Arquivos Mensais: dezembro 2013

Muquifo

Animada pela pesquisa CNI/Ibope que lhe conferiu 43% de aprovação, cinco pontos percentuais acima do levantamento de setembro, a presidente Dilma Rousseff comemorou no estilo que lhe ensinaram: em cima do palanque. Ler Mais »

Pouco pode ser muito

Penso na fisioterapia. O paciente está com dores, dificuldade de se movimentar, incômodos musculares ou na coluna vertebral. Posturas inadequadas ou aflições afins. O profissional lhe ensina pequenos exercícios, curtos e localizados, gestos que aparentemente nada têm a ver com seu padecer. Ler Mais »

Só lhe falta ter piratas

zzzzzzmud1

Levem os rapa­zes ao cinema. Borrifem-se para as clas­si­fi­ca­ções etá­rias e levem as cri­an­ci­nhas a ver Mud, de Jeff Nichols, que em por­tu­guês se cha­mou Fuga. Ler Mais »

The Elders

O que Nelson Mandela fez pelo ser humano jamais será suficientemente valorizado. A vitória sobre o apartheid em seu país é obra de gigante. Acho incrível quando ainda leio críticas à sua atuação como administrador. Não basta ele ter conseguido que brancos e pretos andem na mesma calçada, frequentem a mesma escola, sejam tratados pelo mesmo médico? O que hoje parece tão comum – não é? – antes de Mandela era impensável. Ler Mais »

Palavras, gestos e atos

A palavra “estadista” nunca foi tão usada e abusada quanto nesta semana em que o mundo parou para lembrar, dançar, chorar e enterrar Nelson Mandela. Ler Mais »

Made in China

Faz tempo, deixei de trocar a roupa, pela manhã, entrar no carro,  esperar o motor aquecer (mania de velho). No somenos, espiar pelo “olho mágico” do portão da garagem para ver se “eles” não estão à espera de que eu saia para me assaltar. Ler Mais »

Más notícias do país de Dilma (126)

Nos últimos sete dias, os jornais nos informaram que a confiança dos empresários do comércio registrou uma queda de 3,1% em novembro, na comparação com o mesmo período do ano passado. Ler Mais »

Como não gostar de Harry Hole?

Em Boneco de Neve, de 2007, o escritor norueguês Jo Nesbø volta a mexer na cronologia, como já havia feito em O Redentor, de 2005. Volta também a usar, com maestria, o que parece ser uma característica de suas obras: as ações paralelas. Ler Mais »

Cadê o bê-a-bá?

Chavão de candidatos de todos os partidos, de vereador a presidente da República, a tal da melhoria da qualidade de ensino não consegue descer do palanque e chegar às crianças e jovens do País. Ano a ano, o Brasil continua condenando milhões à ignorância simplesmente porque não leva a sério, não quer, de verdade, debruçar-se sobre a educação. Ou melhor, em como corrigir a falta dela. Ler Mais »

Presença humana

Meus pais me olham através do retrato. Sinto a presença deles. É para isso que pomos as fotografias das pessoas que gostamos na parede. Para que em dado momento do dia, em hora que estamos à procura de algo, nos deparemos com olhares que sempre nos acompanharam e que não estão mais ao nosso alcance. Ler Mais »

Todos o queriam, todos o proibiam

xxm

Mui­tas das coi­sas de que o nazi Joseph Goeb­bels gos­tava são coi­sas de que todos gos­ta­mos. Uma delas é o filme M, que outro ale­mão, Fritz Lang, rea­li­zou em 1931. A sen­si­bi­li­dade de Goeb­bels derreteu-se ao vê-lo no cinema. Ler Mais »

O enguiço

O Brasil está enguiçado. Sem instrução e sem educação. Não há possibilidade de um país crescer com tanta ignorância e tanta deseducação. E tanto desamor. Ler Mais »

Mandela e o roqueiro

O mundo brasileiro da política se move em três dimensões paralelas, que não têm contato nem relação entre si. E mesmo esses universos se movem em várias pequenas constelações que também não se comunicam. Ler Mais »

Más notícias do país de Dilma (125)

“Estranho País este que inventa a renúncia remunerada; que um preso na Papuda pede para trabalhar em um hotel fantasma, em que o dono é um laranja; que o ministro da Fazenda diz que está tudo ótimo ao anunciar o PIB negativo (-0,5) do terceiro trimestre; que ostenta a 72ª colocação no ranking dos mais países mais corruptos (era 69º e caiu três posições), empatando com São Tomé e Príncipe, Bósnia Herzegovina, Sérvia e África do Sul; que até melhora em matemática (sai do muito sofrível para o sofrível), mas continua entre os lanternas no Pisa – 58º entre 65 países – e ainda assim o ministro da Educação só vê ‘avanços’. E olha que isso é o resumo de apenas um dia. Um diazinho só.” Ler Mais »

O céu na cabeça

Asterix, Obelix e seus amigos gauleses topavam qualquer parada, briga ou guerra. Temiam apenas que o céu caísse sobre suas cabeças. Em nossa realidade, temos motivos para nos preocupar que algo vindo de cima nos alcance. Caso dos meteoritos ou mesmo dos raios. Ler Mais »