Já passou, Chico

Não vou discutir o Chico Buarque beijando as mãos de Dilma Rousseff. O que é do gosto regala a vida, não é?

Espantoso é o texto assinado por ele e pelo Luis Fernando. Isso me chocou e muito. A Petrobras foi espoliada, vilipendiada, estuprada pelos governos Lula/Dilma e esses dois homens que Deus aquinhoou com talento e inteligência, de glorioso DNA, declaram sua admiração pelo governo PT! É assustador!
O título do manifesto – pelo estilo, até dá para desconfiar da autoria – é  ‘A PRIMAVERA DOS DIREITOS DE TODOS: GANHAR PARA AVANÇAR’, e ali podemos ler: “Abandonar esse caminho para retomar fórmulas econômicas que protegem os privilegiados de sempre seria um enorme retrocesso. O brasileiro já pagou um preço demasiado para beneficiar os especuladores e os gananciosos. Não se pode admitir voltar atrás e eliminar os programas sociais, tirar do Estado sua responsabilidade básica e fundamental. (http://manifesto.dilma.com.br/)
Lula, em surto preocupante, com os olhos esbugalhados e a expressão de quem não sabe bem onde está, diz que os economistas de Marina deviam ser proibidos de falar!
Dilma, sempre a mocinha que estudou em colégio de freiras, como ela gosta de se apresentar ultimamente, palanqueia em BH: — “Acho que, (para) ser presidente, a gente tem que aguentar a barra — disse Dilma, que completou: — Não sou contra as pessoas chorarem, não. Chorar é intrínseco ao ser humano, é o que nos distingue. Mas eu acho que o mais característico nosso, graças a Deus, é que o homem é um bicho que ri, ri até de si mesmo”.
Pois é, dona Dilma. Sete são as coisas que nos separam dos outros animais:  falar;  rir;  pensar; ter problemas mentais; apaixonar-se; crer em Deus; e chorar.
Essa última característica merece  uma explicação:  todos os animais choram, mas somente os humanos vertem lágrimas de emoção. Há quem diga que elefantes e chimpanzés choram, mas é complicado afirmar se são lágrimas fruto de emoção ou não. Já com os crocodilos estão todos os cientistas convictos de que eles não choram e que é do tempo dos gregos a lenda segundo a qual os crocodilos fingiam chorar para atrair suas presas.
São muitos os crocodilos em nossa vida política.  Há os que apelam até para suas mães terem nascido, coitadas, analfabetas; há os que se gabam de ter resistido à tortura física. Mas esquecem de dizer por que foram presos e maltratados por um Estado abjeto.
Do riso: há os que só sabem rir da desgraça alheia e aí riem a bandeiras despregadas.
Do falar e do pensar: há os que têm um pensamento tão atabalhoado, que não sabem completar uma frase, nem desenvolver um pensamento.
Da paixão: essa é a mais incrível das características humanas. Não tem explicação, e quando tem, é porque não era paixão.
Crer em Deus: essa é a mais gloriosa de todas as características, a meu ver, pois ela nos consola de uma dor, nos dá esperança de um futuro melhor, nos ajuda a vencer as tentações e maus pensamentos e nos leva a cumprir as Leis de Deus, aquelas que verdadeiramente nos distinguem dos animais.
Isso li em um livro escolar sobre biologia. Mas acrescento outra coisa que é exclusiva do homem: mentir.
Mentir, com que gana e volúpia os políticos mentem. Nisso eles são muito humanos. Reparem: ninguém indicou Paulo Roberto Costa para a fatídica diretoria de Abastecimento da Petrobras. Não foi o Lula, nem a Dilma, nem o Gabrielli, nem a Foster. Vai ver o homem tomou criptonita e baixou naquela cadeira da ex-maior empresa brasileira de todos os tempos, hoje a sombra do que foi.
Mas acho que sei quem o nomeou.
Dona Dilma, num palanque em Belém, disse quatro vezes ‘Viva o Açaí!’. Como já foi a Pernambuco inúmeras vezes e nunca disse ‘Viva a Cana de Açúcar!’ e no Rio Grande do Sul nunca disse ‘Viva o Butiá!’, concluo que essa laudação ao açaí era um código para bendizer a escuridão que nomeou Paulo Roberto Costa, o bom Paulinho, amigo dos petistas, para a generosa diretoria de Abastecimento, a que forrou muitos partidos…
Rio de Janeiro, 16 de setembro de 2014

2 Comentários para “Já passou, Chico”

  1. Chico tem autoridade para apoiar quem ele quiser e assinar os manifestos que lhe dê na telha.
    O apoio de Chico a Dilma não é só por ela ter
    resistido a tortura física, deve ver na presidenta outras virtudes que o levaram a assinar o manifesto.
    Ridicula a insinuação de que Dilma esquece de dizer porque foi presa.
    Depois do chumbro, agora todos combateram a ditadura, muita retórica, porém Dilma além da retórica deixou um pouco de sangue nas celas da prisão.
    Chico sabe disto, mas não só por isto apoia a candidata Dilma.
    Vou Marinar, mas não posso deixar de reverenciar a mulher que combateu a ditadura e agora tem de enfrentar as maldades daqueles que afastados do poder, golpeiam, ultrajam, difamam. Ridicularizam, sua beleza, seu corpo, sua fala, sua formação.
    O povo não sabe quem foi Dilma, sabe quem é Dilma, a campanha abjeta que lhe dedicam é lamentável, não constrói.
    Choro, falo, rio, penso e me apaixono não compactuo com baixaria.
    Politicamente discordo do Chico, com todo o respeito, seu apoio a Dilma não é suficiente para me fazer votar nela.
    Como a propaganda do TSE, o voto dele é igual ao meu.

  2. O Mestre Chico – mestre na arte e na política – não deveria apoiar a Dilma, posto que ato personalista. Deve, sim, apoiar as melhorias e os programas sociais, cuja qualidade a própria ONU admite, e mesmo a oposição ao PT o admitia antes.

    Com relação à Dilma, não é adequado confiar no que diz a imprensa tupiniquim! Melhores são os jornais dos países decentes (Le Monde, Der Stürmer etc.), que relatam a baixaria do atual impeachment, cujo principal denunciador é o editorial do The New York Times.

    A Dilma deixou sangue na cela porque percebeu que a ditadura reduziu a um terço o salário da indústria em apenas dez anos, e por outros motivos. Pegou em armas e pagou caríssimo por isso.

    Para a Maria Helena RR: Os jornais dos países civilizados podem não entender bem de Brasil, mas entendem de democracia, instituições, investigações, respeito etc.

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.