Carta aberta ao presidente da República

Rio de Janeiro, 5 de março de 2010

Presidente Lula:

O senhor, no dia 24 de fevereiro próximo passado, em Havana, Cuba, ao ser interpelado sobre por qual motivo não atendera aos pedidos dos dissidentes cubanos que gostariam de conversar consigo, declarou que não recebera carta alguma e que “As pessoas precisam parar com o hábito de fazer carta, guardar para si e depois dizer que mandaram.” Continue lendo “Carta aberta ao presidente da República”

Atração fatal

A indignação que atos de repressão, cerceamento de liberdades, prisões arbitrárias e assassinatos por discordância a regimes autoritários provoca à maioria dos mortais parece pouco incomodar o governo do presidente Lula. O vexame de Cuba nesta semana foi só mais um exemplo. Continue lendo “Atração fatal”

Minha cidade em dois tempos

Era um simples vilarejo onde alguns moravam e outros passavam. Era um vale ao pé da montanha, a Serra do Curral. Desenharam aqui a capital republicana, cidade planejada, sonhada para ser perfeita. Operários a construíram: paredes, casas, ruas e avenidas. E foram morar na periferia. Funcionários públicos ocuparam os lugares nobres. Continue lendo “Minha cidade em dois tempos”

O trem que não existiu, mas existiu

Em julho, comemoram-se cem anos de nascimento do criador de um trem que não existiu. Embora tenha existido… Falamos de João Rubinato, nascido em Valinhos, em 1910, de família pobre. É ele o autor do grande sucesso do repertório nacional “Trem das Onze”. Embora, na verdade, o autor seja Adoniran Barbosa, morto em São Paulo, em 1982. Continue lendo “O trem que não existiu, mas existiu”

Uma canção de Chico, outra também

Há alguns meses – setembro, outubro – um e-mail de Leonel Prata me contava que ele estava trabalhando na edição de um livro sobre a obra do Chico. O Buarque, é bom que se esclareça. Afinal, convivemos com Chicos e mais Chicos, todos merecidamente conhecidos. Continue lendo “Uma canção de Chico, outra também”

O encanto de descobrir Manoel de Barros

Premiado no Festival Paulínia de Cinema de 2009 como melhor documentário, Só dez por cento é mentira tem conquistado elogios e aplausos onde é exibido. Pedro Cezar, seu diretor, fez um filme lúdico sobre o recluso Manoel de Barros, poeta sul-mato-grossense respeitado nacional e internacionalmente como um dos mais originais do século passado e mais importantes do Brasil. Continue lendo “O encanto de descobrir Manoel de Barros”

O artigo de Alberto Dines que foi censurado

Alberto Dines – um dos nomes mais importantes da história do jornalismo brasileiro – foi censurado pelo portal Último Segundo, do iG. Há cinco anos Dines escrevia um artigo semanal para o portal; semana passada, para publicação na sexta, dia 27 de fevereiro, ele escreveu sobre a viagem de Lula a Cuba e a morte do preso político Orlando Zapata Tamaya. Continue lendo “O artigo de Alberto Dines que foi censurado”

O dia em que Lana Turner se apaixonou por um piloto brasileiro

Durante a Segunda Guerra, os grandes astros de Hollywood dos anos 30 e 40 costumavam visitar as bases americanas espalhadas pelo mundo. Chegavam discretamente em vôos especiais das Forças Armadas americanas, faziam o que tinham que fazer e, discretamente, iam embora. Segundo a crença geral, o moral dos soldados crescia com a simples aparição dos artistas. Continue lendo “O dia em que Lana Turner se apaixonou por um piloto brasileiro”

Arruda ajuda

O espetáculo de corrupção explícita protagonizado pelo governador do Distrito Federal José Roberto Arruda e seus comparsas conseguiu fazer um milagre que santo algum imaginaria possível: obrigar o Executivo, o Legislativo e o Judiciário a se coçarem para dar resposta aos brasileiros, fartos de tanta ladroagem e malversação do dinheiro público. Continue lendo “Arruda ajuda”

“Democratização da informação”

Em nações onde impera a liberdade de imprensa o poder é sempre vigiado e cobrado, independentemente de sua coloração ideológica. No Brasil dos nossos dias, a oposição mais lúcida e conseqüente que está sendo feita ao governo Luiz Inácio Lula da Silva – superior em larga medida à dos partidos políticos – está nas páginas de jornais e revistas do País. Continue lendo ““Democratização da informação””

As águas rolaram

Num concurso para ver quem bebia mais cachaça e não caísse, o meu querido amigo era um David diante de um Golias. Um gringo pra lá de forte, musculoso, largo e alto era seu adversário. Uma potência em deglutir destilados. Continue lendo “As águas rolaram”

Buena Vista Social Club

O capitalismo, que exclui 4 bilhões de seres humanos

de seus benefícios básicos, não é mesmo capaz de suportar

o fato de 11 milhões de habitantes de um país

pobre viverem com dignidade e se sentirem espelhados

no saudável e alegre Buena Vista Social Club”

(Frei Betto, Correio Braziliense, 4/12/09,”A blogueira Yoani e suas contradições”) Continue lendo “Buena Vista Social Club”