameaças e incitação à violência. Continue lendo “Livrar o Brasil de Bolsonaro (5): o indulto à arruaça”