Marina em modo espectadora

2016-05 - Marina dia 19 - Foto Fê - Corte - 720

Marina hoje estava ainda mais doce do que o normal, se é que isso é possível, e especialmente – como dizer? – espectadora, admiradora da arte que fazem para nós, os filmes, a música, a dança, os shows. 

Bem cedinho, a mãe nos mandou duas fotos dela, ainda de pijaminha, sentada no chão da sala, junto da parte da estante vermelha em que ela guarda seus DVDs – segurando nos braços uma grande penca deles! Metade do rostinho lindo ficou escondido atrás dos suportes físicos. Só dos olhões belíssimos para cima era visível o rostinho maravilhoso.

Fiquei absolutamente encantado com a foto, e quis logo postar no Facebook com a legenda “Aprendiz de cinéfila”.

***

Fazia tempinho que não passávamos na escolinha para trazê-la para casa, e nesta quinta tínhamos combinado com a mãe que faríamos isso.

Saiu da escola com a cara com riscos de tinta que a transformavam em onça e tagarelinha como poucas vezes eu tinha visto. Queria contar como tinha sido a brincadeira de pega o macaco já de imediato – e tive que pedir pra ela esperar um pouquinho para ela contar também para a vovó. Assim que viu a Mary sentada ao volante, começou de novo a contar, e tive que interromper de novo, pedir para contar só quando estivesse sentada na cadeirinha.

Contou, longamente, com detalhes. Era a brincadeira de pega o macaco. A Raquel tinha poderes de pajé e podia fazer as pessoas virarem bicho, e fez Marina virar uma onça… A brincadeira incluía uma música, uma antiga canção infantil que Mary conhecia (e eu não) que fala de selva, índios, Tupã, tabajara…

Quando chegamos em casa, ao contrário do que faz sempre, não foi entrando para o quarto que que foi da mãe para pegar algum brinquedo. Na sala, olhou para a pilha de DVDs e CDs que são os dela, e perguntou qual era aquele amarelo. Coloquei a pilha em cima da mesa de vidro da sala, para ela ver. Interessou-se pelo Carnaval do Palavra Cantada, que conhece muito bem, mas logo em seguida disse que queria ver o DVD da Fortuna, Tic Tic Tati, o show gravado no Teatro Anchieta, com textos da Tatiana Belinky e músicas do Hélio Ziskind.

Interessante, porque aqui, pelo menos, só tinha visto uma música desse DVD, tempos atrás, e nunca mais voltou a falar dele.

Nossos DVD e CD players da sala estão todos quebrados, e Mary argumentou que ainda não era hora de DVD. Negociamos com ela para ouvir o Carnaval do Palavra Cantada, e fui pôr no meu computador, no escritório. Como as telas têm essa capacidade de atrair a atenção das crianças, ela pediu para sentar no meu colo diante da tela nova – e bem grande – do computador. Ficou observando uns minutinhos a tela com o iTunes – e aí a Mary, rápida e esperta, apareceu com umas figurinhas para ela colar.

Daí a pouco desencanou da tela. Brincou com um presente novo, um brinquedinho de madeira com uma família de ursos e diversas roupinhas para as diferentes ocasiões. E em seguida tivemos uma sessão de esconde-esconde deliciosa e bastante longa.

***

Já tínhamos brincado bastante de esconde-esconde, e o CD Carnaval do Palavra Cantada já tinha acabado fazia tempo, quando, numa brecha entre uma escondida e uma procurada, entrei rapidinho no escritório e peguei o primeiro suporte físico à vista, exatamente o DVD da Fortuna, e botei pra tocar, pensando só no fundo musical.

Mas aí, na vez seguinte em que passou pelo corredor com a avó para procurar o avô escondido, Marina olhou para dentro do escritório – e viu a Fortuna na tela! Disse pra vó que queria ver a Fortuna. – “Mas nós estamos brincando de esconde-esconde! Temos que achar o vovô. Vamos achar o vovô!”

Ela topou, e as duas me acharam sem dificuldade. Mas a essa altura tinha desistido do esconde-esconde e queria ver o DVD da Fortuna!

Mary tentou argumentar que DVD é depois do jantar. Acabamos negociando: eu ficaria com ela para ver uma música enquanto a vovó aprontava o jantar.

Coloquei Marina sentadinha na minha poltrona.

Voltei o DVD para o início. Abre com “Lindo Balão Azul”, música que ela conhece bem.

Marina, sentadinha na minha poltrona do escritório, crizou as perninhas e botou cada mãozinhas num dos braços, recostou-se e ficou vendo Fortuna e grupo, com aquela atenção absoluta com que vê DVD – completamente absorta, mesmerizada, longe deste insensato mundo.

Coisa mais linda que há.

A avó chamou, ela jantou maravilhosamente bem.

E depois do jantar voltamos para o escritório para continuar vendo o DVD.

Absorta. Prestando a maior atenção do mundo.

Marina em dia especialmente espectadora.

Curtiu música, dança, show gravado em teatro. Mas não perguntou nada sobre Ministério da Cultura. Acho que Marina está cansada de saber que secretaria ou ministério dá na mesma, esse assunto é só penduricalho bobo, como bem disse a Maria Helena. Conversa pra boi dormir.

zzzzzz 2016-05 - Marina dia 19 - Foto Mary

19/5/2016

A foto do alto é de Fernanda Vaz. Essa logo acima é de Mary Zaidan. 

6 Comentários para “Marina em modo espectadora”

  1. Bom Servaz
    O futuro nos reserva novos tempos. Minha esperança retornará, outra vez, como presidenta. Vovô sorrirá ao meu lado, sentados numa nuvem, à esquerda da utopia.

  2. Marina cada vez mais fofa (super compenetrada vendo o DVD) e vovô cada vez mais babão.

    Bem-vindo ao mundo das telas grandes de computador. o/

    (Pergunta que não quer calar: se os aparelhos da sala estão quebrados, vocês estão filme no computador? No lo puedo creer!).

  3. Garanto que ela nem pisca durante o filme. Avô Sergio, será que ‘Branca de Neve e os 7 anões’ ainda não é para a Marina? Como foi o primeiro filme que eu vi, aos 4 anos, e como acho que as crianças de 4 anos do meu tempo correspondem às de 1 de hoje em dia…
    Um beijo nessa espectadora tão linda!
    MH

  4. Pretendo apresentar “Branca de Neve” para ela o quanto antes, Maria Helena! E vou dar o beijo daqui a pouquinho: a mãe está trazendo ela para cá…

    Jussara, nesses dias de DVD player quebrado, temos visto filmes no Now…

    Um abraço para as duas e para o Miltinho.
    Sérgio

  5. Acho Branca de Neve uma verdadeira obra-prima, inigualada até hoje. Como desenho animado, só talvez Fantasia se aproxime da Branca de Neve.
    Acho que a Marina vai cair de amores pelos anões. Do Mestre ao Dunga, são todos sensacionais!
    Depois me conte o que ela achou e se teve medo da rainha má.
    bj,
    MH

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.