Arquivos do Rótulo: Artigos

Fogo nas urnas

Tornar-se presidente da República ou melar as eleições. A tática de Lula de jogar mais gasolina na crise sem precedentes que arde no país tem um aliado na outra extremidade. Tanto o dono do PT quanto Jair Bolsonaro não têm qualquer disposição de aceitar o resultado das urnas caso sejam preteridos. Ler Mais »

Há 50 anos os tanques esmagaram a primavera

O dominicano Giordano Bruno confessou sua ingenuidade de pedir para “quem tem o poder mudar o poder” às vésperas de ser queimado na fogueira da Santa Inquisição. Ler Mais »

Troca de idéias

Assim a Band descreveu o que pretendia com seu debate de quinta à noite. Debate complicado, com muitos candidatos, perguntas e respostas controladas pelo relógio, alguns candidatos escolhidos para receber as perguntas de seus concorrentes acabam com maior visibilidade, outros acabam aparecendo muito pouco. Quase sempre, cá pra nós, merecem… Ler Mais »

Ordens da prisão

 Como todo caudilho que se preza, Lula foi implacável com quem ousou contestar seu monopólio no campo da esquerda. Ler Mais »

O sexo e o empurrão

Estão no Nimas e são filmes franceses. Os organizadores chamaram ao ciclo «Os Grandes Mestres» e balizaram-no com datas, a do Big Bang e a do Apocalipse, perdão, 1930, simbólica explosão do sonoro, e 1960, já a nouvelle vague fragmentava os hábitos narrativos e excluía do cinema o que a nova França ia excluindo da vida, a saber: a ingenuidade do quartier popular, a graça nonchalant do vígaro, os sonhos de ascensão social da costureira ou da criada, a sincera admiração da pequeno-burguesinha pelo descapotável novinho em folha com que um sedutor a tenta, o apetite inter-classista por uma sexualidade consentida, mas um bocadinho empurrada, como se, tal qual se engraxam sapatos, todos andassem, de escova e lubricidade, a puxar erótico brilho ao quotidiano. Ler Mais »

Aborto e morte

As audiências públicas sobre a interrupção da gravidez promovidas pelo STF e a condenação da pena de morte, considerada inadmissível pelo Papa Francisco, jogam luzes sobre polêmicas que cedo ou tarde todas as sociedades, gostem ou não, têm de enfrentar. Ler Mais »

De grão em grão… fiz um artigo

Na minha idade a TV é uma companhia e tanto. Sobretudo quando se está acamada como eu estive na ultima semana. Eis o que mais me ocupou: Ler Mais »

A esquerda mostra suas garras

Liberdade de imprensa e independência dos poderes são pilares fundamentais de qualquer país democrático do planeta. Não por acaso, toda ditadura quando se instala trata logo de suprimi-los. Ler Mais »

Em louvor do Panteão

Já me disseram que bem podemos meter o cânone de Harold Bloom no sítio que todos sabem. Ler Mais »

O nome é Rosa

Um dia antes da manifestação que o PT pretende vistosa para registrar Lula como candidato, a ministra Rosa Weber assumirá a chefia do TSE. Caberá a ela definir o rito de exclusão do primeiro condenado em segunda instância – e preso – a solicitar a inserção de seu nome entre os postulantes à Presidência da República. Ler Mais »

As voltas que a política dá

Ler Mais »

Me Tarzan, you Jane

A ver se nos entendemos

A pedestre agramaticalidade de “Me Tarzan, you Jane” nunca foi dita por Johnny Weissmuller nesses pequenos ensaios fílmicos hollywoodianos que projectaram de liana em liana a filosofia de Jean Jacques Rousseau. Ler Mais »

O novo será cumprir a lei

Ao contrário do dito popular do futebol, política não é uma caixinha de surpresas. Quanto mais por aqui, onde as regras são definidas pelos próprios jogadores que querem continuar em campo. Perdeu quem apostava em alguma novidade nas alianças agora anunciadas, que, após ameaças de vindas e idas, recolocam os competidores nas suas raias habituais. Ler Mais »

Celaconto provoca maremoto

Quem já sabia ler no início de 1980 com certeza vai se lembrar dessa frase que tomou conta dos muros do Rio de Janeiro e logo se espalhou pelo Brasil. Não queria dizer nada, era altissonante, era gostosa de dizer e provocava uma baita curiosidade. Ler Mais »

De Somoza a Ortega

A esquerda latino-americana voltou a se reunir em Cuba, no Foro de São Paulo, do qual participou a presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann. Dela não se espere uma palavra de solidariedade aos nicaraguenses, vítimas da ditadura sanguinária de Daniel Ortega, um ícone dos bolivarianos e terceiro-mundistas. Ler Mais »