As posições equilibradas

Na brasileirissima entrevista coletiva de ontem à tardinha, o presidente do Senado Federal fez um apelo às posições equilibradas, o que, naturalmente, foi bem visto por todos. Ninguém, que eu saiba, torce por posições políticas desequilibradas.

Mas o senador não explicou, ou, pelo menos, eu não encontrei explicações para sua decisão de ontem, quinta-feira, 24 de maio, no meio do dia, ele ter voado para Fortaleza num belo e bem abastecido avião da FAB. Foi decisão equilibrada?

Lá pelas tantas, certamente depois de ouvir os muitos comentários negativos sobre sua ausência de Brasília num momento sério como o que atravessamos, ele regressou à capital federal a tempo de participar da reunião entre altos funcionários do governo e representantes das associações de caminhoneiros.

Viagem de ida e volta no mesmo dia, é ou não é coisa de país rico? E aí entra minha pergunta: o combustível usado nas duas viagens vai ser ressarcido pelo senador? Já sei, já sei, é uma pergunta boba…

Todos sabemos que nossos congressistas se exaurem em três dias de trabalho, terças, quartas e quintas. Eles trabalham muito, merecem ter um weekend mais dilatado, não acham?

E aí entra outra pergunta. Por que será que nossa Imprensa gosta tanto de malhar a família real britânica? Leiam com atenção; até as mais inocentes notas sobre o casamento real em Windsor tinham uma pitada de crítica:

A rainha estava chocada com tantos negros na Capela de São Jorge. Música gospel ecoando naquelas paredes góticas! O pastor negro, americano, citou Martin Luther King, que horror!!! O menu do almoço servido pela rainha aos convidados ao casamento de seu neto era extravagante. O carro com que os noivos foram para a segunda recepção do dia, o jantar dançante que o pai do noivo ofereceu, era um Jaguar que vale 359 mil libras.

Como gastam o dinheiro do povo, era o que mais se lia!

Gastam, sim. Uma fortuna para manter tantos palácios e tantas mordomias para uma família que só faz crescer… E que não trabalha. Assim falam da rainha, de seu marido, dos seus filhos e netos. Ainda não criticam os bisnetos, mas é só ter um pouquinho de paciência.

Esquecem que essa mulher dedicou sua vida ao serviço de seu país e que é ela que une os 53 países membros da Comunidade Britânica das Nações, onde é sempre muito bem vinda, sempre acolhida com carinho e respeito. Aos 92 anos, ela trabalha mais do que todos os nossos congressistas juntos. E nem estou levando em conta o trabalho dos outros membros da família real.

E se Elizabeth II gasta muito, não há nenhuma dúvida da fortuna que entra nos cofres do Reino Unido graças a ela e aos seus. Enquanto que aqui os nossos representantes gastam muito e não nos dão nada em troca.

Tenho cá minhas dúvidas se algum súdito de sua Majestade toparia trocar a sua monarquia pela nossa republica manquitolante…

Este artigo foi originalmente publicado no Blog do Noblat, na Veja, em 25/5/2018.

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*