A quadratura dos dois círculos

Nonsense.

Cheguei a pensar em uma bicicleta com rodas quadradas, para não fazer feio diante das inovações do condomínio onde moro. A vida nesses amontoados de moradias feitas em série, empilhadas umas sobre as outras, é cheia de surpresas. Principalmente se tiver na gerência pessoa muito ativa. Ora, direis – mas isso é ótimo!

É, para quem gosta de novidades, não fica quieto em seu canto de apartamento, o que é meu caso. No entanto, abro exceções. Quando a síndica – eis o nome – instala grande tapete de sisal, na entrada de cada prédio do condomínio, com o letreiro “seja bem-vindo mas limpe os pés”, tem minha aprovação. Isso livra os moradores do trabalho e do custo de cada um colocar uma peça dessas à frente de sua porta, como costuma ocorrer.

O que me levou a pensar na bicicleta extravagante foi mais uma inovação da síndica. Construir um bicicletário na garagem. Minha reação lógica: de que me vale essa bobagem? Como disse, sou pessoa super acomodada. Só dirijo veículo motorizado, com exceção de charretes, que o cavalo faz a força. Ou no máximo um desses patinetes modernos, sobre os quais vamos de carona.

Mas… durante a insônia, minha conselheira e companheira, ponderei. Bicicleta ocupa espaço; guardada na lavanderia, no apartamento, atrapalha o serviço. Poderia ficar na garagem, na vaga do carro, mas é complicado – e por isso mesmo proibido. Ora, pendurada no bicicletário não ocupa espaço. E a pessoa não precisa descer com ela pelo elevador. Desce sozinha e pega a bike no térreo, como faz com o carro.

Surge então meu problema. Como vou fazer diante dos vizinhos sem uma magrela para ostentar? Vão pensar que preferi deixar no apartamento, na lavanderia, o egoísta mau-caráter não se incomoda em atrapalhar o serviço da empregada na lavanderia. Foi então que me ocorreu a bicicleta de rodas quadradas. Ficaria exposta no bicicletário, o que me eximiria de qualquer crítica. Mas, por óbvio, estaria impedido de sair com ela para onde quer que fosse.

Às vezes tenho desses vacilos. Só na insônia me dei conta de que seria melhor aprender de uma vez a andar de bicicleta e ter a minha. Vai que na reunião de condomínio se proponha erguer no jardim uma estátua deste ilustre condômino, feita de pedra. Na plaquinha: Doido de Pedra.

Julho de 2020

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.