Marina curte foto

2015-05 - Marina dia 29 - P1160974 corteDa agenda do vô:

Hoje reparei uma pequenina novidade que se estabelece como padrão: Marina agora pede para ver as fotos que a gente faz dela.

Já tinha pedido uns dias atrás. Hoje pediu de novo, e duas vezes, a primeira no parquinho, já reaberto, e que está tendo uma bela revitalização com uma pintura coloridíssima da parede de separação para o conjunto de prédios da Homem de Mello, e a segunda na casa dela, depois que comecei a fazer fotos dela no cadeirão – na sala, porque domingo o jantar pode ser na sala.

“Quero ver!”

Marina é sempre doce, mas é também bastante assertiva ao fazer pedidos, que às vezes soam como ordens. As crianças são assim, mesmo as mais doces.

(No clichê acima, de autoria da Cláudia, o avô demonstra para Marina como é absolutamente sem jeito com as câmaras, coitado, ele que tanto admira a fotografia e o cinema…)

Esse é um detalhe absolutamente fascinante, entre tantos os pequenos detalhes que a gente pode perceber quando acompanha o desenvolvimento de uma criança amada. Outro dia teve o detalhe – observado pelo Carlos, para o qual eu não havia dado a devida atenção – de estar colorindo pontos específicos dos desenhos de revistas para colorir, e não mais aleatoriamente. Coloriu os olhos dos bichinhos, especificamente, o que mostra que está focando, está fechando o foco. O pai artista gráfico sacou perfeitamente a importância daquilo; eu só compreendi depois que ele me chamou à atenção.

Agora, aos 2 anos e ainda não 3 meses completos, já não apenas tem compreensão do que é a fotografia, mas expressa o desejo de ver o que foi fotografado.

Não dá, é claro, pra gente datar uma coisa dessas – é um processo, tudo é um processo. Mas essa coisa não teria, creio, mais de um mês. Acho que dá para registrar aqui que, aos 2 anos e 2 meses, Marina passou a pedir para ver as fotos que a gente tira dela.

Ainda bem que Marina é da era digital. Imagina se a mãe dela, aos 2 anos e 2 meses, em setembro de 1977, me dissesse, após eu fazer fotos dela: “Quero ver!” Eu teria que comprar uma Polaroid! As fotos da Fernanda feitas na minha Olympus OM1, tadinhas, levavam às vezes semanas para se transformarem em objetos visíveis.

Bem, as fotos de hoje muitas vezes não chegam a virar propriamente objetos, mas são visíveis. Marina pode vê-las no ato, de imediato.

De qualquer jeito, o ato e o fato são que, aos 2 anos e 2 meses, Marina começou a pedir para ver as fotos que a gente faz dela.

Também não começou agora, tudo é processo, mas ao longo das últimas semanas tem se estabelecido como padrão que Marina tem interesse em olhar fotos. Andou olhando o álbum que dei de presente para a mãe dela no Dia das Mães, um álbum, modéstia às favas, escandalosamente belo, com fotos de Marina com a mãe, com a abuelita, com a avó, com a Bisa, mais fotos de Fernanda criança com a mãe, a mãe da mãe com a Bisa, tudo quanto é mãe com filha, e então como é que é mesmo?, perguntava Gonzagão pro Gonzaguinha, de pai pra fio?

Outro dia, ela dando uma passada aqui em casa, mostrei pra ela albinho que preparei para os 80 anos da avó da Fê, a Bisa dela, Dona Diva, a primeira das minhas três sogras, mãe da Suely. Olhou, prestou atenção.

Tentando justificar sua ausência nos dias seguintes, Mary insistiu muito com ela, disse e repetiu várias vezes, dias atrás: “Vovó está indo para a Holanda”. Marina repetiu a frase, gravou. (Às vezes Marina repete a frase que a gente diz pra ela. É um doce, uma maravilha.)

Fêzinha mostrou para ela foto de Mary e da Dona Lúcia em Amsterdã e Marina não teve dúvidas: “Vovó e Bisa na Holanda”.

Marina, 2 anos e ainda nem 3 meses, curte foto. (Esta aí foi uma das que ela pediu pra ver na máquina.)

P1170031

7 de junho de 2015

P.S.: Ahn… Não tem nada a ver com o tema do post, mas gostaria de registrar assim mesmo: hoje, enquanto atravessávamos a rua, entre o estacionamento e o prédio dela, Marina ficou fazendo carinho na barba do avô. 

Ah, meu Deus do céu e também da terra… 

4 Comentários para “Marina curte foto”

  1. Vejam, meus amigos. O vovô coruja agora anda com equipe para fazer fotos dele com a netinha (tão doce). No crédito, faltou pôr: Cláudia, especial para o 50 Anos de Texto.

  2. Boa a foto ilustrativa, perfeito o enquadramento, com respeito a careca e cotovelos do vozão babão com razão.

  3. Aí, Marina! Gostei do cuidado com a imagem! Mas quando é o vovô, fica fria: além de excelente fotógrafo, o amor que ele tem por você faz dele um novo Cartier Bresson!
    E eu aproveito para te enviar uma beijoca. MH

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.