Oscar Niemeyer, uma grande enganação

Oscar Niemeyer, na minha opinião, é um gigantesco blefe. Uma imensa enganação.

O Brasil parece adorar blefes, enganações. Nesse sentido, o Brasil e o Niemeyer se merecem.

Em grande parte, Niemeyer foi uma invenção de Juscelino. Criou algumas coisas ao redor da Pampulha, o lago artificial que JK fez em Belo Horizonte. Ai, JK, presidente, inventou Brasília, e botou Niemeyer para desenhar os prédios.

A memória, o entendimento dos fatos dos brasileiros, é tudo tão frágil que de repente virou verdade que Brasília é criação de Niemeyer.

Nada mais falso.

Quem criou Brasília – para o bem ou para o mal – foi o urbanista Lúcio Costa. Foi ele que projetou tudo, o desenho do avião, os traçados das avenidas, a existência das superquadras.

Niemeyer  desenhou os prédios. Apenas os prédios.

Executou uma idéia brilhante, é verdade: a de que o prédio mais alto era o Congresso. Mais altos são os poderes do povo.

A idéia de que o edifício do Congresso Nacional tinha que ser o prédio mais alto da nova capital é de fato brilhante. Não sei se há prova documentada de que tenha sido de Niemeyer, ou de Lúcio Costa. Lúcio Costa foi o cara que de fato fez Brasília. Niemeyer entrou com os projetos dos prédios.

Niemeyer era um sujeito que sabia se vender. Embora comunista, gostava de um bom marketing de si mesmo.

Vendeu o próprio comunismo como se fosse uma mercadoria brilhante. Quanto mais se dizia comunista, mais contratos milionários ganhava, no mundo todo, ou melhor, nos países que admiravam a beleza de um arquiteto que se professava comunista – a França cheia de culpas por seu período de colonialismo, e o Terceiro Mundo mesmo, tipo a Líbia do companheiro Kadáfi.

Espalhou pelo mundo inteiro a sua “arte”: formas curvas (ah, o elogio à mulher…), concreto e vidro (o que leva necessariamente a muito gasto com ar-condicionado), concreto e vidro… e concreto e vidro.

Em São Paulo, contratado pelo bandido Quércia (o que se orgulhava de ter quebrado o Estado mas ter feito seu sucessor), criou o Memorial da América Latina. Essa é uma de suas obras-primas. No coração da maior metrópole do país, uma selva de pedra doida, o genial arquiteto criou um pátio cimentado de não sei quantos quilômetros quadrados. Sem sequer um centimetro de grama. Árvore, então, nem pensar.

O Oscar Niemeyer que o País chora hoje é um defensor de Stálin, um dos maiores criminosos que já pisaram na superfície deste planeta. É um idiota político que defendeu até a morte o que as pessoas de esquerda de alguma inteligência foram capazes de rejeitar.

Novembro de 2012

6 Comentários para “Oscar Niemeyer, uma grande enganação”

  1. Enfim uma voz discordante. Esperei um texto sobre Dave Brubeck e veio esta lástima sonbre, boa ou ruim, uma lenda. O rancor contra os comunistas é uma coisa caquética e mofada.
    Niemayer não ne faz falta ou me comeve,no entanto, espanta-me tanta linha com a insignificância e a perseguição a um inofensivo, infantil e velho comunista. Sérgio não de desfaça dos ”
    pensadores”, releia-os.

  2. Faz muito tempo que não vejo um texto-ataque tão recheado de… falta de argumentos. O texto era só opinativo, ok. Fica registrado. Mas a falta de fatos, argumentos e um pouco mais de lógica.

  3. Também me parece que esse homem não teria tanto mérito, aliás a arquitectura moderna não me impressiona.
    E quanto ao apresso por Estaline e Fidel Castro estamos conversados.
    Aquela escultura em Cuba é lamentável.

  4. a obra de niemeyer é propiciatória para alto custo de projetos e metro quadrado das obras contratadas sem licitação por “notório saber”, facilitando sobrepreços para empreiteiros & politicos(reserva técnica).qualquer tribunal de contas justifica.parece que a utilização das suas obras não é o principal e sim o carater pretensamente escultórico.uma das intervenções mais trágicas p.e.,foi acabar com a raridade do espaço livre do ibirapuera-sp com trambolhos e tabletes pusilamines(sic)que deveriam, se necessário existirem,ser subterrâneos.mas seria prospoliticosmentem incorreto.
    alguem comentou que nas obras de “oshcarr” se sentia dentro de uma maquete.
    às vezes o concreto é o que não se vê.

  5. Niemeyer era um Coxinha Burguês metido a comuna que serviu só como Idiota Útil do comunismo! No comunismo a “arquitetura moderna” desse idiota Niemeyer foi proibida, considerada fraca e degenerada, pois no comunismo teve só arquitetura do Realismo Socialista! Por isso que esse degenerado “arquiteto moderno” Niemeyer, não construiu nada em nenhum pais comunista e lá na Rússia e Europa do Leste é totalmente desconhecido! Esse covarde Coxinha Socialista não teve coragem de Macho para viver num país comunista e por isso foi viver em Paris!

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *