Feriadão!

Ô preguiça que dá um feriado que cai numa quinta-feira, dia em que costumo escrever o texto que será enviado no dia seguinte para o editor.

A manhã modorrenta do feriado santo me faz buscar um solzinho no quintal ao lado da neta que está curtindo o dia sobre patins e que mal está conseguindo disfarçar o sorriso de alegria pela ponte que avista. Aquela que o brasileiro já se habituou a fazer, estendendo o dolce far niente da quinta até o fim do domingo, toda vez que o feriado cai no meio da semana.

Ainda bem que o Brasil está firme no ranking mundial de países prósperos, e podemos nos dar ao luxo de esticar a folga sem culpa, como fazem os parlamentares, e com a certeza de que esses dias não irão fazer falta para o desenvolvimento do país.

Tudo anda às mil maravilhas: o presidente fazendo flexões ao lado do Doria mostra que estamos todos em plena forma física. Até o general Heleno entrou na onda, para assim ajudar a desmentir as declarações do recém-demitido general Santos Cruz, que disse em entrevista que esse governo faz muita bobagem: “Se você fizer uma análise das bobagens que se tem vivido, é um negócio impressionante. É um show de besteiras”.

Essa aparição pública dos três fazendo exercícios ficou parecendo uma forma de mandar um recadinho para o general, do tipo quem faz flexões não precisa fazer reflexões.

É possível que Santos Cruz possa estar de alguma forma mordido pela demissão, razão pela qual teria dado essa declaração. Ele não deve pensar isso de verdade do governo. Afinal, a presidência se preocupa até com a tomada de três pinos dos brasileiros. E, dada a importância do assunto, até já se cogita neste momento trazer de volta a velha e boa tomada de dois pinos. Ótima notícia para quem ainda não trocou uma pela outra, ou para quem vive perdendo o adaptador.

Sai dessa vida, general, não seja despeitado! Curte aí o feriadão prolongado pegando uma boa estrada. Solte os cabelos, abra os vidros do carro e aproveita para enfiar o pé no acelerador já que os radares que controlam a velocidade dos veículos não têm mais serventia. E se levar a família junto não precisa se preocupar em torturar o netinho com aquelas amarras impiedosas que atam a criança a uma cadeirinha inútil. Mesmo que um guarda te pare, nada vai acontecer. Como disse o presidente em mais um ato patriótico, “vamos acabar com a indústria da multa”.

Outra ótima notícia! Desta vez para funileiros, clínicas ortopédicas e agências funerárias.

E vamos em frente que atrás vem gente!

Esta crônica foi originalmente publicada em O Boletim, em 21/6/2019. 

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.