“Você não vai fazer o quadro Serra mente?”

Alguém que se assina Helen tenta me colocar contra a parede. Acha que vai provocar meus brios. Envia o seguinte comentário ao meu post Dilma mente, a campanha de Dilma mente: “Já que somos jornalistas aprendemos a colocar os fatos de ambos os lados. Você vai fazer um quadro assim do Serra também?”

Em primeiro lugar: “somos jornalistas” quem, cara pálida? Eu, pessoalmente, que publico meu nome, assumo meu nome, até com algum orgulho, já fui jornalista, sim, durante mais de 35 anos. Nem sou mais, graças a Deus. Helen, não sei quem é.

Ao longo das quase quatro décadas em que trabalhei como jornalista, sempre considerei que ser jornalista era apenas um dos muitos papéis que desempenhava na vida. Além de ser jornalista, sou o pai de Fernanda, o marido de Mary, o cara corintiano, o sujeito pró-aborto, o defensor da eutanásia, a pessoa contra pena de morte, o que é contra a corrupção, o nepotismo e o Estado acima das pessoas, etc, etc.

Este é um site de um cidadão, não de um jornalista.

E mesmo os jornalistas têm direito à opinião, à opção.

Quando o jornalista está trabalhando na redação ou na edição para um jornal ou revista, deve, sim, tentar ser o mais objetivo possível, ouvir sempre os dois lados – relatar, reportar, informar, e não opinar.

Isto aqui não é o site de um jornal ou de uma revista, é o site de um sujeito, uma pessoa. Que escreve o que bem entender.

Para os que raciocinam seguindo os dogmas de um partido, como parece ser o caso da minha comentarista, “escrever o que bem entender” deve, de fato, ser um conceito absolutamente inconcebível.

Em segundo lugar, vamos lá. Não me consta que o Serra, ou a Marina, ou o Plínio (por que será que Helen não falou da Marina, ou do Plínio?) tenham mentido sobre seu currículo acadêmico. Não me consta que tenham mentido sobre um encontro e uma ordem para proteger a família Sarney. Não me consta que tenham fingido ser Norma Benguell. Não me consta que tenham mentido uma, duas, três, quatro, cinco, diversas vezes seguidas.

Em terceiro lugar: mesmo que o Serra, ou a Marina, ou o Plínio, fossem mentirosos contumazes, eu, Sérgio Antônio Corrêa Vaz da Silva, assinado com todas as letras e até algum orgulho (confesso o RG e o CIC numa boa, sem qualquer ameaça de pau-de-arara), não tenho que fazer no meu site coisa alguma, a não ser o que eu queira, o que eu ache que deva fazer, o que eu ache que é o certo fazer.

Direito de dizer o que se quer, o que bem entender. Liberdade de expressão.

É, vai ser muito difícil para Helen compreender esse tipo de coisa. São conceitos a que ela, parece, não está acostumada. Não tem a mínima idéia do que seja isso.

Em quarto lugar: é sempre interessante o fato de que os que atacam quem faz crítica ao PT não argumentam – tergiversam.

Helen poderia dizer: mas a Dilma não mentiu. E aí raciocinar, argumentar, expor fatos, contra-argumentar.

Não, eles não racionam, não argumentam, não expõem fatos, não contra-argumentam. Eles tergiversam. Saem pela tangente. Dizem: ah, mas todo mundo é igual, todos fazem a mesma coisa – como Lula fez ao tentar transformar o mensalão em reles caixa 2, antes de se enrolar na gramática ruim, no raciocínio pior, na desfaçatez absoluta, na cara de pau, e dizer que nada daquilo existiu.

Em quinto lugar: não, Helen, não vou fazer um quadro contra o Serra – até porque para isso existem trocentos mil blogs petralhas – e mais o presidente da República que desrespeita a lei a cada dia em suas contínuas viagens (trabalhar que é bom, nada, né?) de eterno caixeiro-viajante atrás de votos para Dilma, a que mente.    

Junho de 2010

6 Comentários para ““Você não vai fazer o quadro Serra mente?””

  1. Realmente um desabafo e uma afirmação. Com toda a razão e argumentação consistente. O Twitter anda muito agressivo. As pessoas não aceitam dialogar com quem tem opiniões diferentes ou contrárias. E os eleitores de Serra e Marina são tratados como beócios. No seu site vc tem o direito absoluto de defender aquilo em que acredita e não pode ser cerceado em sua liberdade de exprimir o que lhe convém. Vejo posts em que pessoas chamam os outros de “burro”, “imbecil” e fico pasma com certas afirmações.Será que realmente não estamos preparados para a a liberdade, para a democracia plena? Não suporto a ditadura do pensamento único que tentam nos impor. Parabéns pelo seu espaço.
    Abraços, Dolores Fernández
    http://www.fatosnoespelho.blogspot.com
    http://www.dianaesnero.blogspot.com

  2. Sérgio Vaz:
    Concordo plenamente com você. No seu blog você fala o que bem entender, e como bem entender. Pode elencar as mentiras que Serra não falou, mas não precisa dizer que ele enganou o eleitorado ignominiosamente com a mentira de que cumpriria o mandato integral de prefeito, e depois saiu para governador. Digo isto por um incontido impulso de provocá-lo. A verdade é que seu artigo está muito bem fundamentado, e até acho que você perdeu tempo demais em responder a uma anônima. PS. Não sou eleitor da Dilma.

  3. Caro Sergio Vaz
    Não tive a intenção de ser uma anônima provocadora. O meu nome inteiro é Helen Ferreira Mouço Morais, trabahei há muito tempo atrás cobrindo férias no JT com você. É claro que você pode escrever o que bem quiser, este espaço é seu. Mas com ele é aberto a comentários também achei que poderia escrever para você de maneira respeitosa, porém provocativa. Abraços.

  4. Você está certíssima em provocar, Helen. É um direito seu.
    E isso é o certo, a gente sabe muito bem: na opinião política, podemos ser
    adversários, rivais – mas não deveríamos ser inimigos.
    Um abraço.
    Sérgio

  5. Você é um grande cara de pau, é vergonhoso esse papel, não ter respeito a história da Dilma e de todos que sonham com um país justo é triste, mas afirmar que José Serra Mente, o cara de pau construiu sua carreira na mentira…espero que você tenha oportunidade de mudar de lado e não construir sua história na mentira…até melhores dias!!!

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.