Nós destruímos o Parlamento

1988:

Ulysses Guimarães. Mário Covas. André Franco Montoro. Fernando Henrique Cardoso. Fernando Gabeira. José Serra. Geraldo Alckmin. Luís Eduardo Magalhães. Jarbas Passarinho. Sandra Cavalcanti. Cristina Tavares. Euclides Scalco. José Richa. Beth Mendes. Fábio Feldman. Severo Gomes. Fernando Lyra. Florestan Fernandes. Roberto Campos.

2013:

Renan Calheiros. Henrique Eduardo Alves. Sandro Mabel. Valdemar Costa Neto. Anthony Garotinho. Cândido Vaccareza. Carlos Zarattini. Zeca Dirceu.

E quem mais mesmo?

É. Nós, os brasileiros, nos ferramos. Num curtíssimo intervalo de 25 anos, conseguimos a proeza de transformar o Parlamento em esgoto.

1º de fevereiro de 2013

Em mensagem para mim, meu amigo Valdir Sanches lembra que não incluí Jáder Barbalho, Anthony Garotinho, Severino Xique-Xique, Sarney, Roseana, Paulinho da Força, sem se falar nos mensaleiros. Mas ele mesmo lembra que “mesmo com todo o espaço oferecido pela internet não dá para colocar todos”.   

 

2 Comentários para “Nós destruímos o Parlamento”

  1. E mais:Aécio Neves ;Aloysio Nunes ;Alvaro Dias ;Cássio Cunha Lima ;Cícero Lucena ;Cyro Miranda ;Flexa Ribeiro ;Lúcia Vânia ;Mário Couto ;Paulo Bauer ;Ruben Figueiró e ainda
    Jorge Viana (PT)
    Petecão (PMN)
    Benedito de Lira (PP)
    Renan (PMDB)
    Eduardo Braga (PMDB)
    Vanessa Grazziotin (PC do B)
    Randolfe (PSOL)
    Gilvam Borges (PMDB)
    Walter Pinheiro (PT)
    Lídice (PSB)
    Eunício (PMDB)
    Pimentel (PT)
    Cristovam Buarque (PDT)
    Rollemberg (PSB)
    Ricardo Ferraço (PMDB)
    Magno Malta (PR)
    Demóstenes Torres (DEM)
    Lobão (PMDB)
    João Alberto (PMDB)
    Itamar Franco (PPS)
    Delcídio (PT)
    Moka (PMDB)
    Blairo Maggi (PR)
    Pedro Taques (PDT)
    Marinor Brito (PSOL)
    Vitalzinho (PMDB)
    Wilson Santiago (PMDB)
    Armando Monteiro (PTB)
    Humberto Costa (PT)
    Wellington Dias (PT)
    Ciro Nogueira (PP)
    Gleisi (PT)
    Requião (PMDB)
    Lindberg (PT)
    Marcelo Crivella (PRB)
    Garibaldi Alves Filho (PMDB)
    José Agripino (DEM)
    Valdir Raupp (PMDB)
    Ivo Cassol (PP)
    Romero Jucá (PMDB)
    Angela Portela (PT)
    Paim (PT)
    Ana Amélia Lemos (PP)
    Luiz Henrique da Silveira (PMDB)
    Eduardo Amorim (PSC)
    Valadares (PSB)
    Marta Suplicy (PT)
    João Ribeiro (PR)
    Marcelo Miranda (PMDB)

    A culpa é nossa? Em 1988 eramos úteis e acreditávamos na constituinte. Hoje nos transformamos em “imbecis” que ainda acreditam na utilidade do voto. Legitimamos um parlamento lobista e aprovador de “medidas provisórias”. Aprovação mediante negociação de emendas e mensalões. Tudo em nome do povo e para o povo.
    Enquanto a sociedade não fizer a reforma política, na marra, continuaremos sendo os culpados pelas mazelas do parlamento.

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.