Arquivos Mensais: junho 2013

Diga conosco: Lu-lo-dil-ma

Leio no Painel da Folha de S. Paulo de 13/06/2013:

“Receita: Aconselhada a tomar uma “injeção de Lula”, a presidente cancelou a viagem que faria ao Rio hoje para se encontrar com o ex-presidente em evento do PT no Paraná. Dilma remarcou para amanhã a ida à capital fluminense, onde vai anunciar investimentos na Rocinha”. Ler Mais »

Ópera de um vintém

Não se fazem mais revoluções como antigamente.

Como escreveu no Facebook uma velha amiga jornalista, agora se luta por 10 centavos no preço da passagem de ônibus. Ler Mais »

Más notícias do país de Dilma (103)

As más notícias se sucedem numa velocidade estonteante. Os jornais da sexta-feira passada, dia 7, trouxeram a informação de que uma das maiores agências de classificação de risco dos investimentos, a Standard & Poor’s, havia posto o Brasil em perspectiva negativa, devido à deterioração das contas públicas, do PIB fraco e da inflação alta. Ler Mais »

Historinhas de redação (15): O poeta demitido

– “É assim mesmo. Os mais novos chegam e demitem os velhinhos. Nós mesmos fizemos assim quando tomamos o Jornal do Brasil.”

A frase foi dita pelo poeta Ferreira Gullar no dia em que foi demitido do Estadão. Ler Mais »

A república do “eu não sabia”

Nenhum governante deveria mentir. Muito menos institucionalizar a mentira. Oferecer-se ao público e, de cara lavada, dizer que não sabia o que todo mundo sabe que o dirigente sabia. Ainda que se dê o benefício da dúvida e se admita que por vezes governantes não saibam o que se passa embaixo de seus narizes, é impossível admitir o não saber como padrão. Ler Mais »

Liberdade sempre

Um mês e meio depois do golpe militar de 64, Millôr Fernandes lançou a revista Pif Paf, primeira publicação a enfrentar o regime policialesco que nos infelicitou por quase um quarto de século. Em seu primeiro número a revista dizia: “Em todos os números do Pif Paf falaremos de liberdade. É um assunto que nos têm presos.” Ler Mais »

A cada um a sua way

zzzzzzzzjennifer
Encandearam-no os olhos dela. David O. Selz­nick, o mais pode­roso pro­du­tor de Hollywood, era uma tor­rente de ener­gia, poder e emo­ção. A cabeça, as mãos e os bol­sos dele tinham feito Gone With the Wind. Trou­xera Hit­ch­cock para Hollywood como, mais tarde – já outra huma­ni­dade – se leva­ria Mou­ri­nho para o Chel­sea ou Chamartin.  Ler Mais »

Montanha russa, um estilo

Pode ser que seja um método. Pode ser que seja um estilo.

Depois que declarou que faria “o diabo” pela reeleição, a presidente Dilma Rousseff, cujo favoritismo em 2014 está longe de correr perigo, acelerou o seu modo montanha russa de administrar; o que está lá em cima hoje, pode estar lá embaixo amanhã. Ler Mais »

O Bolero de Dylan

Para nós, velhinhos, há sempre um consolo: costuma-se dizer que Brahms só compôs sua primeira sinfonia beirando os 60 anos. Ler Mais »

Más notícias do país de Dilma (102)

Nos últimos sete dias, anunciou-se que o Brasil caiu cinco posições no ranking mundial de competitividade do IMD, uma escola de negócios com sede na Suíça; o país ficou em 51º lugar na lista em 2013. O superávit fiscal primário entre janeiro e abril teve o pior resultado desde 2001 e representa queda de 31,7% em relação ao primeiro quadrimestre do ano passado. Ler Mais »

O biombo

Creio que alguns já sabem que tenho um blog recém-nascido.

E estou apanhando dele como o diabo! Ler Mais »

Se beber, não pule fogueira

A internet me trouxe um guia de festa junina nutricionalmente correta.  Diz ali:

“São tantos quitutes típicos nas festas juninas que fica difícil manter uma dieta saudável diante das deliciosas opções. O segredo é saber fazer as escolhas certas como, por exemplo, escolher a versão light de uma receita.” Ler Mais »

A educação que se dane

Aloizio Mercadante. Esse é o nome que a presidente Dilma Rousseff sacou para auxiliar na articulação política do governo, que degringola dia após dia, ainda mais depois que o ex-presidente Lula inventou de antecipar o calendário eleitoral de 2014. Ler Mais »

No coração da canção

Houve um dia em minha vida em que um anjo negro me apareceu no meu quintal. Que trazia belezas ficou claro desde o primeiro momento, pois luzes envolviam o seu corpo que não era de santo, era de gente. Ler Mais »

A doença que James Dean inventou

zzwood

Ele mor­reu ves­tido den­tro de um Pors­che des­feito. Ela mor­reu nua, numa cama de soli­dão. Há qual­quer coisa em comum na morte deles. Sal­va­guar­da­das as epi­só­di­cas dife­ren­ças, mor­re­ram da mesma morte. Aos des­tro­ços do Pors­che de Dean, aos tor­tu­ra­dos vin­cos dos len­çóis de Marilyn, perfuma-os idên­tica angús­tia.

Ler Mais »