Bolsonaro e Lula lucram com Moro ferido

Ter um ministro da Justiça suspeito de atentar contra a própria Justiça seria desconfortável para qualquer governante. Para Jair Bolsonaro, o episódio que animou os adversários é quase uma bênção, que realoca o debate para o campo simplista das paixões entre os pró e os contra a Lava-Jato. Um ambiente usado com sucesso na campanha, que dá ao presidente chances de voltar a ter nas mãos rédeas que andavam soltas. Continue lendo “Bolsonaro e Lula lucram com Moro ferido”

Bolsonaro se finge de tolo

Ninguém poderia se dar ao luxo de priorizar o supérfluo quando o essencial agoniza. Mas nem os 13,4 milhões de desempregados, a economia estagnada, beirando a recessão, a violência crescente, a miséria abundante, a saúde e educação em frangalhos, afastam o presidente Jair Bolsonaro de privilegiar uma agenda acessória, limitada aos seus fiéis. Continue lendo “Bolsonaro se finge de tolo”

Quem fala demais…

Revigorado pelas manifestações em seu favor e deixando o digladio com os contras para o seu ministro da Educação, Abraham Weintraub, o presidente Jair Bolsonaro se animou. Na semana passada, reuniu-se com os poderes Legislativo e Judiciário, fez visita surpresa ao Congresso, elogiou parlamentares. Pregou a cartilha das privatizações, e, no melhor estilo popularesco, foi para a rua, reservando parte da agenda em Goiás para um almoço “improvisado” com caminhoneiros. Continue lendo “Quem fala demais…”

Acredite quem quiser

Neste domingo manifestações bolsonaristas acontecem em diversas cidades do país. Poderão ser grandes ou não, maiores ou menores do que as do último dia 15. Isso pouco importa. O extraordinário é um presidente da República já precisar de gente nas ruas em sua defesa antes mesmo de completar cinco meses de governo. Nem Fernando Collor de Mello, o caçador de marajás que confiscou a poupança, conseguiu perder tanto apoio em tão pouco tempo. Continue lendo “Acredite quem quiser”

Chutando paus e barracas

Não é coincidência, muito menos caso impensado. Na mesma semana em que o filho Flávio se enroscou ainda mais nas investigações que apuram movimentações suspeitas em dinheiro vivo dos tempos em que o 01 era deputado estadual, o pai presidente eleva o tom de ódio e recrudesce as relações com o Parlamento, ao qual diz não pretender se “sucumbir”. Continue lendo “Chutando paus e barracas”

Governo em autocombustão

Em um texto publicado no Twitter na última quinta-feira, o vereador Carlos Bolsonaro convoca a população para, “respeitosamente”, acordar. Com seu usual português ruim, o filho 02 alerta: “As coisas estão todas invertidas e muitos ainda não percebem! O problema não é de governo, é de nação! Mesmo que me custe algo maior, não me preocupa meu futuro político, mas com o que muitos estão caindo e o amanhã livre pode não existir.” No dia seguinte, não menos enigmático, o pai presidente diz que poderá enfrentar um tsunami nesta semana. Continue lendo “Governo em autocombustão”

O presidente ficou nu

Pouco importa se o presidente Jair Bolsonaro desistiu de ir a Nova York receber o título de “Pessoa do Ano” conferido pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos (Brazilcham). Na verdade, a honraria pode ficar bonita no peito do capitão, como ficou nos dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Bill Clinton, mas nada significa para o país. Continue lendo “O presidente ficou nu”

Abusos em série

Todo abuso gera consequências desastrosas, terríveis, por vezes fatais. Do político que rouba ao policial que mata “por engano”, da criação do inimigo invisível ao crime de ódio, do acusador sem provas ao juiz que paira acima da lei. É nessa espiral de exorbitâncias que o país está metido. Uma tragédia de erros que ameaça a ordem institucional, prenunciando um futuro sombrio se não vier um rápido freio de arrumação. Continue lendo “Abusos em série”

Bolsonaro dá medo

O presidente Jair Bolsonaro não é de falar por muito tempo. Pelo menos em público. Seus discursos variam entre curtos e curtíssimos. Parece ter dificuldades de ir além dos 280 caracteres admitidos pelo Twitter, rede na qual se mostra plenamente à vontade. Nos dois ambientes – virtual e presencial – coleciona tropeços, alguns feios, mas passíveis de arrumação ou pedidos de desculpa. Continue lendo “Bolsonaro dá medo”

Bolsonarinho paz e amor

Piadas, tapinhas nas costas, abraços efusivos e fotos. O mesmo Jair Bolsonaro que até poucos dias atrás enxovalhava políticos e jornalistas agora é todo sorrisos. Na quinta-feira, passou o dia recebendo presidentes de partidos, fez carinho, falou coisas em que ele não crê, pediu desculpas em particular pelas caneladas públicas que distribuiu.  Continue lendo “Bolsonarinho paz e amor”

O novo é pra lá de velho

Nós, os virtuosos, contra eles, a incorporação de todos os males. O mantra do bolsonarismo nada mais é do que a reedição com sinal trocado do antagonismo alimentado por mais de uma década pelo PT. Uma estratégia-escorpião, exitosa por algum tempo, mas que pode acabar, como a história recente mostrou, por envenenar seus praticantes.  Continue lendo “O novo é pra lá de velho”

E ainda não tem 100 dias

Em 7 de outubro, diante do resultado do primeiro turno que o colocava na liderança com mais de 46% dos votos contra 28% do segundo colocado Fernando Haddad, o então candidato Jair Bolsonaro usou o Facebook para comemorar e agradecer aos eleitores. Ao vivo e em cores, prometeu “unir o povo, unir os cacos que nos fez o governo de esquerda”, caso fosse vitorioso. Ao chegar à Presidência não fez valer a jura: traiu milhões de eleitores. Continue lendo “E ainda não tem 100 dias”

Besteira demais, governo de menos

Políticos estão sempre em campanha, mesmo os que negam de mãos juntas. Mas costumam usar os anos ímpares para consolidar votos e engordar o eleitorado. O presidente Jair Bolsonaro faz a dieta inversa: queima popularidade na largada, boa parte dela desperdiçada em questões comezinhas, distantes de tudo aquilo que é importante e urgente para o país. Continue lendo “Besteira demais, governo de menos”