A força das panelas

Morte por asfixia de pacientes sem oxigênio, revezamento desesperado de médicos e enfermeiros para ventilar doentes manualmente, 750 internados, incluindo bebês prematuros, tendo de ser transferidos às pressas para outros estados. O colapso do sistema de saúde do Amazonas é mais do que o retrato doloroso e cruel da inépcia do governo Jair Bolsonaro – é um divisor de águas. Não à toa, panelas e gritos de “fora Bolsonaro” ecoaram mais fortes na noite de sexta-feira. Continue lendo “A força das panelas”

Dia D!

Meu dia D é sempre a quinta-feira, quando tenho de estar com um texto pronto a ser revisado, para que chegue limpinho ao site onde será publicado no dia seguinte.

Continue lendo “Dia D!”

“Um perigo para a democracia e toda a sociedade”

“O apoio do presidente Jair Bolsonaro a dois projetos que alteram a organização das Polícias Militar e Civil (…) representa um risco institucional seriíssimo de que as polícias possam constituir um poder paralelo sob a influência de Bolsonaro. É um perigo para o estado democrático de direito e toda a sociedade.” Continue lendo ““Um perigo para a democracia e toda a sociedade””

A cerimônia da vacina

Enfim chega o dia D. O primeiro cidadão brasileiro a receber a vacina, um tiozinho simpático, dessas pessoas que por nada aparentam intensa felicidade, está a postos. A cena se dá em um palanque erguido em frente ao Palácio do Planalto. Ao lado do homem, vê-se a enfermeira, conferindo o medicamento e a seringa, que repousam em uma pequena mesa. Ali está, também, um pequeno estojo, fechado. Continue lendo “A cerimônia da vacina”

A diplomacia nos tempos Beato Salu

Imaginem qual será o nível da boa vontade de Joe Biden com o governo brasileiro. Bolsonaro foi uma dos poucos chefes de Estado a não condenar a tentativa de golpe nos Estados Unidos. Seu governo não pronunciou uma mísera palavra sobre o atentado ao Capitólio. Continue lendo “A diplomacia nos tempos Beato Salu”

Bolsonaro, o novo Zorro. Será?

Bolsonaro poderia ser um herói como o notável espadachim que ganhou as telas dos cinemas há exatamente um século? Aquele que se passava por pessoa refinada (só aí já ferrou a comparação), mas era na verdade um incansável defensor dos pobres e injustiçados contra os poderosos e corruptos? Continue lendo “Bolsonaro, o novo Zorro. Será?”

O ovo da serpente

Ao longo dos seus 245 anos, os Estados Unidos venceram vários momentos de estresse. O país enfrentou duas guerras mundiais, uma guerra fria, guerras regionais na Coréia, Vietnã, Iraque, Afeganistão, a crise dos mísseis, os assassinatos de Abraham Lincoln, John Kennedy, Martin Luther King e Robert Kennedy, o atentado terrorista de 11 de setembro, a tentativa de assassinato de Ronald Reagan. Viveu ainda o macarthismo, os conflitos raciais dos anos 60, uma corrida nuclear que deixava o mundo em suspense, Watergate e a renúncia de Richard Nixon. Continue lendo “O ovo da serpente”

O grande recomeço

Se 2020 foi o ano da destruição de vidas e de empregos pela pandemia, 2021 pode ser o ano do grande recomeço da humanidade. A última vez que vivemos momento semelhante foi após a Segunda Guerra Mundial, quando o mundo teve de ser reconstruído e foi gerada uma nova ordem civilizatória, com o fortalecimento do multilateralismo e o avanço da democracia. Continue lendo “O grande recomeço”

Este é um país que vai pra trás

Longe das utopias de qualidade de vida e modernidade que as gerações do século passado acalentaram para o futuro, o Brasil entra na segunda década do século 21 destinado à involução. Sob o patrocínio do presidente Jair Bolsonaro, os anos correm aceleradamente para trás. Continue lendo “Este é um país que vai pra trás”

O ano em que Stalin ressuscitou

A onda revisionista sobre o papel de Stalin adquiriu visibilidade no Brasil em setembro, a partir de uma entrevista de Caetano Veloso ao programa de Pedro Bial, quando o compositor disse não ser mais um “liberalóide”. O maior nome da tropicália mudou seu juízo de valor sobre o socialismo a partir da influência do youtuber e jovem marxista Jones Manuel. O professor da Universidade Federal de Pernambuco é o maior divulgador no Brasil da obra de Domenico Losurdo, filósofo italiano e principal teórico da “ressurreição” de Josef Stalin. Continue lendo “O ano em que Stalin ressuscitou”

Os brasileiros impediram o pior

Um ano tão grave e amargo como o de 2020 faz acelerar a contagem regressiva, aumentar a ansiedade e alimentar expectativas para o tempo vindouro. Mas a virada, mesmo com reza, fé e todas as mandingas, não é capaz de fazer milagres: 2021 começará com o mesmo presidente Jair Bolsonaro – bronco, negacionista, irresponsável -, com crises econômica e social ainda mais agudas, e sem vacina para fazer o país se reerguer. Continue lendo “Os brasileiros impediram o pior”