O homem mau

Jair Bolsonaro é um homem mau. Narcisista (que se acha um mito a ser admirado), psicopata (sem empatia com os outros) e “maquiavelista” (faz o diabo em nome de seus interesses), ele se enquadra com precisão no que a psicologia chama de “tríade obscura” para caracterizar uma “pessoa ruim”. Deveria ser legalmente interditado. Continue lendo “O homem mau”

Sob o domínio dos ratos

Relaxamento da lei da improbidade e das regras para prisão de parlamentares, com abrandamento na Lei da Ficha Limpa. O pacote da impunidade, deflagrado fora dos ritos regimentais e com celeridade jamais vista, é o primeiro efeito prático da aliança deletéria entre o centrão e o presidente Jair Bolsonaro, aquele que enganou seus eleitores se dizendo um combatente da corrupção.  Continue lendo “Sob o domínio dos ratos”

Impeachment por traição

Está lá na página 74: “os preços praticados pela Petrobras deverão seguir os mercados internacionais…”. Na página 10, outra garantia: “faremos uma aliança da ordem com o progresso, um governo liberal democrata”. No caput, o compromisso com um “governo decente…sem toma lá-dá-cá, sem acordos espúrios”. Continue lendo “Impeachment por traição”

Bolsonaro vai passar

Talvez a culpa seja do cancelamento do carnaval, dias de alegria, mesmo fugazes, em que “uma ofegante epidemia” invade o corpo e a alma da nossa “pátria-mãe tão distraída”. Em vez de folia, peito apertado, coração doído, bolso e barriga vazios, incertezas.  Continue lendo “Bolsonaro vai passar”

O anti-lavajatismo é pró-Moro

São no mínimo apressadas as análises de que Sérgio Moro é o maior derrotado no julgamento da 2ª Turma do STF que liberou para a defesa do ex-presidente Lula o acesso a mensagens, obtidas por hackers, que teriam sido trocadas entre o ex-juiz e os promotores da Lava-Jato de Curitiba. Não é descartável – e é até bastante provável – a hipótese de que a percepção popular seja a de que há um esforço combinado para enterrar investigações e punições que há anos tiram o sono de boa parte da República. Até porque existe mesmo. E é aí que Moro pode dar a volta por cima. Continue lendo “O anti-lavajatismo é pró-Moro”

Pátria armada

O quadro escrito a giz em frente ao restaurante anunciava: “1 ano de churrasco grátis pra quem matar o João Doria Jr.”. Embora pareça coisa de bang-bang de quinta categoria, a oferta criminosa era real, feita pela Casa de La Parrilla, na Vila Mariana, bairro nobre da cidade de São Paulo. No mesmo dia, o presidente Jair Bolsonaro, esbanjando alegria após a semana de vitórias no Congresso, rebatia na tecla de armar a população: “A arma evita que um governante de plantão queira ser ditador”. Continue lendo “Pátria armada”

Zebras existem

Como boa parte dos parlamentares desdenha dos eleitores em nome do lucro fácil, o presidente Jair Bolsonaro deve sair vitorioso nas eleições para as presidências da Câmara e do Senado. Animado, ele já dá o resultado a seu favor como certo, ainda que falte contar as favas, algo difícil em eleições secretas, por mais fartas que sejam as ofertas.  Continue lendo “Zebras existem”

Bolsonaro tenta ir à forra

Levado à lona por auto nocaute depois de inventar e alimentar cotidianamente a guerra da vacina que perdeu para o governador paulista João Doria, o presidente Jair Bolsonaro prepara sua volta ao ringue. E pretende fazê-lo de forma gloriosa, elegendo seus candidatos à presidência da Câmara e do Senado. Sem meias palavras, cada voto depositado no senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e no deputado Arthur Lira (PP-AL) terá o condão de redimir o pior presidente da República que o país já experimentou. Continue lendo “Bolsonaro tenta ir à forra”

A força das panelas

Morte por asfixia de pacientes sem oxigênio, revezamento desesperado de médicos e enfermeiros para ventilar doentes manualmente, 750 internados, incluindo bebês prematuros, tendo de ser transferidos às pressas para outros estados. O colapso do sistema de saúde do Amazonas é mais do que o retrato doloroso e cruel da inépcia do governo Jair Bolsonaro – é um divisor de águas. Não à toa, panelas e gritos de “fora Bolsonaro” ecoaram mais fortes na noite de sexta-feira. Continue lendo “A força das panelas”

Este é um país que vai pra trás

Longe das utopias de qualidade de vida e modernidade que as gerações do século passado acalentaram para o futuro, o Brasil entra na segunda década do século 21 destinado à involução. Sob o patrocínio do presidente Jair Bolsonaro, os anos correm aceleradamente para trás. Continue lendo “Este é um país que vai pra trás”

Os brasileiros impediram o pior

Um ano tão grave e amargo como o de 2020 faz acelerar a contagem regressiva, aumentar a ansiedade e alimentar expectativas para o tempo vindouro. Mas a virada, mesmo com reza, fé e todas as mandingas, não é capaz de fazer milagres: 2021 começará com o mesmo presidente Jair Bolsonaro – bronco, negacionista, irresponsável -, com crises econômica e social ainda mais agudas, e sem vacina para fazer o país se reerguer. Continue lendo “Os brasileiros impediram o pior”

A mentira como método

Que o presidente Jair Bolsonaro é um mentiroso profissional ninguém mais discute. Não pairam dúvidas quanto ao valor de suas palavras, que, quando muito, beiram moedas de 3 centavos. Mas em sua live semanal, na última quinta-feira, ele surpreendeu até os aliados mais fiéis. Jogou no lixo a dignidade – se é que ela existe – do ministro Kassio Nunes Marques, indicado por ele para o STF, e desencadeou uma nova crise com a Câmara, à beira da sucessão de Rodrigo Maia. Continue lendo “A mentira como método”

O PT pró-Bolsonaro

Depois de incinerar os valores éticos que dizia encarnar, azeitar parcerias com o diabo, dilacerar o Estado e dinamitar a própria esquerda que se arvorou em liderar, o Partido dos Trabalhadores ensaia mais uma crueldade. Fiel da balança na eleição para presidente da Câmara dos Deputados, o PT pode coroar a primeira vitória política do presidente Jair Bolsonaro no Parlamento. Continue lendo “O PT pró-Bolsonaro”

Rachadinha não é crimezinho

A primeira obrigação é dar nome aos bois: rachadinha é um apelido simpático para desvio de dinheiro público, peculato no juridiquês. Em geral, a apropriação indébita de proventos de funcionários – fantasmas ou não – também está intimamente ligada à lavagem de dinheiro, esquema que o delinquente forçosamente cria para encobrir a origem da bufunfa garfada. Não raro, associa-se à organização criminosa devido à necessidade de estruturar e comandar redes azeitadas de coleta e de ocultação do delito. Continue lendo “Rachadinha não é crimezinho”

2022 é só em 2022

O PT do ex Lula e o presidente Jair Bolsonaro perderam feio. O centro avançou, a abstenção bateu recordes. Mas, para além do óbvio, será necessário ultrapassar a fase das análises apressadas, algumas absolutamente irresponsáveis, para entender as motivações do eleitor e suas variáveis. Continue lendo “2022 é só em 2022”