Um choro – e lá se vão R$ 32 milhões

Um certo Chorão causou  prejuízo de R$ 32 bilhões à Petrobrás. Não que fosse sua intenção fazê-lo.  No ano passado, anunciando-se como motorista particular, concorreu a uma vaga na Câmara dos Deputados, por Goiás – mas não levou. Hoje, tem como principal prerrogativa ser um dos líderes dos caminhoneiros. Continue lendo “Um choro – e lá se vão R$ 32 milhões”

Vem aí o Lulllapallocci

Um novo espetáculo para embalar fãs empolgados poderá agitar novamente o Autódromo de Interlagos.  No mesmo espaço do recém terminado Lollapalooza,  surgirá o… Lullapallocci. Isto é, Lulapalocci. Como, se o ex-ministro não poupou o ex-presidente em seus depoimentos à Justiça? Continue lendo “Vem aí o Lulllapallocci”

Chegou a Brigada de Combate a Incêndios

Já que o porta-voz porta muito pouco a voz de Bolsonaro, e ele continua a falar pelos cotovelos (ou pelo intestino), alguém no Palácio teve uma boa ideia. Por que o presidente não lê as suas falas, escritas por um competente ghost writer?  Continue lendo “Chegou a Brigada de Combate a Incêndios”

Quando as imagens vinham em palavras

“Atenção, atenção! Aqui fala o seu Repórter Esso, testemunha ocular da História”. Era 28 de agosto de 1941. O locutor Romeu Fernandes fazia a primeira transmissão do programa da Rádio Nacional do Rio: a aviação alemã havia atacado a Normandia, na França. Continue lendo “Quando as imagens vinham em palavras”

O político no divã

No divã:

Doutor, nunca, em tantos anos na política, imaginei viver uma situação como a que me traz aqui. Já estou no quinto mandato, tive tudo o que o cargo oferece… vou ser sincero, doutor, muito, muito mais do que esperava. Mais do que o senhor e o Ministério Público poderiam imaginar. Continue lendo “O político no divã”

Lendo na chuva. Ou na piscina

O livro de papel, depois a tela do e-book. E, agora, o e-book à prova d´água. Uai, pensei, mesmo não sendo mineiro.  Pra que isso? Não sei por que lembrei do Gene Kelly dançando na chuva, com guarda-chuva mas todo molhado. Hoje poderíamos, além de dançar, ler? Continue lendo “Lendo na chuva. Ou na piscina”

“Bolsonaro atira e mata”

A manchete do Estadão de domingo, 30 de dezembro, começava no meio da página, exatamente acima da dobra: “Para Temer, Bolsonaro não”. Desdobrando o jornal surgia a segunda linha: “deve desprezar Congresso”. Resolvi fazer uma gaiatice. Introduzi um ponto final na primeira linha. Ficou: “Para Temer, Bolsonaro não.”   Continue lendo ““Bolsonaro atira e mata””

Ágape de Natal

De repente, caí em si, como diz o outro. Se as pessoas cozinham o tempo todo, na tela da tevê ou fora dela, por que eu não? Logo entrava na cozinha com livros de receita escapando dos braços. Continue lendo “Ágape de Natal”

Não confundir zabumba com…

Almira é mulher vistosa, e toca um instrumento singular, a zabumba. Com o sanfoneiro e o do triângulo, faz sucesso na Casa do Nordeste do meu bairro. Desta vez fiquei tão empolgado, que mandei mensagem: “O que mais gostei foi dessa maravilha, a zabumba. ”O corretor de texto corrigiu: “O que mais gostei foi dessa maravilhosa bunda.” Perdi a amiga.  Continue lendo “Não confundir zabumba com…”

O neto e o cãozinho

Meu neto César, doze anos, veio me perguntar, com muito jeito, se podia trazer para casa um cãozinho. Ele e a mamãe Mônica moram em casa, mas estão voltando para o apartamento deles. O problema é que vovô não tem nenhuma simpatia por pets. Mas, explicou ele, é só por 15 dias.  Continue lendo “O neto e o cãozinho”