Quem pergunta quer saber

O Brasil em lascas, quase parando, com seu povo desanimado e embrutecido pelas notícias que assombram até os corações mais fortes, e vem o capitão que, por obra e graça das bruxas, se elegeu presidente deste pobre país e pergunta, ao sentir que o desagrado que provoca é muitas vezes maior que a admiração que por breves momentos suscitou: “O que é que eu fiz de errado?” Continue lendo “Quem pergunta quer saber”

Só nos resta pedir perdão ao Barão

José Maria da Silva Paranhos Júnior, Barão do Rio Branco, foi um dos mais notáveis homens públicos brasileiros. A ele devemos nosso mapa, nossas fronteiras. A ele devemos o instituto da diplomacia de grande mérito, com o Ministério das Relações Exteriores que comandou durante 10 anos sendo objeto da admiração de vários países do mundo. Continue lendo “Só nos resta pedir perdão ao Barão”

Armas e lágrimas

“A chacina da escola de Suzano requer solidariedade às vítimas e reflexão: falar em armar professores é um desatino. Armas devem estar nas mãos de policiais e militares que saibam usá-las para proteger cidadãos e retirá-las de bandidos que atazanam o povo.” ( Fernando Henrique Cardoso.) Continue lendo “Armas e lágrimas”

Coitado do Brasil

Já não sou carnavalesca, mas já fui. Em criança, me fantasiavam e levavam aos bailes infantis. À aproximação dos dias de folia, a casa se enchia de confetes e serpentina e todos, ou quase todos, sabiam as marchinhas que iriam encantar os foliões naquele ano. Continue lendo “Coitado do Brasil”

As estrepolias de Juca e Chico

Bem, sou antiga mesmo. E como tal, trago para vocês Juca e Chico – História de Dois Meninos em Sete Travessuras (Max und Moritz – Eine Bubengeschichte in sieben Streichen), título do livro infantil publicado em 4 de abril de 1865 pelo humorista, poeta e desenhista alemão Wilhelm Busch, que narra as astuciosas aventuras de dois irmãos. Continue lendo “As estrepolias de Juca e Chico”

Uma imagem vale mil palavras…

Ao olhar a foto do presidente eleito Jair Bolsonaro conversando com seu vice, o general Hamilton Mourão, lembrei-me dessa frase do Millôr. A imagem é ótima: um retrato dos dois eleitos pelo povo cochichando sobre o que fazer a seguir, foi o que imaginei… Mas explicar isso sem palavras… Continue lendo “Uma imagem vale mil palavras…”

Carta para uma querida e saudosa amiga

Minha querida Emília,

hoje, lendo as cartas de amor aos livros no Segundo Caderno de O Globo, tive a impressão que você estava encarapitada em meu ombro, tentando ver se eu me lembrava de você, do Visconde, dos meninos, da Dona Benta e da Tia Nastácia, e de nossas viagens a bordo do pó de pirlimpimpim. Continue lendo “Carta para uma querida e saudosa amiga”

Sobre a liberdade de imprensa

Resolvi dispor aqui alguns pensamentos sobre a Liberdade de Imprensa. Você, leitor amigo, decide qual deles melhor descreve o que você sente por essa instituição, a Imprensa. E depois verifique ao pé desta página quem assina o pensamento que você escolheu. Continue lendo “Sobre a liberdade de imprensa”

As surpresas da semana

Foi uma semana surpreendente. Pelo menos para mim.

Confesso que estava curiosa com a aparência do ex-presidente Lula depois de sete meses de prisão. Pois não é que ele está muito bem? Corado, meio gordinho, com a voz firme e forte, só o cabelo mais branco, o que é natural na sua idade. E com a mesma garra de sempre… Continue lendo “As surpresas da semana”