Abusos em série

Todo abuso gera consequências desastrosas, terríveis, por vezes fatais. Do político que rouba ao policial que mata “por engano”, da criação do inimigo invisível ao crime de ódio, do acusador sem provas ao juiz que paira acima da lei. É nessa espiral de exorbitâncias que o país está metido. Uma tragédia de erros que ameaça a ordem institucional, prenunciando um futuro sombrio se não vier um rápido freio de arrumação. Continue lendo “Abusos em série”

Bolsonaro dá medo

O presidente Jair Bolsonaro não é de falar por muito tempo. Pelo menos em público. Seus discursos variam entre curtos e curtíssimos. Parece ter dificuldades de ir além dos 280 caracteres admitidos pelo Twitter, rede na qual se mostra plenamente à vontade. Nos dois ambientes – virtual e presencial – coleciona tropeços, alguns feios, mas passíveis de arrumação ou pedidos de desculpa. Continue lendo “Bolsonaro dá medo”

Bolsonarinho paz e amor

Piadas, tapinhas nas costas, abraços efusivos e fotos. O mesmo Jair Bolsonaro que até poucos dias atrás enxovalhava políticos e jornalistas agora é todo sorrisos. Na quinta-feira, passou o dia recebendo presidentes de partidos, fez carinho, falou coisas em que ele não crê, pediu desculpas em particular pelas caneladas públicas que distribuiu.  Continue lendo “Bolsonarinho paz e amor”

O novo é pra lá de velho

Nós, os virtuosos, contra eles, a incorporação de todos os males. O mantra do bolsonarismo nada mais é do que a reedição com sinal trocado do antagonismo alimentado por mais de uma década pelo PT. Uma estratégia-escorpião, exitosa por algum tempo, mas que pode acabar, como a história recente mostrou, por envenenar seus praticantes.  Continue lendo “O novo é pra lá de velho”

E ainda não tem 100 dias

Em 7 de outubro, diante do resultado do primeiro turno que o colocava na liderança com mais de 46% dos votos contra 28% do segundo colocado Fernando Haddad, o então candidato Jair Bolsonaro usou o Facebook para comemorar e agradecer aos eleitores. Ao vivo e em cores, prometeu “unir o povo, unir os cacos que nos fez o governo de esquerda”, caso fosse vitorioso. Ao chegar à Presidência não fez valer a jura: traiu milhões de eleitores. Continue lendo “E ainda não tem 100 dias”

Besteira demais, governo de menos

Políticos estão sempre em campanha, mesmo os que negam de mãos juntas. Mas costumam usar os anos ímpares para consolidar votos e engordar o eleitorado. O presidente Jair Bolsonaro faz a dieta inversa: queima popularidade na largada, boa parte dela desperdiçada em questões comezinhas, distantes de tudo aquilo que é importante e urgente para o país. Continue lendo “Besteira demais, governo de menos”

A República familiar vence

Gustavo Bebianno fica, Bebianno cai, fica de novo, cai. O que menos importa é o destino do ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, um aliado de primeira hora do então candidato Jair Bolsonaro, que se tornou coadjuvante de um roteiro explosivo protagonizado em dupla pelo papai presidente e o filho do meio, Carlos. Mais uma absurda e desnecessária confusão de um governo que adora promovê-las.

Continue lendo “A República familiar vence”

Sem técnico, o jogo anda

Depois de muitas cabeçadas, trombadas, idas e vindas, vindas e idas, na primeira semana de fevereiro o novo governo começou a mostrar a que veio. Colocou na mesa projetos arrojados de combate à corrupção e à criminalidade, reivindicados pelos brasileiros que foram às urnas no ano passado, e da reforma da Previdência, o mais necessário e polêmico de todos. Tudo certo, menos em um detalhe: faltou o titular. Continue lendo “Sem técnico, o jogo anda”

Ideologia acima de tudo

Nada, absolutamente nada, parece seduzir mais o presidente Jair Bolsonaro do que a missão que ele julga divina de derrotar o “viés ideológico”, cuja frequência em seus discursos rivaliza com a de “Deus acima de tudo”. Não perde uma única oportunidade. Continue lendo “Ideologia acima de tudo”

Baila comigo

Voltar atrás, corrigir, pedir desculpas são atos louváveis. Merecem elogios, devem ser incentivados. Mas até os principiantes aprendem rapidamente que é estupidez insistir no erro. Lição básica que Jair Bolsonaro parece não querer assimilar. E, com erros em cima de erros, o presidente se arrisca a minar a confiança nele depositada. Continue lendo “Baila comigo”

Chacota, zombaria, deboche

Paraíso da piada pronta, o Brasil definitivamente não é para iniciantes. Embora as frases-clichês não careçam de confirmação, o PT foi além da anedota ao relançar a candidatura do ex Lula, preso por corrupção e lavagem de dinheiro, para o Nobel da Paz de 2019. Continue lendo “Chacota, zombaria, deboche”

Insana cruzada

Cultura custa pouco e rende muito. Em todos os sentidos. E, para desgosto dos bolsonaristas fieis que entopem as redes sociais com achincalhes a artistas, demonizados e tratados como bandidos, os incentivos via Lei Rouanet geram mais postos de trabalho e riqueza do que os concedidos a qualquer outro segmento. Continue lendo “Insana cruzada”