A Espécie Humana. Capítulo 2

há verdades

espalhadas pelo mundo 

umas escondidas e outras iluminadas e num pedestal.   

algumas cheias de mentiras,

outras contendo uma apenas verdade 

algumas que vistas daqui são mentiras

mas verdadeiras se vistas de lá 

há outras que vice-versa 

e outras ainda, que mentirosas, se vistas de lá ou de cá

por serem verdadeiras só por dentro 

há as que não o são hoje mas já foram

e aquelas que nunca foram e nunca serão

por serem apenas anseios de verdade 

há as que são mentiras se viradas ao avesso

e aquelas rebeldes

verdadeiras por todos os modos 

houve um tempo em que a verdade precisava

de deuses

ou de deus

para se impor 

e veio o tempo em que a verdade cresceu

e apareceu inusurpada

como sempre fora 

há verdades peregrinas

que vêem em busca do homem que busca

e as há também fincadas no seu lugar

à espera daquele que está por chegar 

há as que dormem e acordam mentiras

e há as irrequietas que não dormem nunca,

de medo;

essas são esquecidas no meio das teias da História 

há as que são brinquedos nas mãos das criaturas

e há as que ferem e machucam 

há as que se fingem de mentira

e conseguem enganar 

e há as que se fingem de mentira

e são facilmente desmascaradas

bem como há aquelas

carregadas de dignidade

que não aceitam tais brincadeiras 

umas precisam de jóias e flores e adereços

e outras se mostram nuas 

há as amargas e difíceis

e outras doces 

há as minhas

e as tuas

e as nossas

e as deles

e as de poucos

e as de tantos

e as de todos

e as que não pertencem a ninguém 

há verdades

espalhadas pelo mundo

A Espécie Humana, romance de Jorge Teles, está sendo publicado em capítulos.

Leia o capítulo anterior.

Leia o capítulo O.

Continua na semana que vem.

2 Comentários para “A Espécie Humana. Capítulo 2”

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.