Arquivos do Rótulo: Crônicas

Não confundir zabumba com…

Almira é mulher vistosa, e toca um instrumento singular, a zabumba. Com o sanfoneiro e o do triângulo, faz sucesso na Casa do Nordeste do meu bairro. Desta vez fiquei tão empolgado, que mandei mensagem: “O que mais gostei foi dessa maravilha, a zabumba. ”O corretor de texto corrigiu: “O que mais gostei foi dessa maravilhosa bunda.” Perdi a amiga.  Ler Mais »

O espumante – pou!

Eis se não quando, o camping, uma gostosa recordação de outros tempos, volta ao meu horizonte. Precavido, já comecei a planejar o meu Réveillon, pois uma coisa tem a ver com outra. Ler Mais »

Quem semeia vento

Happy hour, fim de feriado, por que não mudar o tom da conversa? Esquecer a última do filho do Bolsonaro, o deputado Eduardo, que não vê problema se for preciso prender cem mil. Está certo, temos que resolver o problema de xadrez ocioso nos nossos presídios. Epa! Não era para não falar em política? Ler Mais »

Um sofá é um sofá é um sofá

Gênero do artigo: besteirol.

A rosa é uma rosa é uma rosa, disse Gertrude Stein. Pois digo eu: o sofá é um sofá é um sofá. Nada em comum entre aquilo que se leva ao nariz, e o outro em que se assenta a nádega, embora a poeta tenha posado para Picasso em uma poltrona, o que não tem nada a ver, pois uma poltrona é uma poltrona e… um sofá é um sofá. Ler Mais »

Tem podcasts no Spotify

Recebo um release com uma novidade: “Tem podcasts no Spotify”. Veio-me à cabeça: “Tem bobobó no bububu”. Nome de uma peça do teatro rebolado, da década de 1950.   Ler Mais »

Vou-me embora pra Pasárgada

Horror, diz Sérgio Vaz, em seu artigo diário sobre o horror. Já este seu amigo vaticina, lançando mão de manjado dito, que não adianta mais nos horrorizarmos: a vaca foi mesmo pro brejo. Ler Mais »

O casal no restaurante

Não havia aviso, como o comum “você está sendo filmado”. No entanto, o casal que, na segunda-feira, entrou em um restaurante japonês do meu bairro não escapou ileso. Não me perguntem como fui parar em um “rodízio japonês”, essa criação que deve ter deixado de cabelo em pé os antigos donos das tradicionais casas da Liberdade. Ler Mais »

Antes, e hoje

Nota de esclarecimento.

Não é sempre que o artigo para uma publicação começa com um aviso desses. Mas explico. O que segue abaixo não deve ser levado a sério, é um misto de humor com besteirol e uma pitada de nonsense.  Ler Mais »

Duas estações

Inverno

Ninguém desejaria nada do que aconteceu a Bolsonaro e a Ciro. Mas, já que aconteceu, a verdade é que a facada e a próstata projetaram os candidatos no noticiário. Ler Mais »

A cabeça do bolsonarista

Quando disse, cheio de convicção, que a Globo é comunista, classifiquei o tipo como uma curiosidade. Estou falando do treinador da academia de ginástica do meu prédio, onde, a contragosto, lido com pesos e ando na esteira. Ler Mais »

O teste do trem

Este morador de Guarulhos resolveu testar o trem. Como sabem, criado para bem servir os viajantes de avião, ele chega perto do aeroporto internacional que leva o nome da cidade. Ler Mais »

Em dia com a informática

Recentemente, jactei-me… Jactei-me?

Recomeçando: ufanei-me… Safa! Ler Mais »

Canções em Brasileiro

Sessenta anos de bossa-nova! Invejo os amigos pelas boas lembranças que devem ter daquela época. Pena que eu era muito jovenzito, não vivi aquele tempo. Ler Mais »

O galo canta para lembrar que é quem manda

Está na Wikipédia. Quando nasce o dia, “o galo canta para avisar ao galinheiro que continua vivo e no comando”. De sobra, aqui na Vila Augusta, Guarulhos, acorda quem não tem nada a ver com isso, caso da minha cunhada Dena. Ler Mais »

A Folha de camionete, o Globo e o JB de Rural Willys

A Folha tinha uma frota de modernas camionetes Ford, para entregar os jornais. Mas algumas delas ficavam para a reportagem, com este nome pintado na lataria. Ler Mais »