Pela saúde do Brasil

A primeira coisa que me veio à mente ao ouvir os trechos das conversas entre Sergio Machado e alguns senadores foi: “será possível?”.  Homens experientes, sabichões da política que alimenta Brasília, falar assim livremente ao telefone?
Dos interlocutores de Machado, o que mais me impressionou foi José Sarney. Para quem é tido como ardiloso, Sarney estava com a matraca aberta, não é não?

E mais incrível ainda era a impressão que Sergio Machado estava pescando dados, não estava só batendo papo com os amigos, não, mas cavando informações.  Ele chega a fazer perguntas muito óbvias, a tal ponto que surpreende suas “vítimas” não perceberem, e não desligarem logo o telefone.

Apesar de saber que as gravações foram feitas em março, antes da queda de Eduardo Cunha ou do afastamento de Dilma Rousseff, ficou aquela pulga atrás da orelha até ler o Blog do Noblat de ontem, onde Ricardo Noblat revela como Sergio Machado gravou suas conversas.

Parece roteiro de Francis Ford Coppola: o ex-presidente da Transpetro, sabedor que uma delação premiada tem que ser rica em informações, que só repetir o que outros já disseram, ou criar fantasias que logo os investigadores desmontariam, não ia resolver seu caso, ofereceu-se para gravar conversas que ia ter com seus amigos, em Brasília.

Mas nada de telefones. Isso seria muito arriscado, pois ele não ia lidar com ingênuos. O negócio foi bem mais sofisticado.

Copio do artigo do Noblat: “Mas não o fez armado com um celular ou gravador de bolso. Topou  ser monitorado em tempo real por agentes federais. Eles o equiparam com aparelhos de escuta. E o seguiram para as tais conversas com uma Van que estacionava a certa distância dos endereços daqueles a serem visitados por Machado. De dentro da Van, escutavam tudo o que Machado falava e ouvia. Como nos filmes”.

Palmas para a PF!

O Globo de ontem publicou alguns trechos das conversas. Um em especial chamou minha atenção. É quando o tal Machado menciona o juiz Sergio Moro e Renan Calheiros retruca com palavra inaudível. Machado completa: “Renan, esse cara é mau, é mau, é mau, é mau“.

Pois graças a Deus o Brasil conta, nestes tempos horrorosos em que estamos vivendo, com o juiz que Sergio Machado qualifica de “mau”.  O que seria de nós sem a força do Ministério Público, da Polícia Federal e sem a firmeza do juiz Sergio Moro?

Temos o exemplo da Itália para seguir. O Mani Pulite, que tanto bem fez àquele país, acabou vencido pelo Parlamento que estava nas mãos de políticos interessados em liquidar com os procuradores italianos e legislar sempre em favor do crime! O que desaguou no Berlusconi.

Nós não podemos deixar o mesmo acontecer com o Brasil. Não podemos mais continuar nessa situação nojenta, quando o presidente interino tem dificuldade em montar sua equipe já que são raros os competentes e corretos que ele pode convocar.

E, sobretudo, pelo amor de Deus, jamais permitir que as notícias vindas de Curitiba sirvam como pretexto para a anulação do processo de impeachment de dona Dilma!

O Brasil está muito doente e cabe a nós, seus cidadãos, zelar para que ele se recupere sob a batuta de um presidente constitucionalista, Michel Temer.

Este artigo foi originalmente publicado no Blog do Noblat, em 27/5/2016. 

8 Comentários para “Pela saúde do Brasil”

  1. ‘Ela vai sair de qualquer maneira’

    Os motivos principais para derrubar Dilma “de qualquer maneira” são muitos, mas vale citar dois deles.

    O primeiro, para encerrar a Lava Jato. O golpe seria uma espécie de troféu. O impeachment de uma mulher inocente, sem crime de responsabilidade, seria o ápice da Operação do ponto de vista público-midiático.

    O segundo motivo: precisam usurpar o Poder para conseguirem executar o programa que dificilmente conseguiriam sufragar numa eleição. É o programa já em execução pelo governo usurpador de Michel Temer: arrocho, recessão, privatização, entrega do pré-sal e da Petrobrás às petroleiras estrangeiras, desnacionalização da economia brasileira, fim de políticas sociais, abandono da soberania nacional, destruição da engenharia nacional etc.

    No país dos estupradores as mulheres1 são vítimas inocentes. Alegam os violadores o consentimento e incitação das vítimas. Pior ainda é a complacência dos homens e meulh1eres de bem.

  2. Meu Deus! Melhor ler (sem concordar com nada) o que o Miltinho diz do que viver numa ditadura, onde ele não poderia escrever o que escreve e nem eu ler o que leio.

  3. Ora, LuizMS, o que o Miltinho escreve é fruto da inspiração mediúnica do Chaves. É que o Miltinho é o representante no Brasil da filosofia política daquele passarinho com quem o Maduro conversa quando quer obter conselhos do Chaves. O passarinho tem contrato de exclusividade com o Maduro, mas gostou tanto do Miltinho que, às vezes, quebra o contrato e vem prestar consultoria aqui no Brasil. Eu acho até que a simpatia é mais gastronômica do que ideológica. Aqui, o Miltinho pode alimentar o passarinho com alpiste à vontade. A iguaria está em falta nos melhores supermercados de Caracas. O pior é que passarinho nem tem digital para poder se inscrever naquele sistema controlado de uma compra por semana. Mas, Maduro explica: a falta se deve a mais uma conspiração da CIA e da elite branca venezuelana.

  4. Miltinho, não adianta vir agora com essa de querer entregar a Petrobrás, que ninguém é bobo. Aquela empresa altamente lucrativa já era. Ela é hoje petroleira mais endividada do mundo. Coisa de fazer inveja à PDVSA de Maduro. Se for vendido todo o patrimônio da Petrobrás, ainda vai faltar dinheiro para pagar todas as suas dívidas. A gente teria que pedir empréstimos ao Zé Dirceu e ao Governador Fernando Pimentel para pagar a diferença. Sobre as maldades que você listou no segundo motivo: por favor, me coloque em contato com o encarregado disso tudo, o tal de Meirelles, de saudosa memória. Se ele for capaz de fazer a metade do que o PT disse e você disciplinadamente repete, será capaz também de encontrar um jeito de livrar o meu Botafogo de cair de novo para a segundona este ano.

  5. LUIZ a Dilma já caiu! Ou não?
    A nação e a Petrobrás estão nas mãos de Temer e Meireles.
    Agora sou pedra e você vidraça. Admito o golpe e a derrota, o mal trocou de mãos.
    Quanto ao Botafogo, caro amigo, nem golpe fará deixar de escapar da segundona este ano, saí Vasco entra Botafogo em democrático revezamento.
    Saudações rubro-negras!

  6. Como o STF não tem vergonha do Gilmar, a democracia brasileira tem vergonha do STF.

  7. Ao Toledo e LuizMS:

    Em geral, na média, o Miltinho é o melhor comentador do site. Fala na 1.ª Feira de Reforma Agrária, da nova grade educacional com melhoria sensível do ensino de História etc.

    O governo interino inclui arrocho e desnacionalização. Sinto muito.

    Os maiores interessados no impedimento da Dilma são:
    – a deputalhada e senadorzada, que não podem perder a chance de esmagar o Executivo e ampliar o seu poder, tal como fizeram com o Collor;
    – Os magnatas do petróleo em crise (“7 Irmãs” etc.), de olho no Pré-Sal e doidos para conseguir um governo seu cúmplice – procurem no YouTube a expressão “discurso Requião petróleo”

    (talvez chamem o Requião de chavista também)

    Se acharem que o Requião falou besteira, procurem a palavra “dumping”, que explica bem se a Petrobras é valorosa ou não…

    P.S. Com ou sem corrupção, a Petrobras derrubou Vargas, Jango (!) e Dilma (com esta última, a corrupção foi o estopim). Comparo os três porque não gosto deles (rejeito menos a Dilma).

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.