Nojo da Eletropaulo

Consumidor no Brasil sofre. Consumidor da Eletropaulo, então, esse sofre demais.

Preciso fazer uma coisa simples: passar a conta de luz de um apartamento do meu irmão, que está em nome de uma antiga inquilina, para o nome dele. Meu irmão não mora em São Paulo.

Simples, né? Entro no portal da empresa, explico o caso, ou preencho um formulário, e pronto. Certo?

Errado. Estamos no Brasil, o país da burocracia, e a Eletropaulo tem monopólio, e então pode fazer o que bem entender.

Fui até a loja da Eletropaulo mais próxima (longe pacas, mas tudo bem), munido de procuração do meu irmão, com firma reconhecida, é claro, e mais cópia autenticada do documento que mostra que ele é o proprietário do apartamento.

Não deu para fazer a transferência. É preciso apresentar CIC e RG do proprietário para fazer a alteração do nome da pessoa na conta de luz.

Claro: afinal de contas, eu poderia ter forjado a procuração, certo? E forjado também o documento de posse do apartamento.

Como a gente dizia no ginásio em Minas, é phodda, com PH de pharmácia e dois Ds de Toddy.

Levei duas horas pra ir até a loja da Eletropaulo e voltar para casa sem ter resolvido o pequeno problema. Mas isso é o de menos. O que é muito impressionante é ouvir as queixas das pessoas na fila, à espera do primeiro atendimento. Cobrança a mais, cobranças absurdas, contas estapafúrdias – e não adianta reclamar. Tem que pagar, senão a luz é cortada.

Como o povo é maltratado neste país!

2/12/2014

5 Comentários para “Nojo da Eletropaulo”

  1. Pior é que se por acaso a conta do inquilino não for paga, a execução judicial se volta contra o proprietário legal do imóvel.
    E não existe alternativa de fornecedor. A EletroPaulo é uma concessionária de serviços PÚBLICOS monopolizada. Reclama na ANEEL!

  2. Eletropaulo, Sabesp,etc…
    S.O.S Sampa!
    Salvar o Tietê é mais importante que a transposição do São Chico.

  3. CLAMOR CARIOCA!
    Salvemos o rio Tietê importante e histórico. Tão histórico e importante quanto o Ganges, YangTsé, Eufrates, Tigre, Tâmisa, Sena,Danúbio, e outras águas.
    Não e trata de campanha, é uma cobrança que devemos fazer aos governantes estaduais e federais.

  4. S.O.S Tietê!

    O ambientalismo não está na pauta!

    A mídia tradicional não vai avançar na busca de conhecimento sobre o problema climático.

    Impedem a pauta as questões incômodas da economia de mercado, como a sustentabilidade do sistema econômico, as condições para o uso da propriedade e a apropriação, pelo interesse privado, de bens coletivos como a água (Sabesp), a energia elétrica (Eletropaulo) e a atmosfera (futura EletroAr).

    Vamos pautar a salvação o Tietê!

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *