O cinema e o Muro

Poucos acontecimentos da História da humanidade são tão importantes quanto a queda do Muro de Berlim, exatos 25 anos atrás. Um quarto de século!

E poucos acontecimentos históricos se deram tão bem com o cinema quanto a queda do Muro.

Neste 8 de novembro, o dia dos 25 anos da queda, o portal do jornal O Globo publicou “Cinco filmes sobre o Muro de Berlim”. Dos cinco, quatro estão no 50 Anos de Filmes – que tem, além dos escolhidos pelo jornal, vários, vários outros.

Fiquei feliz ao contabilizar isso, ao ver que o 50 Anos de Filmes – tão falho em tantas coisas -, na questão específica da Alemanha dividida em duas, e depois reunificada, se dá tão bem.

Sempre tão falho em tantas coisas: é a mais pura verdade. No site não estão os melhores filmes que já foram feitos; não estão sequer os filmes de que eu, pessoalmente, mais gosto. Estão ali apenas os filmes sobre os quais, por um motivo ou outro, ou sem motivo algum, escrevi alguma coisa ao longo da vida.

Não há ali sequer um filme de Godard, ou de Gláuber, ou de Griffith. Só há um de Buñuel, um ou dois de Bergman, um de Fellini. Um absurdo. Um queijo suíço, com mais furos que queijo.

No entanto, tem todos os filmes básicos sobre o Muro de Berlim.

Asas do Desejo/Der Himmel über Berlin, de Wim Wenders, (1987),

Tão Longe, Tão Perto/In Weiter Ferne, So Nah!, de Wim Wenders (1993),

O Inocente/The Innocent, de John Schlesinger (1993),

Adeus, Lênin!/Good Bye Lenin!, de Wolfgang Becker, (2003),

A Vida dos Outros/Das Leben der Anderen, de Florian Henckel von Donnersmarck (2006),

Querido Muro de Berlim/Liebe Mauer, de Peter Timm (2009),

A Grande Mentira ou No Limite da Mentira/The Debt, de John Madden (2010),

Barbara, de Christian Petzold (2012).

8 e 9 de novembro de 2014

2 Comentários para “O cinema e o Muro”

  1. O ano de 2014 marca os 25 anos da queda do muro de Berlim, que dividiu a Alemanha em dois países por quase três décadas. Para comemorar a data, o Goethe-Zentrum e a Embaixada da Alemanha prepararam a mostra “A virada – 25 anos da queda do muro de Berlim”, no Cine Brasília, entre 5 e 12 de novembro, com entrada gratuita.

    Ao todo, 19 produções – feitas entre 1955 e 2014 – vão ser exibidas. As obras exploram a vida cotidiana da Alemanha Oriental e acontecimentos marcantes de 9 de novembro de 1989.

    Bom programa para o Luiz Carlos Toledo.

    Destaque para os curtas “Esterhazy” e “A Confissão” e os longas “Adeus, Lênin!” e “Trem para a Liberdade”.

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.