A Espécie Humana. Capítulo 22

pai, olha o jornalzinho que o vô recebeu pelo correio 

que engraçado!  é de alguma escola?

édisse o meninoe o velho:

outro dia, quando eu voltava do banco, encontrei um senhor com um adolescenteele me cumprimentou sorrindo e eu perguntei

você foi meu aluno?

sime me disse o nome

lembra-se de mim?

clarolembro do nome mas vocês alunos mudam muitoe esse rapazinho é seu filho?

éveja, filho, este senhor foi meu professor de arte 

de arte!  então o senhor podia responder ao meu questionário 

que questionário?, meu filho!

pro jornalzinho da escolacada um da minha equipe recebeu um assunto e tem que fazer uma reportagemo meu é a arte moderna 

não vamos incomodar?

claro que não!  vamos tomar um suco de frutas e eu respondo 

então falei tudo no gravador do pequeno e hoje recebemos este jornalzinho 

então, deixa eu ler alto, paivamos lá:

o que é que o senhor pensa da arte moderna?

arte moderna?  você conhece a história da roupa nova do rei?  pois éa arte moderna é esse reie o rei está nue ninguém tem coragem de dizer que o rei está nue o rei é feioé barrigudo, tem as tetas caídas, saco pendurado, balofo, gordo, sem graçaolha a bunda dele!, olha a bunda dele!

escreveram bunda?, perguntou o menino 

simé a vantagem dessas escolas de hoje 

e acabou ai?  de novo o menino 

nãoaí eu levei a coisa a sério, falou meu paie leu ele mesmo 

a estética do masoquismo dos intelectuais:

vamos tentar ser claros e simplesé sabido que algumas obras de arte são fáceis de serem sentidas e entendidas e outras são um pouco mais difíceispodemos exemplificar com músicauma canção popular é mais fácil de entender do que Chopin, que, por sua vez é mais atraente do que uma longa sinfoniaà medida que as pessoas se habituam, vão aceitando obras mais complexasisto nos leva a uma constatação: algumas pessoas são capazes de entender e sentir obras de arte que a maioria das pessoas não entendee isto é verdadehouve um momento no meio do século passado em que a vaidade começou a mascarar o gosto das pessoas ditas intelectuaisestá difícil de entender?  é mais ou menos assim: eu, que compreendo a arte, sou capaz de gostar disto, sou capaz de su-por-tar esta obra de arte, coisa que a maioria das pessoas não consegue fazere eis que num determinado momento a arte foi substituída pela farsanós nos enganamos, eu me enganei, quem acompanhava as manifestações da cultura mundial se enganouos portões foram fechadoso que vai ser feito daqui pra frente?  principalmente a música e as artes plásticasonde está a saída?  o dinheiro está envolvido nessa discussão 

num resumo, quer saber o que penso da arte moderna?  atualmente, do jeito que está, é uma arte feita por adolescentesentre com seu pai naquele museu da esquina, há uma exposição lá, imagine que os autores daquelas obras têm entre doze e dezesseis anosvai ficar tudo adequado e lógicoum copo de Monteverdi, por favor!

perdão, senhor, disse o garçom 

é brincadeiraacho que vamos desligar este gravadornão seria interessante eu escrever tudo?  coisas mais simples, mais fáceis!

assim está ótimomuito obrigado 

e termina aquimas o final não foi assimele não falou assim está ótimo, muito obrigadoele desligou o gravador e disse: assim está muito bomninguém lê mesmo estas reportagens; a turma só quer saber das fofocas de namorado e namorada 

A Espécie Humana, romance de Jorge Teles, está sendo publicado em capítulos.

Leia o capítulo anterior.

Leia a partir do capítulo O.

Continua na semana que vem.

2 Comentários para “A Espécie Humana. Capítulo 22”

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.