Arquivos Mensais: Fevereiro 2014

Um voto que me intrigou

Copio trechos do voto do ministro Roberto Barroso. Eis suas palavras que me intrigaram profundamente: Ler Mais »

Samba do Arnesto

Arnesto morreu aos 99 jurando que nunca convidou Adoniran Barbosa para um samba. Mas, como ensinou John Ford, quando a lenda fica melhor que a realidade, publique-se a lenda. Ler Mais »

Historinhas de redação (17): o grande Cláudio Abramo

Uma historinha de redação que não é divertida, mas quero contar para lembrar a figura do Cláudio Abramo. Foi um grande diretor de redação, na Folha e no Estado, na época dos jornais em preto-e-branco. Ler Mais »

O samba do petista doido

“Petistas rebatem PSDB e dizem que governo Lula salvou o Plano Real”, diz título do portal da Folha de S. Paulo. Ler Mais »

De Herzog a Santiago

O assassinato de jornalistas tem marcado a história recente do país. A morte de Vladimir Herzog, nos porões do regime militar, levou os brasileiros a perder o medo de protestar e sair às ruas até derrotar a ditadura. Ler Mais »

Imagina o pós-Copa

Puxadinho emergencial no aeroporto de Fortaleza, puxadinho planejado em Guarulhos. Revitalização inconclusa do recém-privatizado Galeão, e ainda por cima custeada com dinheiro público. Ler Mais »

Vamos chamar o lixeiro

Quando a coisa aperta dá vontade de ir para a Terra do Nunca com os netos. Fechar-me na sala e ouvir música que me leve ao mais profundo da emoção estética, que me embale para encarar, pois esquecer não dá, a barra pesada que nos envolve nesses momentos de violência, radicalismo e ausência de pensamento lúcido e lógico. Ler Mais »

O cadáver de John Barrymore

zzbarymore

Raoul Walsh e Errol Flynn foram com­prar um cavalo. No regresso a casa, um amigo, que acom­pa­nhara a ago­nia de John Bar­ry­more, deu-lhes a notí­cia da morte do actor. Os Bar­ry­mo­res foram a pri­meira famí­lia real do cinema ame­ri­cano. Ler Mais »

Maquiavel, Kissinger, Gillard e Lula

“A perda do poder é sentida física e emocionalmente, as sensações vêm em ondas, em momentos de grande angústia. Ler Mais »

Maduro e os fascistas

Maduro diz que “encarcerará um a um todos os fascistas”.

Quem são os fascistas? Os que Maduro determinar que são. Ler Mais »

Historinhas de redação (16): Sobre o relento

Sandro Vaia, então editor de Reportagem Geral do Jornal da Tarde, resolveu demitir o repórter X. Foi no início dos anos 80, não me lembro do ano exato. Ler Mais »

É cara de pau

Trem-bala, seis mil creches, 500 UPAs, Brasil rico, sem miséria. Fome Zero, transposição do Rio São Francisco, presídios federais de segurança máxima. Promessas de um futuro espetacular que nunca chega. Especialidade da geração de marqueteiros que alcançou o ápice no período Lula, a venda do paraíso – que tem sido repetida com sucesso – pode não ter tanta valia em 2014. Ler Mais »

Nervos à flor da pele

O mundo anda nervoso e o Brasil também. Sente-se no ar que algo não vai bem. Ou que há um desmoronamento social e individual que tende a crescer e, quando isso ocorrer, não se imagina quando pode parar ou ser contido. Ler Mais »

Quatro colunas de mármore

zzwalsh

É bem pos­sí­vel que no cora­ção de toda a besta se esconda um lírio. Não sei. Mas sei que, ainda a guerra não esta­lara, Hitler con­vi­dou Raoul Walsh a visi­tar Ber­lim. Walsh, irlan­dês, cató­lico, rijo a fil­mar homens, estava em Lon­dres, a con­vite de W. R. Hearst, patrão dos jor­nais e inves­ti­dor no cinema ame­ri­cano. Meteu-se no avião e ala. Ler Mais »

A teoria e a prática

Era de se esperar que a tragédia que matou o cinegrafista da Band, o jornalista Santiago Andrade, produzisse uma enxurrada de análises e considerações de todo tipo. Ler Mais »