Michelangelo

Quase aos gritos, eles discutem:

– Vocês, escultores, trabalham com os músculos, com a força do braço, com o suor imundo.

– Você, que diz que a pintura é mais nobre que a escultura, não sabe nada, não entende nada.

Os dois homens estão em uma das ruas de Florença, falando alto, gestos exaltados, insultos. O primeiro retruca: Continue lendo “Michelangelo”

O sucesso meteórico do Secos e Molhados

Não foi um sucesso qualquer. Foi um sucesso como nunca antes se vira, rápido, incrivelmente rápido, fulminante. Quanto é que seria possível imaginar, mesmo usando muita imaginação, que um conjunto há até pouco tempo desconhecido conseguiria bater o imbatível Roberto Carlos, até mesmo no mês de dezembro, o mês do lançamento anual do disco do então senhor e rei? Continue lendo “O sucesso meteórico do Secos e Molhados”

Carta

Sua carta chegou hoje. Tremi ao segurar nela. Antes de ler, fiquei um tempão olhando sua letra, observando todas as formas e detalhes, procurando ver suas mãos no que elas escreveram. Continue lendo “Carta”

Mãe

O menino estava sentado na cama, seus olhos fixos num ponto qualquer do chão. A mãe entrou:

– O que está fazendo? Continue lendo “Mãe”