Capitão Corona no ataque

O Capitão Corona segue em sua rotina de favorecer o vírus da pandemia em viagens pelo País. Durante este 2020, adotou a prática em viagens a 35 cidades de 10 Estados, descontadas as vezes em que agiu sem sair de Brasília.

A performance é a mesma, registradas em lives. Na contramão dos cuidados recomendados, o capitão mistura-se a apoiadores e curiosos, todos de alma aberta, sem se preocupar com essas bobageiras de usar máscara, manter distanciamento, ou qualquer outra impertinência.

Como aconteceu na quarta-feira. O presidente deveria descansar no Forte dos Andradas, lugar aprazível de Santos banhado por praiazinha de 400 metros. Ele fez isso? Não! Como se viu, incorporou o Capitão Corona, lançou-se a uma moto aquática e assim chegou à vizinha Praia Grande. Aqui, executou sua melhor (pior para o País) performance. Debochando do vírus, ofereceu-se às pessoas que o cercaram.  Ora, veja como ele troca cumprimentos e abraços, pega criancinha do no colo, sorridente e feliz.

Logo veste uma camiseta do Santos, que alguém oferece. Democrático, livra-se dela depois, para vestir uma do Corinthians.  No lugar há muita gente, porque disputa-se uma partida de futebol. Prática que deveria ter sido proibida; não só não foi mas contou com o prestígio do presidente.

Então surge aquele lance que a televisão mostrou. Capitão Corona aderiu à partida!  Ele vai ao ataque, e se vê frente a frente com o goleiro. Este deixa o atacante entrar livre na área, chutar, se atrapalhar e se esborrachar no chão. Sim, o Presidente da República Federativa do Brasil fez um gol em uma pelada de praia!

O goleiro foi acusado por muita gente de conivência com o atacante, por não ter-lhe dado combate. Da minha parte, concluí que não. Ele foi o único consciente de toda aquela gente. Não se aproximou de um sujeito que não estava usando máscara.

31 de dezembro de 2020

A charge é de Arouca. Tenho certeza de que ele não se importaria de a gente reproduzi-la aqui.

Um comentário para “Capitão Corona no ataque”

  1. O Capitão Corona cerra fileiras ao lado do vírus porque a presença da Covid impossibilita a ida do povo às ruas para pedir impeachment. Por isto ele tenta atrapalhar e atrasar tudo. Mas divertido mesmo foi ver a intervenção do STF para obrigar o capitão a tirar a mão da seringa do Dória.

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.