Os mortos-vivos do Halloween tupiniquim

zzlulalugosi

Lula não foi votar no segundo turno da eleição municipal. Dilma também não.

Se as coisas fossem lógicas, Lula e Dilma teriam, com essa decisão deles de não votar, assinado o atestado de óbito de suas carreiras políticas.

Nas democracias avançadas, aquelas dos países desenvolvidos, vota quem quer. O voto é um direito, jamais uma obrigação. Nesses países, muitas vezes o comparecimento às urnas fica em torno de 50%, 55% do número de pessoas aptas a votar.

Todas as pessoas têm o direito de não votar, de não participar do processo político. Ao mesmo tempo, pela lógica, perderiam o poder de falar de política, de participar da política.

É algo óbvio demais: quem não quer participar, se alija do processo, se ausenta. Não participa.

Alguém que foi presidente da República, que foi votado por milhões de cidadãos, esse tipo aí não pode deixar de votar. Se deixar de votar, deu as costas para a política, para o processo eleitoral, para a democracia, enfim.

Lula e Dilma, no domingo, 30 de outubro do ano de 2016, demostraram cabal, efetiva, visível, forçosa, obviamente que não têm apreço por esse negócio de democracia.

A rigor, a rigor, a rigor, nada de novo. Dilma participou da luta armada na inútil, idiota, imbecil, patética tentativa de substituir a ditadura militar-civil de direita por outra ditadura, a do Proletariado. A ditadura boa – porque Dilma acredita que há ditaduras ruins, como a que ela combateu, e ditaduras ruins, a que ela defendeu.

Quanto a Lula, o respeito que ele tem pela democracia é conhecidíssimo, virou rock: para Lula, 300 dos representantes eleitos pelo povo são “picaretas”. Uma vez investido do poder, tornou-se aliado desde criancinha dos picaretas, a quem pagou primeiro com o mensalão, e depois com o petrolão.

***

A ausência de Lula e Dilma das seções eleitorais no segundo turno da eleição já seria, por si só, suficiente para que eles fossem banidos para sempre de qualquer tipo de conversa a respeito de democracia.

Mas não, mas não. Eles são cara-de-pau. Eles exageram demais, demais da conta, no quesito do ridículo total.

Pois não é que Lula, na terça-feira, fez um discurso a respeito de democracia e política para estudantes universitários em Buri, no interior do Estado de São Paulo?

E não é que Dilma, a guerrilheira troncha que não chegou propriamente a incomodar a ditadura militar, mas obteve sucesso total ao aniquiliar a economia brasileira, foi ao Uruguai participar de um simpósio sobre democracia?

Ah, meu, é cara-de-pau demais da conta!

***

O Estadão de 3/11 publicou uma foto impressionante – ridícula, mas impressionante – de pessoas caminhando numa estação de metrô de São Paulo fantasiadas de mortos-vivos, zumbis, lobisomens, essas coisas, para comemorar o Dia das Bruxas.

Lula falando de democracia para estudantes depois de ter faltado à urna, e de jamais ter respeitado democracia, Dilma falando de democracia no Uruguai depois de uma vida inteira dedicada a derrubar a democracia e o capitalismo, cacete, meu Deus do céu e também da terra, isso é a pior semana de Halloween que pode haver.

Os mortos-vivos atacam! Os vampiros estão aí! Zumbis atordoam a população!

5/11/2016

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*