Arquivos da Categoria: Sérgio Vaz

A cegueira ideológica contra a intervenção

No meio de tantas demonstrações de insensatez, insanidade, ignorância ou má-fé a respeito da intervenção federal na segurança do Estado do Rio, dois textos publicados nestes últimos dias confortam com análises lúcidas, calmas, claras. Ler Mais »

Marina já não tloca letla

A um mês do quinto aniversálio, já não palece que algum dia Marina tlocava letlas. Nossa pequena é agora uma ex-Cebolinha.

E fica cada vez mais definido que ela é, afinal, uma canhotinha. Ler Mais »

O novo JB chega com ginástica mental

A volta do título Jornal do Brasil às bancas é em princípio um fato positivo, que deveria ser saudado e festejado por todas as pessoas de bem, todos os cidadãos que apreciam a democracia. Ler Mais »

O lulo-petismo a tudo avilta

“La derecha, a todo lo envilece.”

A direita avilta tudo – mas em espanhol fica mais bonito. Envilece! Que palavra forte, poderosa. A direita a tudo avilta, a tudo desonra. A direita a tudo transforma em coisa vil. Vil. Má. Pestilenta. Ler Mais »

A voz mais lúcida

Democracia implica necessariamente em tolerância com o diferente. É preciso sempre ouvir o outro.

Ser progressista é uma visão de mundo, uma visão moderna, de quem entende as profundas mudanças pelas quais o mundo está passando. Ler Mais »

O vampirão acabou com a recessão

O tom é mais ou menos assim: é um governo pavoroso, um horror, um nojo, o pior do mundo, nunca houve nem haverá outro tão horrível – mas, diabo, que droga, infelizmente é preciso admitir que ele melhorou a economia. Tirou o país da recessão em que o lulo-petismo o enfiou!  Ler Mais »

Tinha mesmo que fazer a intervenção

É correta a decisão do governo Temer de promover a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. Ler Mais »

Carnaval, desengano

É absolutamente fantástico, incrível, inacreditável como o lulo-petismo ainda consegue enfeitiçar tanta gente tida como intelectual e artista – nessas categorias incluídos também carnavalescos e chefões de escolas de samba –, conforme demonstraram os desfiles da Marquês de Sapucaí e os histéricos aplausos dos seguidores da seita à Tuiuti e à Beija-Flor. Ler Mais »

Lauro Machado Coelho: cultura e integridade

Quando adolescente, em Belo Horizonte, ele tinha a fama de chegar às reuniões de um cineclube com um exemplar do Cahiers du Cinéma debaixo do braço. Isso na década de 60, numa cidade ainda bastante interiorana. Discutia as tendências da Nouvelle Vague, falava sobre qualquer diretor de vanguarda… Ler Mais »

Mas que estão inquietos, lá isso estão

Ouço bando de fogos ao longe, não muito longe. Digo: “Ih, chegou droga boa!” Mary, embora enfiada na produção de seu artigo de domingo, esclarece: “Não, é o carnaval!” Ler Mais »

Novos velhos suportes físicos

Não faz nem três meses que botei fora uma montanha de suportes físicos. Livros, DVDs, CDs, papéis, papéis, papéis – quilos e mais quilos e mais quilos de suportes físicos foram retirados de dentro do apartamento, como efeito colateral do tsunami que foi a descupinização e pintura da casa, que descrevi em diversos capítulos aqui. Ler Mais »

O triplex, o sítio e as provas

No mesmo dia, a quinta-feira, 2 de fevereiro, os cariocas (por direito e espírito, embora não de nascimento) Ruy Castro e Nelson Motta publicaram textos preciosos, precisos, perfeitos – além de bem-humorados, o santo bom humor carioca – sobre o triplex do Guarujá e o sítio de Atibaia. Ler Mais »

Dr. Michel Jekyll e Mr. Temer Hyde

O apelido “mordomo de filme de terror” pegou em Michel Temer desde que foi usado pela primeira vez, ainda em 1999, por ACM, Antônio Carlos Magalhães, por sua vez conhecido como o “Toninho Malvadeza”. Apelidos sarcásticos são das coisas que pegam na política brasileira – e a verdade é que em Michel Temer tudo o que é ruim pega, gruda, não sai. Ler Mais »

Irresponsible news

O jornalista Ancelmo Gois afirmou nesta sexta-feira na sua coluna em O Globo que “a participação do presidente Michel Temer em Davos, na Suíça, passou quase despercebida”. Ler Mais »

Pobre, pobre, pobre Temer!

Pobre, pobre, pobre Michel Miguel Elias Temer Lulia! Tadinho dele, meu Deus do céu e também da terra. As ninfas, as fadas, as musas, as deusas não o agraciaram com a sorte. Ler Mais »