Arquivos Mensais: junho 2016

Marina em modo interrogativo

P1190336 - Corte - 720

– “Vovó, por que a Fortuna vive no mundo da lua?”, perguntou Marina, muito séria, algum tempo depois que revimos, a pedido dela, o DVD Tic Tic Tati.

A referência, claro, é a “Lindo Balão Azul”, a pérola que Guilherme Arantes compôs para uma das séries da Rede Globo baseadas em Monteiro Lobato, e que abre e fecha o show de FortunaLer Mais »

A ameaça de Lula

Hábil na escolha das frases e na mixagem dos tons — do sério ao indignado, do didático ao malandro –, o ex-presidente Lula ainda tem domínio de palco. Mas, definitivamente, já não é o mesmo. Se consegue empolgar a torcida, o faz com uma fórmula gasta e repetitiva, incapaz de ultrapassar os limites da fé cega de seus fãs. E, como sempre, excede na torção dos fatos a seu bel prazer e conveniência, nos impropérios ou na simples mentira. Ler Mais »

Vai melhorar (2)

Vai melhorar. Não há dúvida, é certeza: vai melhorar. Já começam a aparecer os primeiros sinais. Ler Mais »

Será que isso não basta?

O procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Júlio Marcelo de Oliveira, e o auditor fiscal da mesma instituição, Antonio Carlos Costa D’Ávila, testemunhas, e os senadores Lindbergh Farias, Gleisi Hoffmann e Vanessa Grazziotin, que atuaram ontem na sessão da Comissão do Senado Federal que analisa o impeachment de Dilma Rousseff, pareciam pessoas de épocas e mundos distintos; ninguém diria, ao vê-los e ouvi-los, que são cidadãos do mesmo nível social e, imagino eu, com escolaridade semelhante. Ler Mais »

Vai melhorar

Vai melhorar. Não há dúvida, é certeza: vai melhorar. Já começam a aparecer os primeiros sinais.

São “vários sinais de melhora nas expectativas”, escreveu Míriam Leitão no Globo na terça, dia 7. Ler Mais »

Apocalypse Now?

O mundo da política vive o seu Apocalypse Now sem que se vislumbre como será o Day After, ou quem sobreviverá dos seus escombros. O pedido de prisão do ex-presidente José Sarney, do presidente do Senado, Renan Calheiros, do presidente em exercício do PMDB, Romero Jucá, e do presidente da Câmara com mandato suspenso, Eduardo Cunha, pode não ser ainda o fim do sistema político-partidário do país, mas muito provavelmente é o princípio do seu fim. Ler Mais »

O tempo, o senhor bonito, el implacable

Il n’y a pas, il n’y aura jamais de temps futur au verbe aimer. Chaque instant est toute une vie, demain est un autre aujourd’hui.

Não existe, e não existirá jamais, o tempo futuro do verbo amar. Cada instante é toda uma vida, amanhã é um outro ontem. Ler Mais »

A invenção do cinema americano

zzmanuel1 - 720

“Se não podes destruir um monopólio, junta-te a ele: se não te podes juntar a ele, destrói-o.” O lema é de Adolph Zukor, judeu húngaro que chegou à América com 15 anos, órfão e 40 dólares cosidos ao forro de um fato que lhe tinham dito para nunca despir na viagem. Chegou, tirou a roupa e tomou um banho. A banheira tinha água corrente. Não se espantou: “Eu estava preparado para milagres.” Ler Mais »

De volta ao passado

Satanizar o capital privado, o mal em si, e santificar a economia de Estado, que reúne os puros e bem-aventurados. Não importa se isso remete o país ao século passado ou ao anterior. Na cabeça dos profetas do atraso vale tudo para espicaçar o governo do interino Michel Temer e seus apoiadores. Esse é o intuito da campanha “Se é público é de todos”, a ser lançada amanhã, no Rio, tendo o ex-presidente Lula como convidado de honra. Ler Mais »

Nem sempre a pressa é inimiga da perfeição

Como escrevo para este Blog há quase 11 anos, imagino que alguns leitores já me conheçam e saibam o quanto sou apaixonada pela imprensa. Um dia sem ler o jornal é impensável. Ler pelo menos um jornal e ler todo o Blog do Noblat, inclusive o twitter do Blog, são, para mim, a melhor maneira de começar o dia. Ler Mais »

Um olho no peixe, outro no gato

Um governo sitiado: assim podemos definir a situação do presidente interino Michel Temer, três semanas após a sua posse. Não tanto pela ação do adversário, embora esta venha acontecendo em escala crescente, mas principalmente pelas contradições inerentes ao modelo que adotou. Ler Mais »