Que Comam Brioches!

A pesquisa da Rede Penssan divulgada essa semana aponta que 33 milhões de brasileiros enfrentam insegurança alimentar grave, que, traduzido para o bom português, quer dizer: passam fome.

Daí vem o deputado Flávio Bolsonaro, com a cara de pau que lhe é peculiar, falar na CNN que com R$ 400,00 de Auxílio Brasil, a pessoa pode “passar dificuldades, mas fome não passa”. Só faltou dizer que, se a população não tem dinheiro pra comprar pão, que coma brioche.

Vem cá, coiso! Você sabe quanto custa em média uma cesta básica? Em torno de R$ 750,00. Você sabe o que tem lá dentro? Pois vou contar: é o básico do básico. Arroz, feijão, açúcar, óleo, sal, molho de tomate e macarrão que pode ser espaguete ou parafuso. Para uma família de quatro pessoas isso não dura um mês.

Mas ele fala com tanta convicção que parece entender muito de “dificuldades”.

E para ilustrar o assunto, o nosso “Cyborg, o Homem de 6 Milhões de Reais”, declarou que, apesar de seu salário de deputado, trabalhou duro como advogado para poder comprar a mansão em Brasília.

Se perdeu na mentira, porém. O Globo pesquisou e não encontrou o nome do doutor adevogado inscrito em nenhum processo que tramita no Rio de Janeiro – seu Estado de origem – ou em Brasília, onde passa uma parte do tempo.

Então, fio, como você não sabe o que está falando, não venha com esse papo de que o povo não tá passando fome porque não é verdade. Basta ver que até quem ainda tem um emprego não está mais conseguindo comprar “artigos de luxo”, como a carne, por exemplo.

Infelizmente o povo não tem um cartão corporativo à disposição como têm os políticos.

Seria a glória! Já pensou que farra a gente ia fazer se tivesse um cartão igual ao do papi e pudesse torrar quase 30 mil por dia? (Alguém aí acha pouco? Nénão! Multiplicando esse valor por 30 dias dá pra comprar um imóvel de alto padrão por mês. Por mês!)

Um levantamento recente da revista Veja apurou que foram gastos R$ 21 milhões no cartão corporativo da Presidência, em apenas dois anos. Só o presidente e seu vice Mourão gastaram em alimentação R$ 2,6 milhões. É comida bagaray!

Tá certo que o Leite Moça, atualmente, só é acessível aos brigadeiros e aos militares de outras patentes, mas tem dó!

Um contrassenso do tamanho de um bonde quando esse custo é comparado ao que o governo federal repassa às escolas da rede pública através do Programa Nacional de Alimentação Escolar (aliás, um contrassenso do tamanho do Expresso Oriente se comparado a qualquer coisa). Segundo publicação da Folha de S. Paulo desta última quinta-feira, para cada aluno é destinada a vultosa quantia de 53 centavos por dia. Atualmente daria para comprar meio pão francês, se ele não for muito grande, ou um ovo, se for comprado direto do carro de ovo que vende o produto mais em conta.

E voltando a falar do papi, parece que ele não tá muito bem na fita nem lá em casa.

A mami postiça Michelle Bolsonaro, em quem seu Jair estava apostando as fichas para melhorar sua imagem diante das mulheres (ele acha mesmo que isso seja possível?), não está querendo colaborar, não.

Segundo Bela Megale, jornalista do Globo, a ideia era de que ela participasse de 10 das 40 inserções partidárias do PL, mas já deu um cano na que seria a primeira gravação na semana passada. Desmarcou e não reagendou.

Significa?

Esta crônica foi originalmente publicada em O Boletim, em 10/9/2022. 

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.