#VemPraRua e muito mais

Com vícios que corroem quase todas as suas virtudes, a política encerra mais um ano sob o domínio de práticas menores, repugnantes, de dar vergonha. O vale tudo – até fazer o diabo – para se eternizar no poder, disseminado pelo PT, gangrenou a política na última dúzia de anos. E o que Dilma Rousseff antecipou para 2015 não é nada animador. Continue lendo “#VemPraRua e muito mais”

Pensas que és tu e se calhar és a Meryl Streep

zzzznora

Eu acho exac­ta­mente o con­trá­rio. Não sei se importa alguma coisa saber-se do que é que esta­mos a falar. Seja, então, de Meryl Streep. Se dis­se­rem que Meryl Streep, de Kra­mer vs Kra­mer a The Brid­ges of Madi­son County, faz sem­pre de Meryl Streep, eu discordo. Continue lendo “Pensas que és tu e se calhar és a Meryl Streep”

22 de dezembro de 2014

Essa data ficará marcada como o dia da mensagem de Natal mais severa que um Papa fez aos cardeais que compõem a Cúria Romana, a mais alta cúpula do Vaticano. Francisco não poupou palavras para descrever tudo que há muitos anos corre à boca pequena pelos corredores da Basílica. Continue lendo “22 de dezembro de 2014”

Conto de Natal

A presidente da República anunciou ontem a demissão da diretoria da Petrobras e agradeceu a imprensa pela publicação das denúncias reveladoras sobre a corrupção na empresa. Ela afirmou que abandonará a prática de loteamento político das diretorias da empresa e introduzirá métodos profissionais de governança corporativa. Continue lendo “Conto de Natal”

Cobram caro, roubam muito e querem mais

Impostos de Primeiro Mundo, serviços de Terceiro e de quinta qualidade. Uma equação insana que piorou muito na última década. Dados divulgados pela Receita Federal apontam que os tributos cobrados dos brasileiros bateram em 35,95% do PIB. É a mais alta proporção desde 2004, quando o indicador foi criado, e a 13ª maior do mundo. Continue lendo “Cobram caro, roubam muito e querem mais”

Hemingway, o cinema e o copo de cerveja do pai

zzzzava

Para Hemingway, Hollywood estava longe de ser o Paraíso na Terra. Hollywood era a selva dos pro­du­to­res de fil­mes, onde o escri­tor é a gazela a fugir da boca de leão do pro­du­tor: “Vamos ter com o pro­du­tor à fron­teira da Cali­fór­nia. Atiramos-lhe com o livro para o lado de lá. Ele atira-nos com o dinheiro para o lado de cá. Sal­ta­mos para o carro e gui­a­mos de volta como o diabo a fugir da cruz.” Continue lendo “Hemingway, o cinema e o copo de cerveja do pai”

Quem blinda quem?

Humpty Dumpty sat on a wall.
Humpty Dumpy had a great fall.
All the king’s horses and all the king’s men
Couldn’t put Humpty together again.

Humpty Dumpty, o ovo com rosto, braços e pernas, sentava muito pimpão no muro alto, apesar dos conselhos para que não o fizesse, dada sua fragilidade. Continue lendo “Quem blinda quem?”

A virada do século

Ao dar um passo inexorável para o fim do bloqueio a Cuba e para a normalização das relações entre os EUA e o país caribenho, o presidente Barack Obama contribuiu enormemente para a humanidade deixar o século XX. Finalmente o mundo vai ingressar no terceiro milênio. Continue lendo “A virada do século”

A desgraça de ficar sem Graça

Diz a lenda que jabuticaba só existe no Brasil. Ainda que a tese seja controversa, já que há espécies nativas catalogadas no México, tudo aquilo, especialmente absurdos só vistos por aqui, é comparado com a frutinha negra. Seria mais exato se isso fosse feito em relação à Petrobras, possivelmente a única empresa estatal do mundo que carrega em si o orgulho de uma nação. E, agora, a vergonha. Continue lendo “A desgraça de ficar sem Graça”

Emídio Rangel em Nova Iorque

zzzzmanuel1

Se lá esti­vesse o Al Pacino de Ser­pico, não seria melhor. Na 5ª Ave­nida, à boca do metro, montara-se o inferno. Povo, polí­cia, o circo da tele­vi­são. Ban­di­dos em fuga tinham reféns os pas­sa­gei­ros do metro. Cortou-se o trân­sito, fechou-se o metro. Esperava-se o som e a fúria das metra­lha­do­ras dos NYPD blues. Continue lendo “Emídio Rangel em Nova Iorque”