Climão!

Dias antes do encontro de líderes mundiais organizado pelos Estados Unidos para discutir o clima, Jair Bolsonaro enviou uma carta ao presidente americano Joe Biden pedindo ajuda para fiscalizar a Floresta Amazônica.

Deve ter sido mais ou menos assim:

“Querido presidente Joe Biden,

Estou escrevendo estas mal traçadas linhas por dois motivos:

Primeiro porque quero pedir desculpas por não ter te cumprimentado logo pela vitória. É que eu tava esperando a confirmação, já que meu amigo (ex, viu? Não se preocupe! Fiquei meio estremecido com ele porque não moveu uma palha pra deixar meu menino, o Dudu Bananinha, ser embaixador no seu país, apesar de constar no currículo que já foi um grande fritador de hambúrguer nos Estados Unidos) falou que teve fraude e que ele ia continuar presidente. Caí nessa, sacumé? Também caí no conto da cloroquina. Ele falou que servia pra combater a Covid e eu mandei fabricar toneladas de comprimidos. Depois que ele descobriu que não servia, me mandou de presente mais um monte do remédio. Aceitei e até hoje não consegui me livrar de todo o estoque, apesar dos meus esforços em tentar fazer com que vire protocolo no tratamento de doença. Mas nem sei por que estou te contando essas coisas. Você é mais cientista do que eu, quero dizer, se guia pela ciência, enquanto eu sou mais pelos remédios “caseiros”. Podem até não dar certo nesse caso, mas tô conseguindo acabar com os piolhos da população com uma tal Ivermectina. Hahaha.

Por conta disso, resolveram até abrir uma CPI no Congresso pra saber por que gastei tanto dinheiro com esses medicamentos em vez de comprar vacina e por que meu ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello (esse sim, era uma excelente funcionário. Fazia tudo o que eu mandava) levou cloroquina pra Manaus no lugar de oxigênio.

Segundo porque queria te pedir uma ajuda financeira pra fiscalizar a Floresta Amazônica. A coisa aqui tá difícil porque ninguém mais tá mandando dinheiro pra gente. É que eu andei me indispondo com uns e outros aí um tempo atrás e acabei mandando a Angela Merkel enfiar a grana na floresta negra dela, Hahaha!

Eu sei que você tá ouvindo coisas a respeito do meu ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Por exemplo, que ele está sendo bonzinho com os madeireiros e que tá deixando que passem sua boiada, digo, que passem as toras que eles conseguem derrubando árvores. Que também não tá nem aí com as invasões de terra pelos grileiros e garimpeiros. Quanta injustiça! Assim como estão me chamando de genocida, estão chamando o Salles de arvorecida. Mas é tudo mentira, viu? Ele até conseguiu juntar uma meia dúzia de índios pra desmentir isso em público.

Quero te pedir pra não ouvir as fofocas daquela turminha que quer me derrubar (eu não sou árvore, mas tão querendo me derrubar. Hahaha). Principalmente aquela pirralha da Greta Thunberg. Ela não tem nada que dar pitacos aqui. Que vá cuidar da greta dela. Hahaha!

Outro tonto metido a besta é o Leonardo DiCaprio. Cara chato esse! Nem a Gisele Bündchen aguentou ele e agora vem meter o nariz onde não foi chamado?

Daqui do Brasil também tem uns artistinhas como Caetano e Gil querendo seus cinco minutos de fama, assinando o manifesto. Quem eles acham que são? Não chegam nem aos pés da dupla Cloro e Quina e ficam aí cantando de galo, achando que podem te influenciar.

É isso, Biden. Escrevi essa carta do meu próprio punho pra explicar que, apesar do desmatamento que a Trash Globe (Globo Lixo, é como eu e minha torcida chamamos a emissora) fica mostrando a toda hora, a gente quase não emite gases poluentes. Eu mesmo tô fazendo minha parte. Depois de muita reclamação, agora só emito no banheiro lá de casa. Hahaha.

Meu filho Carluxo queria escrever mas eu não deixei. Ele anda meio distraído ultimamente. Sabe o que ele fez um dia desses na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro? Iam deliberar sobre a Lei Geral de Proteção de Dados, LGPD, e ele confundiu a sigla com LGBT. Coitado! Entendeu que o item do projeto que falava em “autodeterminação informativa” se tratava de identidade de gênero. Disse que aquele trecho do projeto era uma “aberração gigantesca” que ignora “legislações superiores que caracterizam o sexo da pessoa como homem e mulher”. Acontece, né?

Sem mais, me despeço por aqui. Desculpa aí qualquer coisa, talquei?

Assinado, Already go (Jair, em português. Hahaha!).

Esta crônica foi originalmente publicada em O Boletim, em 23/4/2021. 

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.