Pete Seeger, o imprescindível

MUSICIAN PETE SEEGER SINGS AMAZING GRACE DURING A CONCERT CELEBRATING HIS 90TH BIRTHDAY IN NEW YORK

Não é muita gente no Brasil que sabe, mas Pete Seeger é uma das figuras mais fundamentais da música popular americana, e portanto do mundo. Sua estatura, importância e influência só podem ser comparadas às de monstros como Louis Armstrong no jazz, George e Ira Gershwin na grande canção, Elvis Presley no rock ou Bob Dylan no conjunto de quase todos os gêneros da música feita nos Estados Unidos. Continue lendo “Pete Seeger, o imprescindível”

Simplesmente Dilma

Dilma Rousseff se rendeu ao Fórum Econômico Mundial que até então seu governo preferia esnobar. Lendo um discurso bem escrito, ainda que de lastro duvidoso, a presidente jogou fichas que devem ter arrepiado seus colegas da América bolivariana: definiu o Brasil como o País das oportunidades e convidou os investidores do mundo inteiro para participar dos lucros desta terra prometida. Continue lendo “Simplesmente Dilma”

O poeta e sua dor

Meu aniversário naquele ano eu passei dentro de um avião, indo de Belo Horizonte para a Cidade do México. Ia para um encontro de poetas, “Poetas do Mundo Latino.” Tenho uma desconfiança boa de que, no convite que recebi de Eduardo Langagne para participar do evento, houve um empurrãozinho de Affonso Romano de Sant’Anna. Continue lendo “O poeta e sua dor”

Um rugido de fim de império

zzmanuel

Há um filme sobre o rugido dos anos 20. James Cag­ney e Humph­rey Bogart vivem-no no Roa­ring Twen­ties, de Raoul Walsh. O rugido, pri­meiro rugido impe­rial da Amé­rica, que aca­bara de ganhar essa Grande Guerra que agora faz cem anos, traz a Lei Seca e con­tra­bando, jazz, coris­tas e avi­dez, a pro­li­fe­ra­ção do auto­mó­vel e da urbana morte a tiro. Continue lendo “Um rugido de fim de império”

Elementar, minha cara Watson

A secretária dos Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, é uma personagem bastante peculiar. Como aquele neurótico Sherlock Holmes contemporâneo da série de TV Elementary, chega sempre alguns quilômetros antes dos fatos, deduz e decreta suas verdades antes que as provas as confirmem. Continue lendo “Elementar, minha cara Watson”

Um imenso Maranhão

Quase 13 milhões de jovens e adultos analfabetos, outros 30,5 milhões que já viram uma ou outra letra e nada compreendem; 43% dos domicílios sem o trio básico de saneamento – água encanada, esgoto e coleta de lixo; 50 mil homicídios ao ano, 25,8 por 100 mil habitantes, o que coloca o País no sétimo lugar entre os mais violentos do mundo. Continue lendo “Um imenso Maranhão”