O advogado do presidente

Primeiro foram as notas de repúdio, que, mesmo duras, pouca serventia tiveram. Demorou, mas a reação à fera que se diverte em ser indomável e destruir tudo o que vê pela frente, sejam pessoas ou instituições, veio. O STF decidiu agir, o TSE idem, o Senado e a Câmara, mesmo que tardiamente, também. Só a chefia da PGR, na contramão de muitos dos procuradores, fingiu que nada tinha a ver com isso. Continue lendo “O advogado do presidente”

Impeachment é pouco. Tem que prender

Que Jair Bolsonaro mente, falseia, engana, isso é plenamente sabido. Disso até as emas do Palácio da Alvorada – pobres emas! – estão cansadas de saber. Mesmo assim, as duas revelações que vieram a público nesta sexta-feira são chocantes. Demonstram, da forma mais cabal possível, que o presidente da República não é apenas um mentiroso contumaz: é um criminoso. Continue lendo “Impeachment é pouco. Tem que prender”

Patetadas!

Numa tentativa de intimidar os deputados no dia em que iriam votar a PEC do voto impresso, seu sonho de consumo, Jair Bolsonaro resolveu passar um micão e promover um desfile de tanques de guerra para fazer fumaça. Nesse caso, literalmente. Pelo menos um dos veículos soltou muita fumaça escura, o que gerou um monte de comentários e de memes por parte dos internautas. Continue lendo “Patetadas!”

O dia da vergonha – e da derrota

 

“No dia em que o presidente Jair Bolsonaro promoveu uma das cenas mais ridículas da História do Brasil pelo menos desde a redemocratização, com um anacrônico e acabrunhado desfile de sucatas militares sobre o Eixo Monumental, em Brasília, o Congresso lhe deu duas respostas de que não aceitará mais essas manobras antidemocráticas.” Continue lendo “O dia da vergonha – e da derrota”

Do bico de pena ao voto eletrônico

O Brasil percorreu uma longa trajetória até contar com um sistema de votação que hoje é referência mundial e plenamente confiável. Com o advento da República, ficou para trás o voto censitário do Império. Até então só tinha direito ao voto quem comprovasse determinada condição financeira. A Constituição de 1891 assegurou o voto universal masculino, estendido a maiores de 21 anos, excluindo-se analfabetos e mulheres, ou seja, a maioria dos brasileiros. Continue lendo “Do bico de pena ao voto eletrônico”

Divagações sobre as tentações do poder

Nesta vida, a pessoa precisa se preparar para o longo prazo. Especialmente se tiver um cargo de destaque, como o de presidente da República. Veja o Evo Morales, na Bolívia. Venceu as eleições, fez um bom governo, foi reeleito. Muito justo. No entanto… terminado o segundo mandato, forçou a barra e conseguiu um terceiro, não previsto em lei. Acabou renunciando, para não ser apeado do cargo. Justíssimo. Continue lendo “Divagações sobre as tentações do poder”

O dedo de Lira

Obsessão deletéria do presidente Jair Bolsonaro para semear dúvidas sobre a lisura do processo eleitoral, justificar e incitar os seus fiéis diante de sua provável derrota em 2022, o voto impresso teve seu pré-sepultamento anunciado na sexta-feira pelo presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL). Por sua vez, no Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) tratou de jogar uma pá de cal em outra bizarrice: as danosas mudanças no sistema eleitoral. Duas excelentes notícias resultantes de cálculo político após forte pressão. Continue lendo “O dedo de Lira”

Impeachment, urgente

“Jair Messias Bolsonaro é um presidente contra a Constituição. Comete desvarios em série na sua fuga rumo à tirania e precisa ser parado pela lei que despreza.” Por isso, “a deliberação sobre os pedidos de impeachment torna-se urgente”. Continue lendo “Impeachment, urgente”

O Plano Cohen de Bolsonaro

Governantes de índole totalitária não mentem de maneira desavisada ou inocente. Há sempre um objetivo por trás de suas falácias. Em 1933 o Reichtag (parlamento alemão) foi incendiado por um jovem holandês. Adolf Hitler acusou os comunistas, que nada tinham a ver com a história, e aproveitou o episódio para adquirir poderes absolutos. Um ano depois Josef Stalin usou o assassinato de Serguei Kirov, também um ato isolado, para dar início ao Grande Terror e à farsa dos processos de Moscou. Continue lendo “O Plano Cohen de Bolsonaro”

O Filhote. Capítulos X a XII

CAPÍTULO X – O GALO VOADOR

Certa vez Marcílio resolveu pegar um ovo e botar no meio dos que uma pata começara a chocar. Nem bem nasceu e foi rejeitado. Motivo havia: se recusava a atender aos quac-quac da mãe adotiva e a acompanhar os patinhos quando eles pulavam na água do riacho que corria atrás da casa. Colocado de lado, passou a ser criado por Marcílio e Idalina e, com o tempo, como que se transformou num membro da família. Continue lendo “O Filhote. Capítulos X a XII”

Redes não bastam

A já sabida inexistência de provas de fraude nas urnas eletrônicas, a repetição da falácia de que o STF o impediu de agir contra a pandemia e outras tantas mentiras ditas seguiram o padrão de sempre. O que surpreendeu na live de quinta-feira de Jair Bolsonaro foi a alteração do figurino, desta vez incluindo 25 jornalistas que, mesmo impedidos de perguntar, ou seja, de exercer seu dever de ofício, deram publicidade à patética narrativa do presidente. A novidade expôs o esgotamento do modelo da transmissão semanal de suas baboseiras ao público cativo das redes sociais. Continue lendo “Redes não bastam”