Dinheiro pelo ralo

Com 23.818 habitantes, Novo Aripuanã, cidade encravada na mata com orla para o Rio Madeira, é apenas mais um dos frequentes casos de descaso com o dinheiro público. Por lá, o prefeito achou por bem pagar R$ 286 mil em cachês para dois artistas, valor que supera a metade dos R$ 531 mil que a União empenhou emergencialmente para o município devastado pela pior seca já registrada no Amazonas desde 1902, quando as medicões começaram a ser feitas. Continue lendo “Dinheiro pelo ralo”

Nem conservador, nem progressista

Dá-se como certo que o Brasil é majoritariamente conservador e até moralista. Que repudia a descriminalização do aborto, o uso recreativo da maconha ou a união homoafetiva, questões associadas à progressistas. Uma visão distorcida que ganhou mais vigor nos tempos do ex Jair Bolsonaro. A realidade é bem outra. Como na política, há tempos polarizada, também nos costumes o Brasil é um país dividido ao meio.  Continue lendo “Nem conservador, nem progressista”

Por trás da crise com o Supremo

Muito se fala – e muito ainda vai se dizer – de crises entre o Congresso e o Supremo Tribunal Federal, contendas que teriam origem na composição mais conservadora do Parlamento versus o progressismo da Corte maior. É mais do que isso. Além dos interesses econômicos, óbvios no caso do marco temporal para delimitação de terras indígenas, por trás do brio ferido da Câmara e do Senado com decisões recentes do STF está a ávida corrida da direita em dar fôlego às pautas de costumes que, com o ex Jair Bolsonaro abatido, teriam o condão de manter a tropa unida. Continue lendo “Por trás da crise com o Supremo”

Salve Rosa!

Pode até ter sido mais um atropelo da Suprema Corte ditado pela inoperância do Legislativo, mas o voto da ministra-presidente do STF Rosa Weber sobre a descriminalização do aborto é absolutamente irrepreensível. Nos argumentos quanto à constitucionalidade, na análise do mérito, no enfrentamento de uma questão que aflige milhões de mulheres e há décadas o país empurra com a barriga. Continue lendo “Salve Rosa!”

Outros atentados à democracia

Pode-se até discordar da dosimetria das penas, mas a condenação dos primeiros réus do 8 de janeiro foi precisa e didática. Prevaleceu o entendimento de que a democracia é valor supremo do país, não havendo, portanto, espaço para atentar contra ela. Ainda assim, nós na garganta impedem que se comemore. Firme na reação ao golpismo, o tripé institucional – Justiça, Executivo e Legislativo – tem falhado feio, minando a democracia que diz defender.    Continue lendo “Outros atentados à democracia”

A vil moeda de Lula

Alguns chamam de pragmatismo ou realpolitik. Outros pegam até mais leve, tratando a prática como se o toma lá dá cá fosse um balé necessário à governabilidade. Balela. Ceder ministérios e até criá-los para satisfazer a sanha de políticos inescrupulosos na vã esperança de obter maioria parlamentar é compra de votos. Simples assim. Tão deletéria quanto os escandalosos mensalão, utilizado à larga no primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ou orçamento secreto, sacramentado pelo ex Jair Bolsonaro. Continue lendo “A vil moeda de Lula”

Independência sem morte

Não há convocação para uma nova “festa da Selma”, senha utilizada nos grupos bolsonaristas para o 8 de janeiro, nem se tem notícia de caravanas seguindo para Brasília. Mas a movimentação entre os apoiadores do ex se intensifica com a proximidade do 7 de setembro. Ainda que divididos entre a ativação popular, com a assinatura “será gigantesco”, e o “fique em casa”, tentativa de esvaziar as comemorações da Independência, todo cuidado é pouco. Até porque essa turma já demonstrou a capacidade que tem de incendiar o país. Continue lendo “Independência sem morte”

Lula e a toga conservadora

A grita da esquerda em geral e de petistas em particular à postura do ministro Cristiano Zanin nas primeiras votações no Supremo – foi contra descriminalizar o uso pessoal da maconha e a equiparar homotransfobia a injúria racial -, não é apenas inócua, mas descabida, visto que as posições dele não deveriam causar qualquer surpresa. Inebriados com a indicação que o presidente Lula fez de seu advogado, progressistas nem deram bola para o pensamento retrógrado de Zanin, que ao ser sabatinado na Comissão de Constituição e Justiça do Senado não escondeu seu perfil tradicionalista, anti-drogas e anti-aborto. Agora, com o leite derramado, nem o choro salva. Continue lendo “Lula e a toga conservadora”

Cidadão do mal

A omissão – e até estímulo – de integrantes da cúpula da Polícia Militar do Distrito Federal (PM-DF) diante dos ataques golpistas do dia 8 de janeiro; policiais que atiram para matar bandidos e inocentes; um pai que aponta sua arma para professoras acusando-as de promover ideologia de gênero. Os eventos, aparentemente desconexos, giram em torno da influência perversa do bolsonarismo na sociedade. Não só sobre os fardados, mas também dos que o ex costuma chamar de “cidadão de bem”.   Continue lendo “Cidadão do mal”

Jóias de Bolsonaro ofuscam Lula

A data, escolhida a dedo – 11 de agosto, dia simbólico para a democracia -, e o local, o Rio de Janeiro, base eleitoral do ex Jair Bolsonaro, onde foi montado um palanque amplo e diverso, que ia da direita à extrema esquerda. Tudo imaginado para ser um arrebatador sucesso. Só não dava para prever que o lançamento do Novo PAC, definido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva como o início de seu terceiro mandato, fosse ofuscado pelas jóias das Arábias – e todo o enredo ultrajante e repugnante que as cercam, incluindo cenas de pastelão. Continue lendo “Jóias de Bolsonaro ofuscam Lula”

Ao sabor dos ventos

Houve um tempo em que o movimento das nuvens servia para exemplificar as mudanças políticas, como bem definiu o líder udenista e ex-governador de Minas Magalhães Pinto. Hoje, a metáfora não se aplica apenas à política: a Justiça é como nuvem. “Você olha e ela está de um jeito; olha de novo ela já mudou.” Com acusações formuladas de acordo com os interesses do denunciante e entendimentos jurídicos que mudam ao sabor da conveniência, o país vive engasgado entre heróis e bandidos que invertem de posição da noite para o dia. Continue lendo “Ao sabor dos ventos”

O balcão da Esplanada

O acertadíssimo reforço do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à ministra da Saúde Nísia Andrade – “Tem ministros que não são trocáveis” – pode ter efeito contrário ao pretendido. Se por um lado Lula deixou clara sua indisposição de ceder à pressão do Centrão nas áreas sociais, por outro escancarou os demais setores do governo à cobiça dos políticos do União Brasil, Republicanos, PP e até do PL do ex Jair Bolsonaro. Resultado: o loteamento dos “trocáveis” está acelerado. Continue lendo “O balcão da Esplanada”

A política venceu

Nem fácil, nem barata. A reforma tributária aprovada pela Câmara dos Deputados na semana passada não é a dos sonhos de ninguém, e sim a possível. Teve idas e vindas, ameaças, brigas e caras feias, perdas e ganhos, e até concessões absurdas, como a dada às organizações religiosas. Mas fora o ex Jair Bolsonaro, que se auto-derrotou mais uma vez, o país venceu. A política venceu. Continue lendo “A política venceu”