Arquivos Mensais: abril 2011

Incomunicável e estrangeiro (1)

Há muitos anos viajo levando meu Moleskine, simpática caderneta que a Maria mineira, que foi morar em Portugal, me deu de presente. Desde aquele dia, qualquer que fosse o tamanho da viagem, o livrinho de capa preta me acompanhou. Ler Mais »

A Espécie Humana. Capítulo 38

estamos deitados, cada um no seu colchão. temo que o menino não durma logo porque hoje, ao contrário da tarde de ontem, quando ele ficou perambulando com os cães, hoje ele dormiu praticamente o dia inteiro. comeu em horas erradas e não falou absolutamente nada. Ler Mais »

A nuvem negra da oposição

“Política é como nuvem. Você olha, ela está de um jeito. Olha de novo, ela já mudou”.

A frase, atribuída ao lendário político mineiro Magalhães Pinto, pode ajudar a definir o cenário em que se move a oposição política brasileira neste momento. Ler Mais »

Más notícias do país de Dilma

Criou-se e difundiu-se o mito de que Dilma Rousseff é uma gerente, uma administradora, uma tocadora de obras e projetos de grande competência. Ler Mais »

A gerenta

Políticos, quando precisam exibir eficiência ou amainar cobranças administrativas, cultivam o hábito de apelar aos técnicos. Uma categoria que no imaginário coletivo não carrega a pecha nem os vícios da política e dos políticos. Ler Mais »

O púcaro búlgaro e a cultura

Nunca quis matar nenhuma velhinha. Mesmo assim, lembro-me até hoje do impacto que foi ler, em minha adolescência, Crime e Castigo, de Dostoiévski. O drama de Raskolnikov, um jovem que assassina a troco de nada, motivou o escritor russo a escrever um romance que é uma viagem através da alma humana. Ler Mais »

A Espécie Humana. Capítulo 37

pai, qual é a música mais triste que você conhece?, perguntou-me meu filho. já estamos deitados nos nossos colchões. o dia foi pesado. meu pai não conseguiu esconder aqueles olhares em que eu comecei a perceber um tipo de censura muda. Ler Mais »

Cuba sem sinais vitais

Nos anos 60, o filósofo Jean-Paul Sartre escrevia “Furacão sobre Cuba”. Um grupo de valentes jovens barbudos descia a Sierra Maestra para expulsar um ditador, varrer um regime opressivo , trocar o domínio imperialista pela autodeterminação de um povo, e para iniciar a construção do “homem novo” em Cuba, pátria de José Marti, herói da independência do país caribenho. Ler Mais »

Lindberg e a camisinha

Com tudo o que fez como líder estudantil, Lindberg Farias pode ter passado por porra-louca. Agora está no outro lado, o da camisinha. Todos viram como o hoje senador petista ampliou o projeto de sua colega Maria do Carmo Alves, do falecido DEM, para salvar o País da aids. Ler Mais »

Maldita herança bendita

Com avaliação recorde, quanto mais para uma estreante, e bem tratada na China, onde obteve êxito de fazer inveja aos mais hábeis comerciantes, a presidente Dilma Rousseff tinha tudo para festejar sua primeira semana pós-100 dias. Poderia fazê-lo à vontade não fosse a incômoda herança que ela terá de se esforçar para não chamar de maldita. Ler Mais »

Os tempos são outros

Li no jornal. Alguém – quem? –, disse que não se usa mais escrever crônicas sobre falta de assunto, como Rubem Braga se cansou – ou não? – de fazer. Os tempos são outros. Ler Mais »

Nos tempos da Luluzinha

Toda quarta-feira o menino descia de sua casa, lá no alto, ao lado da Grupiara, em direção ao centro, onde se localizava a maioria do comércio. A Grupiara é um monte, em frente à praça de esportes, onde se colhiam os mal cheirosos frutos de jatobá que caíam de árvores enormes. Ler Mais »

A Espécie Humana. Capítulo 36

meu filhinho como que está só em presença da morte. Isaías falou e Pedro repetiu, séculos depois:

toda a carne é erva

e todo o seu encanto é uma florzinha campestre; Ler Mais »

FHC e o clube dos mortos-vivos

O ex-presidente e sociólogo Fernando Henrique Cardoso é um homem de pensamento refinado e com certeza sabia o que estava fazendo quando escreveu o artigo-ensaio “O Papel da Oposição”, publicado na revista Interesse Nacional, mas divulgado antes pela internet. Ler Mais »

FHC propõe reflexão – e a reação é a burrice

Às vezes parece que o Brasil não merece Fernando Henrique Cardoso. Ler Mais »