Pio!

O jornalista de fala mansa Dirceu Martins Pio, ou simplesmente Pio, para os amigos, era uma peça rara.

Dentre todas suas paixões, além do jornalismo ao qual se dedicou com afinco ao longo da vida, Pio era um aficionado pela boccia e por futebol.

Gostava tanto do jogo que construiu uma cancha de boccia na sua casa e lá a gente ia quase todos os fins de semana praticar esse esporte de origem italiana. Consiste em atirar com força e com mira uma bola e tentar acertar o “bolin”, uma bola menor que fica a uns 20 metros do jogador. Acertar ou chegar o mais perto possível, essa era a meta, e o Pio, que sempre foi rechonchudinho, fazia verdadeiros malabarismos para atingir essa meta. Na maioria das vezes conseguia uma bela pontuação.

E quando Pio brigava por uma dessas paixões, a gente que saísse debaixo.

Corinthiano roxo, não perdia uma chance de tirar um sarro dos amigos Palmeirenses.

Pio e Sandro trabalhavam juntos e sempre se alfinetavam por causa dos seus times. Uma vez ele apostou com o Sandro que o Palmeiras não ganharia o campeonato em cima do Corinthians e que se isso acontecesse usaria a faixa de campeão do Palmeiras. Não deu outra. O Palmeiras ganhou e ele, constrangido, teve de usar a faixa e exibir na redação.

Mas Pio não seria o Pio se não desse o troco mais dia, menos dia. E esse dia chegou.

A gente morava numa casa de dois andares que dava fundos para um terreno baldio numa avenida de tráfego intenso.

Uma noite, durante o jantar, ouvimos o som estrondoso de rojões que vinha lá da avenida. Quando saîmos na sacada da sala para ver o que estava acontecendo, vimos lá a figura roliça do Pio, de terno e gravata, segurando uma pasta 007 numa mão e na outra rojões atirados em nosso direção, para comemorar uma vitória do seu time contra o nosso. Enquanto soltava os fogos, ria da pirracinha que estava fazendo com seu amigo palmeirense.

Esse era o garoto Pio nas horas em que estava de folga do profissional Dirceu Martins Pio.

Hoje ele já deve ter ido cutucar o Sandro com o jargão preferido dos corinthianos, “o Palmeiras não tem mundial”, embora isso seja uma mentira deslavada. Em 22 de Julho de 1951, o Palmeiras disputou o mundial com a Juventus da Itália, e bravamente levou o título de primeiro campeão mundial. Ouviu, Pio?

29/3/2021

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.