É assim que é o país, após dez anos de PT

Uma pessoa que ocupa cargo público, especialmente um cargo público importante, não pode dar baixaria. Não tem direito a dar baixaria.

O sujeito que ocupa o cargo mais importante do Judiciário não pode xingar ninguém. Ninguém, ninguém – mas, em especial, um trabalhador que está exercendo a sua profissão.

Ao dizer para um repórter que tentou fazer, pelo jeito educadamente, uma pergunta – “Presidente, como o senhor está vendo…” – a frase “Me deixa em paz, rapaz. Vá chafurdar no lixo como você faz sempre”, Joaquim Barbosa prestou um nojento desserviço à Justiça brasileira, da qual ele hoje é ocupante do mais alto cargo, à democracia, à liturgia do cargo, à educação, e aos valores básicos da civilidade.

zzzzzzjoaquimJoaquim Barbosa se igualou aos criminosos que ele condenou no julgamento do mensalão.

Tratou o país como um monte de merda, exatamente como o PT vem fazendo desde que assumiu o poder, e entendeu que, por ter tido seu candidato eleito à Presidência da República, passou a ser dono da nação, do país, de toda a estrutura do Estado.

Joaquim Barbosa agiu igualinho que nem as Roses da vida.

Porque detém um determinado poder, acha-se acima dos outros.

Mostra-se metido a déspota – não a democrata.

Iguala-se aos meliantes que condenou.

***

A rigor, pela lógica, não poderia haver coisa mais abjeta do que Joaquim Barbosa já havia feito.

Mas, neste país em que todos os valores são cotidianamente aviltados, a tentativa de correção do absurdo conseguiu ser ainda pior que a fala em si.

A nota oficial emitida pela secretaria de comunicação social do STF é ainda pior do que a agressão estúpida de Joaquim Barbosa a um repórter que fazia seu dever:

“Em nome do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ministro Joaquim Barbosa, peço desculpas aos profissionais de imprensa pelo episódio ocorrido hoje, quando após uma longa sessão do Conselho Nacional de Justiça, o presidente, tomado pelo cansaço e por fortes dores, respondeu de forma ríspida à abordagem feita por um repórter. Trata-se de episódio isolado que não condiz com o histórico de relacionamento do Ministro com a imprensa.”

Como é que é? O cara que ocupa o cargo mais importante do Judiciário brasileiro manda que uma pessoa “vá chafurdar no lixo como você faz sempre”, e o STF, em nota oficial, chama isso de “ríspido”?

“Ríspido”?

Então euzinho aqui estaria autorizado a dizer: “Olha, Joaquim, você é um pulha, um pustema, um idiota, um absoluto imbecil a quem a glória subiu à cabeça”? E aí em seguida eu poderia dizer: “Ah, eu estava com dor de cabeça, desculpe aí, cara, se eu fui meio ríspido”?

A nota do STF é mais agressivamente idiota do que a frase do ministro. E olha que eles tinham tido um tempinho para raciocinar – se é que eles sabem o que é isso.

 ***

Um Executivo que vem há dez anos baixando o nível. Um Legislativo que já era baixo nível antes, e que nestes dez últimos anos só fez por se desmerecer.

Com o julgamento do mensalão, um monte de gente acreditou que  tínhamos, afinal, um Judiciário competente, independente.

Agora vemos que o sujeito que ocupa o cargo mais alto do Judiciário não é chegado a uma educaçãozinha básica.

É assim que é o país, após dez anos de PT no governo.

6 de março de 2013

2 Comentários para “É assim que é o país, após dez anos de PT”

  1. Puxa Sérgio, eu havia cantado a bola enquanto a imprensa fazia apologia do Ministro Darth Vader, o lado negro do mal.
    O exercício desta tal democracia se confunde entre os 4 poderes.

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.