Historinhas de redação (12): o demitido continua trabalhando

Engana-se quem achar que nunca antes na história deste país aconteceu um caso como o desse afável Luiz Antônio Pagot, o diretor do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (Dnit), que, pego com a boca na botija, foi afastado do cargo mas continuou nele. Continue lendo “Historinhas de redação (12): o demitido continua trabalhando”

Historinhas de redação (10): Bill e a enchente

Num daqueles dias de enchente, Marginal do Tietê alagada, Bill Duncan, editor de Economia do Jornal da Tarde, chega ao trabalho com água pingando dos cabelos, descalço, carregando ostensivamente sapatos e meias encharcados. Continue lendo “Historinhas de redação (10): Bill e a enchente”

Historinhas de redação (6): o fulcro do assunto, ainda

Um dos grandes diferenciais do velho Jornal da Tarde, em seus tempos gloriosos, era o lead. O problema é que, para contar esta historinha sobre Marcos Faerman, lenda do jornalismo brasileiro, é preciso fazer um nariz-de-cera, que é o anti-lead. Continue lendo “Historinhas de redação (6): o fulcro do assunto, ainda”

Historinhas de redação (3): A matéria que o editor matou

Era Sexta-Feira da Paixão, feriado. Este que vos escreve perfilava-se entre os repórteres de plantão na redação do Jornal da Tarde. O Zé Maria, no comando da redação, nessa manhã, me vem com uma pauta. Continue lendo “Historinhas de redação (3): A matéria que o editor matou”

Historinhas de redação (2): O Cafa e a lista telefônica

O Inajar de Souza morreu jovem e hoje é nome de avenida da zona norte de São Paulo. Era pessoa amável, e se divertia fazendo o gênero cafajeste. Na redação, havia uma repórter bonita, que vestia com sobriedade, mas, obediente à moda, com a saia acima do joelho. Continue lendo “Historinhas de redação (2): O Cafa e a lista telefônica”