Carnaval by Fábio De Domenico

Pois é, pessoal, mais um carnaval chegando. Tenho boas lembranças de feriados prolongados da época em que eu surfava, mas do carnaval não posso dizer o mesmo.

Imagine um filme musical. Nada mal, né? Mas que o roteiro inclua alguns sórdidos ingredientes. Muito calor, rodovias entupidas de carros, fila de pedágio com tempo suficiente para vender um imóvel à família do carro ao lado – creio que até casamento se fez ali , aglomeração de pessoas em qualquer lugar, falta de vaga para estacionar, pernilongos e borrachudos ávidos por new blood, praia cheia de sujeira, fila na balsa às 6 da manhã e os comerciantes da Baixada com suas matemáticas ultra aritméticas – PÍ sobre 10 x 1 (noves fora) igual a… Traduzindo: 10 pãezinhos a 1 real cada,  total R$ 14,30. Tem troco para R$ 23? Not at all.  Então leva em bala Juquinha. E o pior, sem ondas! Nunca tinha onda no carnaval. Ficava naquele cativeiro dos infernos indo de uma praia a outra atrás de onda e nada… Foram vários anos e litros de gasolina que perdi assim.

Nunca fui de ver TV, ainda mais na praia, mas nos poucos momentos que a TV rolava eu tinha um sentimento angustiante conforme as pessoas eram entrevistadas. Tipo o Red Carpet:  Está vestindo quem? Zorba. E você? Jontex. E ela? Nada, só a sandália que é Melissa, má num tô gostando, pega muita pedra na sola, sabe, gentí?

Sem ondas e diante da TV, fui ficando deprê acompanhado dos meus verdadeiros parceiros, os pernilongos (os outros eram apenas amigos de viagem). Eu ficava pensando em minha vida e conclui. Esse tal Darwin era um tremendo otimista, falar em evolução da espécie??  Eu penso que nos últimos 200 anos tivemos o maior declínio mental e incapacitação artística da era. Traduzindo para mocinha da TV – emburrecimento. Dessa forma decidi, e sem falar com o gerente, dar um desconto ao Darwin, afinal era apenas uma “teoria”, como ele mesmo denominou.

Um fato que sempre me intrigou foram os enredos das escolas de samba. De onde eles tiram tanta criatividade para homenagear fatos inesquecíveis da nossa vida?

A Unidos dos Padres Dependentes vai homenagear a roda gaúcha do Opala 72 ou o Vicente Feola da Copa de 58, ou ainda os pelicanos rosa que voam para o Sul no inverno, o refrão dizia – afinal, se fossem andando levariam muito mais tempo –  O oo aiô. Atenção ao compasso para não descaracterizar a obra.

Outro fato que sempre me chamou a atenção era o critério de notas dos juízes das escolas de samba, ou os caras tinham um rifle de 2 canos apontado para cabeça deles ou comeram cocô e saíram na garoa.

Eu, que sempre acompanhei programas suicidas como o Red Bull Dive Cliff, em que os mergulhadores se atiram de uma plataforma montada em algum penhasco “criteriosamente” escolhido pelo mundo, dando 28 giros e que se fizer uma entrada infeliz na água, pode saltar a órbita dos olhos ou ficar quintoplégico. Ou as etapas de surf de Pipeline e Teahupoo, em que ondas maciças de quase 10 metros, que viram da base deixando praticamente o fundo de coral exposto, ou mesmo o X-Games. Isso sem contar os atletas olímpicos que correm, saltam, pingam e giram no ar, porém se pisar fora da linha na aterrissagem, como nos “esportes” acima, recebem notas que variam entre 3,6 – 4,8 – 5,1. Se sair um 6,7 o cara é Deus!

Agora voltando às Samba Schools, vejo uns caras corpulentos pesando uns 120 k, mais suados que tampa de cuscuz, embrulhados em trajes de poliéster colorido, que ficam com os dedos indicadores apontados para cima cantando a musiquinha tema, sacolejando e acompanhando o caminhão da cerveja, e pasme, a avaliação deles por executarem essa insana e arriscada aventura são 9,97 – 9,98- 10 – 10-10 Isso para todas as finalistas.  E a galera ainda grita HUUUUU. Tipo melhora isso, irmão, tá muito baixo. Eles são irretocáveis ou você não viu? Chegam a atirar cadeiras como insatisfação!!

Outra fase boa foi quando eu morei em frente ao Clube Atlético Ypiranga. Começava a música na matinê da sexta-feira e ia até o sábado de Aleluia. Como o salão não tinha ar-condicionado eles abriam todas portas para a rua. Que época gostosa! No 10º andar parecia que estavam na minha sala. Sem contar os hits contagiantes dos anos 90. Lembro de uma que era assim: Aê, ê êê ê ê êê êê, Aê… e assim ia. Lembrei agora do Compadre Washington bravo com as Sheilas. Elas driblam bem com o traseiro, mas não decoram as letras pô!

A letra é Ê, e period!

Mas a gente não deve se abater e deixar de sonhar. Na época eu tinha o sonho de um dia ter bastante grana para montar uma clínica que me colocasse em coma induzido até o outro domingo and mark my words! Ia virar franquia e hoje estaria rico. Pode ter certeza.

Quanto ao filme musical, dei meu spoiler, mas eu não recomendaria a trilha sonora. Garanto que seria a pior soundtrack de todos os tempos!

Enfim… Aproveite seu carnaval com moderação, sem xixi na rua, nem na geladeira achando que é o banheiro porque tem porta e luz.

E ainda, para fechar o circuito…

Não se esqueça no sábado de gritar a plenos pulmões: ALELUIAA, ACABOUUUUUU.

Fevereiro de 2022

8 Comentários para “Carnaval by Fábio De Domenico”

  1. Fábio De Domenico, esse vc se superou, um dos melhores textos que já li, parabéns!
    Entraria de sócio no projeto da clínica para induzir ao coma…

  2. Sensacional!!!! Adorei!!!!
    É para os “amantes do Carnaval “ com certeza!

  3. Excelente texto, nada como estar lendo ele de casa no ar condicionado hahahahaha a comparação com as notas da escola de sambo foi a melhor!!!

  4. Sensational, Fabio! Eh isso mesmo, kkkkk! Tive a honra de ser da sua turminha na infancia e adolecencia no Ipiranga, mas nao sabia que voce escrevia tao bem. A aptidao a comedia, ja conhecia, pois so tinha figura e mala-sem-alca naquela epoca. Grande abraco! (Sorry for the typos)

  5. Fábio De Domenico, esse vc se superou, um dos melhores textos que já li, parabéns!
    Entraria de sócio no projeto da clínica para induzir ao coma…
    Abs

  6. Demais Fabião!!!! Conseguiu expressar o sentimento de muitos, o sonho da abdução no carnaval permanece kkkk Apuração de escola de samba parece NERDS recebendo a nota da prova, tira 9.8 e reclama….

  7. Fábio, muito bom.
    E bem isso as notas dos jurados para as escolas de samba. Matemática subjetiva kkkkk.
    Felicitações pelo texto, boas lembranças da juventude.

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.