Por que no Brasil há quem diga que o nazismo é de esquerda?

Hitler era declaradamente, abertamente, anticomunista. Dedicou sua vida a destruir a esquerda. Só há controvérsias entre os analfabetos sobre o assunto, que nunca leram um livro a respeito, nem viram os vídeos de pronunciamentos do Fürher.

Os extremistas de direita brasileiros tentam jogar a odiada sombra de Hitler, que paira sobre eles, para cima dos seus rivais de esquerda.

Defendem posições semelhantes às do Fürher, mas não querem ser associados a ele.

Toda a economia alemã era privada. Os bancos, o comércio, os serviços e a agricultura pertenciam à iniciativa privada.

As grandes empresas privadas da Alemanha nazista eram Bayer, Siemens, Bosch, Krupp, Mercedes, Volkswagen, Hugo Boss, Porsche, BMW, Audi, DKV, Basf, I.G  Farben e Dr. Oetker. Praticamente todas colaboraram com o nazismo. A hoje famosa grife Hugo Boss fabricava os uniformes nazistas, usando trabalhadores judeus como escravos.

Como poderia ser, como alegam os bolsonaristas, um regime socialista, se não havia controle estatal dos meios de produção, a economia era baseada em empresas privadas e até multinacionais estrangeiras, como a IBM?

Hitler era um incentivador da iniciativa privada. Mas a sua figura é hoje tão detestada que até os fascistas brasileiros querem distância da imagem dele, apesar de defenderem muitas das suas teses.

Hitler odiava o comunismo e a luta de classes. Meteu na cadeia ou mandou matar todos os comunistas, socialistas e social-democratas que encontrou pela frente.

Muito mais do que os inofensivos judeus, o grande inimigo de Hitler era a esquerda, como ele cansou de declarar nos seus pronunciamentos.

Disse no seu livro Mein Kampf que o século 20 seria o século da direita no mundo, porque ele iria destruir o comunismo.

São tantos os pronunciamentos de Hitler marcados pelo ódio à esquerda e elogios à direita ditatorial que só bolsonaristas analfabetos no assunto podem achar que o nazismo não era de extrema-direita.

Todos os líderes políticos e militares aliados de direita, como Churchill, Roosevelt, De Gaule, Truman, Eisenhower, Patton e Mongomery consideravam Hitler de extrema-direita. Basta ler as memórias da II Guerra escritas pelo conservador Winston Churchill.

Hitler era tão obcecado contra a esquerda que, contra o conselho dos seus generais, atacou a União Soviética sem estar preparado, portanto sem chances de vitória, movido só pelo ódio cego ao comunismo.

Recentemente a embaixada alemã no Brasil declarou-se espantada ao descobrir que na internet brasileira o nazismo é classificado como esquerda. Coitados, não sabem que vivemos no momento a era do orgulhoso culto à ignorância no Brasil.

A etimologia do fascismo

O nazismo é uma vertente do fascismo, pois o ídolo de Hitler era Mussolini. E o fascismo é a negação da luta de classes, a teoria básica do processo de implantação do comunismo.

O termo fascismo vem de fascio, ou fasces, em Latim, que significa feixe de varas.

Mussolini dizia que a luta de classes dividia e enfraquecida a sociedade. Mas o fascio, um feixe de varas reunido num corpo só, era inquebrantável, ao contrário de um graveto sozinho, que se partia facilmente.

Por isto pregava a união de todas as classes sociais dentro do fascismo.

Condenar a luta de classes é a negação absoluta do marxismo.

Mas, para azar dos bolsonaristas, estas informações só podem ser encontradas em livros com muita coisa escrita. E sem figuras para colorir.

Março de 2021

Nota do administrador: o site Quora, editado na Califórnia, dedica-se a responder a questões, perguntas, dúvidas de leitores mundo afora. Tem edições em várias línguas, inclusive Português. Meu amigo Luiz Carlos Toledo Pereira é um dos colaboradores do site, e escreveu a resposta à pergunta que, literalmente, foi “Por que no Brasil há tanta controvérsia sobre a orientação política do nazismo?” (S.V.)

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.