É isso

Quando do golpe de 64, o que se tentava enfiar no coração dos brasileiros era que havendo discordância com as ações do governo, o motivo era falta de amor ao Brasil e, nesse caso, o melhor era deixá-lo. Foi um slogan cruel, estúpido e que muito me irritou enquanto durou. Continue lendo “É isso”

Más notícias do país de Dilma (114)

O Brasil levou mais de um século para se estabelecer como país de excelente diplomacia. Desde o Barão do Rio Branco (1845-1912), a diplomacia brasileira manteve-se digna. Nem mesmo os governos dos generais da ditadura mexeram na tradição do Itamaraty, e a mantiveram distante das eventuais preferências ideológicas dos ocupantes do poder. Continue lendo “Más notícias do país de Dilma (114)”

As oportunidades são tudo na vida

Have you ever loved a person you do not know?

I’m pretty sure most of us have, at least a book character, a singer or a movie star. Because of intense familiarity or a sense of identity, we find ourselves passionate about small characteristics of that one being we almost believe we know. Continue lendo “As oportunidades são tudo na vida”

Commodities cubanas

Acabam de desembarcar no Brasil os primeiros médicos estrangeiros do polêmico Mais Médicos, carro-chefe da campanha eleitoral do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ao governo do Estado de São Paulo, que nem se preocupa em esconder isso. Continue lendo “Commodities cubanas”

Uma ponta de pecado e ar fresco

zzzzmarilyn

Nunca. As coi­sas nunca são o que pare­cem. Basta o exem­plo inso­fis­má­vel de um filme, o inde­cen­tís­simo The Seven Year Itch, que Billy Wil­der rea­li­zou por cima e por baixo das cur­vas de Marilyn Mon­roe. Ela é a vizi­nha de um tipo casado que, por obri­ga­ções pro­fis­si­o­nais, não vai de férias com a famí­lia. Continue lendo “Uma ponta de pecado e ar fresco”

A guerra das togas

zzzzzzzzbarbosa

O Brasil é um país pitoresco. Quando parece que o apocalipse se aproxima, tudo vira pizza.

Foi mais ou menos o que aconteceu no Supremo Tribunal Federal durante o julgamento dos recursos dos mensaleiros condenados a vários anos de prisão. Continue lendo “A guerra das togas”

Turbilhão

Consulto, antes dela, o mini Aurélio que comprei para minha neta. Meus dicionários são muito pesados para ela. Abri na página de turbilhonar, o que faz com que meu pensamento comece a voltear pelo espaço e pelo tempo, como se febril eu estivesse. Não estou. Mas a imaginação rodopia e busca longe e perto, hoje e ontem, pedaços de acontecimentos e visões. Continue lendo “Turbilhão”